Mãe é acusada de matar o filho de 7 anos afogado

Tamires foi presa como suspeita da morte do filho

O corpo da criança, Charlison Pablo da Silva Ranoi, de 07 anos foi encontrado por populares no início desta semana, boiando nas águas do Igarapé do Sonrisal, na cidade de Jacareacanga, região Oeste do Pará. Há indícios de que a própria mãe do menino, a doméstica Tamires Sousa Costa, 18 anos, tenha sido a autora do crime. O cadáver da criança foi encontrado na madrugada da última terça-feira, 30 de novembro, depois de 16h desaparecido.

De acordo com os moradores do município de Jacareacanga, o afogamento do menino teria ocorrido na noite de segunda-feira, 29, quando vizinhos perceberam o sumiço do menor, porém, as buscas pelos órgãos de segurança daquela cidade, comunitários e amigos começaram a ser feitas horas depois, mas sem sucesso.

Por volta das 5h30 de terça-feira, o corpo do menino foi encontrado por um casal de indígenas, que foram tomar banho no Igarapé Sonrisal, nos arredores da Igreja de Santa Antonio, em Jacareacanga. Segundo a Polícia Civil de Jacareacanga, uma mulher, que pediu para não ter o nome revelado, mas que se identificou como amiga de Tamires Larissa, revelou que na madrugada do crime, a doméstica voltou para sua casa, com as roupas molhada. A criança apresentava sinais de espancamento, além de também haver a suspeita de que Charlison tenha tido o pescoço quebrado.

Desconfiada da amiga, a trabalhadora procurou o Destacamento da Polícia Militar (DPM) para denunciar o caso. Após suspeitar de que a mãe do menino teria praticado o crime, a Polícia Militar empreendeu diligências e localizou Tamires. Depois de detida, a acusada foi recambiada para o município de Itaituba, onde deverá responder pelo caso, se for confirmado o assassinato.

APRESENTAÇÃO – Por volta das 16h da última terça-feira, 30, Tamires foi apresentada na 19ª Seccional de Polícia de Itaituba, diante do escrivão Haroldo Macedo, onde foi presa sob suspeita de homicídio. Para o cabo PM, Adib, que atua no DPM de Jacareacanga, Tamires é a principal suspeita de ter matado a criança.

Em depoimento a Polícia Militar, o pai do menino, Aélison Ranoi da Silva, 38 anos, disse que Charlison foi dado como desaparecido por volta das 14 horas de segunda-feira, 29, quando juntamente com Tamires procurou pelo seu filho, mas não o encontraram. “Procuramos os policiais, que nos orientaram a retornar pra casa. No dia seguinte, tivemos a notícia de que meu filho estava morto”, lamenta o trabalhador.

INDICIOS – De acordo com a Polícia Militar todos os indícios levam a crer que Tamires tenha sido a autora do crime. Durante o interrogatório na Seccional de Itaituba, segundo o escrivão Haroldo Macedo, aos prantos, a acusada negou envolvimento com o crime. Tamires afirmou que estava com a roupa molhada porque havia saído de uma aula de educação física. O caso está sendo investigado pela equipe do delegado Saulo Sarat, da Seccional de Itaituba.

Por: Manoel Cardoso

Deixe seu comentário aqui: