Onda de frio afeta transportes e mata 60 pessoas na Europa

Mulher caminha em meio à rua encoberta por neve em Berlim, na Alemanha; frio já matou 60 pessoas na Europa

A onda de frio que atinge a Europa há uma semana já causou mais de 60 mortes e alterou o funcionamento dos transportes por terra e ar nesta sexta-feira (3).

A maioria das mortes aconteceu nos países da Europa Central e na Rússia, segundo as autoridades locais. Também houve casos na Alemanha, na França e no Reino Unido.

O Reino Unido é o país mais afetado pelas condições climáticas, que, durante a noite, registraram temperaturas de até – 21,1ºC em Altnaharr, norte da Escócia, e – 15ºC na grande cidade de Edimburgo.

O frio incomum para esta época do ano causou um grande caos nos transportes e uma indignação crescente dos usuários.

O aeroporto de Gatwick, oitavo da Europa por seu número de passageiros, reabriu hoje, depois de dois dias fechado. Trabalhadores passaram a noite retirando neve e gelo das pistas.

Uma oficial da polícia alemã faz guarda nos edifícios do Reichstag, sede do Parlamento, em Berlim, na Alemanha, debaixo de uma forte nevasca. O país está sob forte esquema de segurança por conta das ameaças de terrorismo. A Alemanha sofre ainda com o mau tempo causado pelas tempestades de neve

As autoridades advertiram, em um comunicado, que as condições meteorológicas tornam inevitáveis atrasos e cancelamentos.

O francês Issam Moussaoui, de 28 anos, e sua mulher Ahlen, de 25 anos, esperam poder voltar finalmente para casa, depois de passarem três dias e três noites no aeroporto sem nenhuma informação.

– Ninguém veio nos dizer por que não podíamos partir. Alguns voos saíram nesta manhã, mas o nosso não.

Os atrasos e cancelamentos se repetem nos outros aeroportos do país e também no restante do continente, como no de Frankfurt (Alemanha), o maior da Europa, onde os transtornos obrigaram o cancelamento de 44 voos.

Serviço ferroviário também foi afetado pelo frio

O serviço ferroviário também está afetado. O Eurostar, empresa de alta velocidade que liga Londres a Paris e Bruxelas, cancelou um em cada três trens e anunciou que vai operar com horário reduzido até o próximo domingo (5).

Nas estradas, a situação não era melhor devido à neve acumulada, que também dificulta o transporte de alimentos e combustível.

Embora os serviços meteorológicos esperem que as temperaturas voltem a ficar acima de zero em grande parte do Reino Unido neste fim de semana, eles advertiram que o degelo poderia levar algum tempo.

Dois aposentados morreram nas últimas horas em suas casas, o que eleva para três o número de vítimas britânicas da onda de frio, contando com a mulher que caiu na noite da última terça-feira (30) em um lago congelado.

Sibéria registrou – 51ºC

A Alemanha também registrou hoje sua primeira morte por hipotermia, um homem de 62 anos.

Na Espanha, as autoridades ativaram o alerta laranja em quatro regiões devido a “riscos significativos” de nevascas e o tráfico estava perturbado no centro e no norte do país.

Na França, quase 3.000 lares seguem sem energia elétrica, mas o tempo, que fez três mortos, parece estar também melhorando.

Apesar de mais acostumados, os países do centro e do leste da Europa também sofrem com as temperaturas que chegam até – 51°C na Sibéria.

Ao menos 30 pessoas morreram na Polônia, 11 na Rússia, oito na República Tcheca, cinco na Lituânia e dois na Eslováquia.

Copyright AFP – Todos os direitos de reprodução e representação reservados

Deixe seu comentário aqui: