Maria: "Estou sendo vítima de perseguição política"

Prefeita Maria do Carmo Martins
Prefeita Maria do Carmo Martins

Por: Manoel Cardoso
Uma semana depois do Ministério Público Estadual (MPE) impetrar uma ação de improbidade administrativa contra a atual gestão municipal de Santarém, a prefeita Maria do Carmo (PT) declarou em entrevista exclusiva à nossa reportagem, que em nenhum momento foi consultada antes do processo. Ela desabafou e disse que o Ministério Público não teve a preocupação de lhe ouvir antes de entrar com a ação, movida pelo vereador Erasmo Maia (DEM), de que a Prefeitura Municipal teria contratado servidores temporários ao invés de concursados. Maria do Carmo destacou, ainda, vários temas do atual quadro político de Santarém e do Pará. Acompanhe os principais detalhes da entrevista.


Jornal O Impacto: Prefeita, a senhora vai recorrer da ação do Ministério Público?

Maria do Carmo: Eu quero ressaltar que respeito muito o Ministério Público Estadual, por ser o meu órgão de origem, de onde eu vim. Portanto, eu sempre acho que prevalece o bom senso. Nesse caso especificamente eu não fui consultada, nem chamada. Em nenhum momento o Ministério Público teve a preocupação de nos ouvir antes de entrar com esta ação. O MPE poderia ter me chamado para assinar um TAC, se fosse o caso, mas não aconteceu. Há uns dois anos o MPE entrou com uma ação contra mim, para obrigar a fazer um concurso público, quando já estávamos nos organizando para fazer o certame. Fizemos uma audiência com a Justiça e, não aceitamos assinar o TAC, porque já estava em curso o processo de concurso público, tanto que eu fiz o certame em 2008. Isso não tem nada a ver agora com esta nova ação, que foi provocada pelo vereador Erasmo Maia, que mandou para o MPE uma representação, dizendo que eu tinha contratado temporários quando deveria chamar os concursados. Ele não me chamou em nenhum momento, pra me perguntar se isso era verdade ou se eu tinha algum documento que justificasse ou que legalizasse a contratação de temporários.


Jornal O Impacto: O Ministério Público chegou a lhe enviar algum documento em relação à ação?

Maria do Carmo: O único documento que me mandaram foi dando 10 dias para que eu apresentasse a folha de pagamento da Prefeitura. Eu não fiz em 10 dias, pedi um prazo para o MPE e, mandei a folha de pagamento e, fui surpreendida com a ação. Então, quer dizer, antes de entrar com esta ação, O MPE poderia ter me chamado para dialogar e iria saber que os concursados estão sendo chamados e os temporários que temos são contratados legalmente. Tenho um acordo assinado com a Justiça, que fiz em janeiro deste ano, para chamar os concursados de forma que não causasse nenhum problema, porque os temporários têm família e, tem que se programar, não dando de uma hora para outra de tirá-los do lugar.


Jornal O Impacto: Já aconteceu algum caso parecido nos últimos anos no Pará?

Maria do Carmo: A Governadora fez isso obrigada pelo Ministério Público e tirou da noite para dia 2 mil temporários, então, os serviços essenciais do Estado ficaram sem pessoas para ocupar. Ela foi obrigada a recontratar até que pudesse ter condições de chamar os concursados. Isso veio a prejudicá-la, inclusive, agora na campanha. O que deve prevalecer é o bom senso, o diálogo e a articulação entre os três poderes, devendo haver harmonia em nome da comunidade, da sociedade e dos cidadãos. Não é bom que se aja dessa forma, até porque causa prejuízo para uma parte ou para outra. Eu sou da paz e dialogo com o Poder Judiciário há sete anos e quero discorrer com o Ministério Público também nesse mesmo período. Não tenho interesse nenhum e, não quero achar, nem crer que o Ministério Público esteja fazendo perseguição política em cima de mim.
Jornal O Impacto: A Coomeb poderá voltar a atuar no Hospital Municipal?
Maria do Carmo: Estamos nos organizando para que possamos dar o melhor atendimento possível para a população. Eu fui inocentada naquela ação que também o Ministério Público moveu contra mim, a pedido igualmente do Erasmo Maia. Ficou certo de que naquele momento a Prefeitura de Santarém precisaria contratar a Cooperativa para atender aqui, porque estávamos sem médicos disponíveis e os clínicos que existiam não estavam dando conta de atender a contento. Então, a Prefeitura contratou a Coomeb e ela fez um atendimento de qualidade, onde o melhor tempo que se teve foi quando esses médicos vinham de Belém para atender na Urgência e Emergência, porque eles não tinham vínculos com a cidade, portanto, passavam o dia inteiro dentro do Hospital. Esse é o ideal de que tenha médico 24 horas na Urgência e Emergência. Infelizmente estamos tendo conhecimento de que têm dias que sequer tenha um médico, enquanto que a Prefeitura contratou dois clínicos para ficar na Urgência e Emergência. Se continuar desta forma, vamos ter que dialogar com os médicos, para ver quem está disposto realmente a assumir por 24 horas os nossos plantões para dar esse apoio para a comunidade.
Jornal O Impacto: Com o final da campanha política a Prefeitura passará por mudanças em algumas de suas secretarias?
Maria do Carmo: A princípio não. Depois da eleição ainda não sentamos para conversar no governo. Temos previsto que a gente faça uma conversação e acerte os rumos para daqui a três anos. Ainda temos dois anos de governo e, sabemos que temos que atuar em algumas áreas, no sentido de corresponder às expectativas da população. Isso provavelmente vai requerer algumas mudanças, mas eu quero manter a mesma base para 2012, isso significa que não pretendo tirar nenhum partido, de nenhuma Secretaria no nosso governo. Se houver mudanças serão de pessoas e não de projetos políticos, nem partidos que nos apóiam.
Jornal O Impacto: O doutor Carlos Martins poderá assumir a Secretaria Municipal de Saúde nos próximos meses?
Maria do Carmo: Não. É difícil essa possibilidade. Eu lamento profundamente que a população de Santarém tenha perdido uma grande oportunidade de eleger mais um Deputado Federal. Tínhamos condições de ter dois deputados federais, os quais em Brasília ajudariam a cidade e a Prefeitura. Dois deputados federais iriam contribuir para o desenvolvimento da região, mas infelizmente faltaram cerca de 10 mil votos para que isso acontecesse, porque o Carlos Martins ficou como primeiro suplente. Agora, vamos aguardar os acontecimentos para ver o que poderá ser feito, mas eu não pretendo colocar mais nenhum irmão meu em nenhuma Secretaria. O Everaldo deve voltar a partir de janeiro para a Secretaria Municipal de Planejamento.
Jornal O Impacto: Agora, com o Governador do Pará do PSDB e a Presidente da República do PT, como vai ficar a situação de Santarém em meio a essa questão política?
Maria do Carmo: Vai depender muito mais do Governador do que propriamente da presidente Dilma Rousseff e da Prefeitura de Santarém. A relação com o Governo Federal que já tenho há sete anos vai continuar. Todos sabem que grande parte dos investimentos em Santarém é feito pelo Governo Federal e, que quando a Ana Júlia se elegeu, ganhamos uma aliada, porque ela nos ajudou em várias obras, mas agora é um outro governo, com uma outra concepção e, espero que o Simão Jatene queira se aproximar da Dilma mais do que se aproximou do presidente Lula, porque o Estado do Pará precisa ganhar. Eu vou ter uma relação direta com o Governo Federal, mas é imprescindível que a nova administração estadual tenha um contato direto com a Dilma, porque assim todos os municípios ganham e não só Santarém. Da parte da presidente Dilma tenho certeza absoluta de

Um comentário em “Maria: "Estou sendo vítima de perseguição política"

  • 18 de novembro de 2010 em 13:41
    Permalink

    Brasília 18 de Novembro de 2010.

    Sou Santarena, mas atualmente moro em Brasília. É com muito orgulho que venho parabenizar o jornal impacto que esta de cara nova, mesmo distantre da cidade, sempre acompanhando o crescimento e desenvolvimento da nossa cidade através dos meios de comunicação como o jornal impacto.

    Um abraço a toda equipe.
    Conceição

    Resposta
  • 16 de novembro de 2010 em 13:27
    Permalink

    gostaria tb de parabenizar o jornal impacto pelo novo formato colocado na internet,vejo que apartir de agora uma nova etapa de contato com o leitor,respeitando é claro sua opinião em relação as materias publicadas.Parabéns a Equipe de Produção,tenho certeza que stm e o Oeste do Pará vão crescer muito em relação a troca de informações.

    Resposta
    • 16 de novembro de 2010 em 15:55
      Permalink

      A Direção do jornal o Impacto agradece os comentários sobre esta matéria. Todas as opiniões serão publicadas, mesmo que contráias a linha editorial do jornal O Impacto.
      Realmente o povo tem toda opinião em expor seu ponto de vista. Dessa maneria é que é feita uma imprensa livre e imparcial, a exemplo do jornal O Impacto.
      A impunidade muitas das vezes leva a crimes muito maiores contra a sociedade. Felizmente a justiça eo Ministério Público estão a postos. Agradecemos sua opinião.

      Resposta
  • 16 de novembro de 2010 em 13:10
    Permalink

    gostaria que publicassem:A prefeita maria do carmo já fez muito por santarém, e o governo do trabalho(PT) também só não VÊ quem não quer e o pior cego e o que vê mais se recusa a enxergar,pois ainda é dominado talvez por uma elite de pessoas que adoram mamar nas tetas do governo e se beneficiam dos bens públicos,fiquem atentos a biblia nos diz que pelos seus frutos os conhecereis:…São mentirosos,calúniadores,se fingem de ovelhas mais agem como lobos devoradores nossos adversários adoram o assistencialismo ivens de promover a inclusão social das pessoas:distribuir cestas básicas,leite as crianças coisas deste tipo,mutirão!enquanto o nosso projeto nos queremos dignidade na Educação,Saúde,Saneamento Básico,Geração de Emprego e Renda e que todas as pessoas sejam inclusas em programas que mais tarde possa anda com as próprias pernas.Não queremos criar programas para fortalecer a miséria,centralização de riquezas na mão de poucos e que a maioria depois passe necessidades.sobre mudanças na legislação,vejo que precisa urgetemente em todas as leis vigentes neste pais.Incluse a nossa lei eleitoral também com eleições não só para majoritários e proporcionais mais para cargos de confiança,que as medidas tomadas pelo governo passem por consulta pública 184 milhões de pessoas não podem ficar a espera e na mãos de pouco.Esperamos que ivens de picuinhas nossos representantes façam pesquisas para melhorar as condições de vida da população,invistam em educação e tecnologia,pois máteria prima tá sobrado aqui!nossas madeiras tão saindo em tora em vez de beneficiada e gerar emprego,nosso minério partir em návios em vez de produzir carros,aviões e navios e gerar emprego;nossa soja vira óleo em outros lugares,sigamos o exemplo da China investimento em EDUCAÇÃO,CIENCIA E TECNOLOGIA(INDÚSTRIAS)E INFRA ESTRUTURA o resto é consequência de crescimento economico.

    Resposta
  • 16 de novembro de 2010 em 08:57
    Permalink

    SE CONTRATAR FUNCIONÁRIO TEMPORÁRIO E NEPOTISMO RESULTASSE EM AFASTAMENTO OU PROCESSO CONTRA GESTERES, A PREFEITA ODILEIDA SAMPAIO TERIA SIDO UMA DAS PRIMEIRAS A SER AFASTADA OU PROCESSADAS, TAMBÉM DEIXOU DE NOMEAR CONCURSADOS PARA CONTRAR TEMPORÁRIO PARA PODER SER DOMÍNIOS, INCLUSIVE COLOCOU ESSES FUNCIONÁRIOS PARA TRABALHAREN NAS CAMPANHAS ELEITORAIS.

    Resposta
  • 15 de novembro de 2010 em 10:42
    Permalink

    Não é considerado pela legislação vigente como NEPOTISMO, parentes em cargos de confianças, e isso meu caro João Carlos, inclui secretarias em prefeituras municipais, entendeu? Agora, quanto a prefeita Maria do Carmo estar sendo perseguida politicamente, concordo plenamento, tando por parte do Vereador Erasmo Maia, quanto pelo Ministério público. Eles deveriam, como legislador e como Órgão pertecente a um dos poderes públicos, ter o bom senso de perguntar e cobrar explicações antes de impetrar ações, que chegam a nos parecer árbitrárias, contra a prefeitura e contra à prefeita. Temos que entender que quem perde nessas disputas somo nós, Santarenos.

    Resposta
  • 15 de novembro de 2010 em 08:26
    Permalink

    Prefeita, procure trabalhar, olhe o resultado da Governadora Ana Julia, quer deixar para traablhar 1 mes antes da eleição o resultado é derrota. A senhora vai amargar uma grande derrota. Esses seus secretarios não trabalham,me apresente um investimento e experiencia bem sucedida de um de seus secretarios. Maria abre o olho

    Resposta
  • 13 de novembro de 2010 em 20:02
    Permalink

    Ela a Prefeita fica dizendo está sendo perseguida, que coisa???? Agora é nepotismo de nomear o írmão para uma Secretaria????? Deixou uma Secretaria em Belém, viu que iria sair mesmo, voltou pra assumir uma em Santarém, depois reclama que está sendo perseguida, isso é NEPOTISMO. Oh Vereadores, vamos agir????? Santarém está entregue a família Martins??????? CPI.

    Resposta
  • 13 de novembro de 2010 em 08:37
    Permalink

    Ela vai ter uma relação com a Dilma,como teve com o Lula,kkkkkkkkkkkk

    Resposta
  • 13 de novembro de 2010 em 08:35
    Permalink

    Olha é uma pena o que fazem com a prefeita,ela não sabe de nada,não viu nada,não sabia que não podia,e mais alguma coisa pra frente.è tipico do PT.A rfespeito como esposa,mãe,mulher mais como prefeita ta deixando a desejar..

    Resposta
  • 12 de novembro de 2010 em 17:36
    Permalink

    tadinha da nossa prefeita, tão injustiçada e criticada só por que é mulher

    Resposta

Deixe seu comentário aqui: