Deficientes físicos não são respeitados em Santarém

Ivanilson, diretor da ADEVIBAM

Como se não bastassem as calçadas inadaptadas, muitos dos deficientes visuais e físicos ainda são discriminados, seja em lojas do comércio, quanto no dia-a-dia. Para se ter uma idéia, os prédios públicos em sua maioria não tem rampas para acesso. Os portadores de necessidades especiais, na maioria dos casos, não tem vez no mercado de trabalho, como deveria acontecer. “Quando conseguem trabalho, tem que se submeter a ganhar salário mínimo”, disse Ivanilson Corrêa, diretor da ADEVIBAM. O poder público, a classe empresarial do Oeste do Pará, bem deveriam aproveitar a competência e o profissionalismo destes nossos irmãos que tem seus limites, porém também contam com direito e  respeito como seres humanos e filhos do mesmo Criador que são. Pense nisso.

Por: Carlos Cruz

Deixe seu comentário aqui: