Frases de Famosos que marcaram a semana

“Sou a favor do casamento gay, sim. Todo mundo tem direito de amar, de se envolver emocionalmente, socialmente. É um direito e não importa o sexo”

Sandy, sem preconceitos, em entrevista ao jornal “O Dia”

“Ele foi morto por todos, não foi a primeira vez que houve uma conspiração nos Estados Unidos. O mesmo aconteceu com Martin Luther King Jr. e John F. Kennedy. Sentimos que o mesmo aconteceu com Michael Jackson”

Joe Jackson, pai de Michael Jackson, morto em junho de 2009

“Beleza pode ser um obstáculo, especialmente se essa é a única coisa que interessa para as outras pessoas. Eu também estou ciente de que ser considerado atraente pode ser um fator decisivo para conseguir trabalho na minha profissão. Beleza pode ser entediante se você é um cara que se foca na aparência dele ou na sua todo o tempo. Conheço muitos atores que são completamente obcecados em obter uma certa aparência”

Natalie Portman, sobre os problemas de ser belo

“Eu? Eu estou pendurado. Tô na pendura, meu filho”

Silvio Santos, sobre sua situação financeira em gravação de programa ao lado de Sergio Mallandro

“Não gostaria de ter 20 agora. Eu sei muito mais e estou muito mais confortável com minha pele flácida como está”

Susan Sarandon, aos 64 anos, em entrevista à revista “V Magazine”

“As pessoas falam demais… Pois é, eu nem fui convidada. Na verdade, dia 19 é o aniversário do meu filho”

Danielle Winits, sobre rumores de um possível casamento com Jonatas Faro, em entrevista à Ana Maria Braga

“Sem música não sou nada. Instalei caixas de som por todos os cômodos da minha casa. Cada momento pede um som diferente. Eu só não gosto de som na hora do sexo. Aí o melhor é silêncio mesmo”

Claudia Leitte, reveladora, em entrevista à revista “Claudia”

“Acho ótimo ser vista como uma mulher sexy. É mais uma faceta e faz bem para o meu ego”

Mariana Ximenes, em entrevista ao jornal “O Dia”

“Que eu saiba não. Eu sou a mais gay da família Camargo. Ser gay é atitude”

Wanessa, ex-Camargo, quando questionada se há gays em sua família em entrevista ao “Jornal do Brasil”

“Adoro andar de transporte público. Recentemente, estive em Paris e peguei o metrô. O vagão estava lotado e fiquei ali, segurando o estribo. De vem em quando, ouvia alguém comentar: ‘Mas será que é ele? Não pode ser’. Ninguém chegou perto para testar se eu era realmente Paul McCartney. Mas, também, quem conversa no metrô?”

Paul McCartney, em entrevista à revista “Veja”

Deixe seu comentário aqui: