Desmoronamento deixa prejuízos no Rio

A auxiliar de escitório Patricia Rodrigues chora ao deixar casa interditada (Foto: Roney Domingos/ G1)

Moradores  lamentam  perda de móveis e até de alimentos para a Ceia.Moradores da Rua Mendonça Drummond, na Zona Leste de São Paulo, relataram aliviados como eles mesmos e até seus bichos de estimação escaparam do desmoronamento em série que abalou dezenas de casas nesta quarta-feira (8), mas lamentaram a perda de móveis, da reforma da casa e até de alimentos já comprados para a festa de Natal. Pelo menos 21 casas foram afetadas pelo deslizamento e 45 devem ser interditadas.

“Nosso Natal acabou, compramos a árvore, mas vamos ter que passar a noite na rua”, disse chorando a auxiliar de escritório Patricia Rodrigues, de 24 anos, que, na tarde de quarta, tentava fazer caber dentro do Fusca do pai tudo o que tinha dentro de casa. Mãe da pequena Letícia, de 3 anos, ela disse que passaria a noite na creche da filha. O pai de Patrícia, João Carlos Rodrigues, de 45 anos, fez várias viagens até a Vila Formosa para deixar parte dos móveis com a sogra. “Está muito arriscado, porque pode cair”, afirmou.

Saiba mais

Desabamento deve causar interdição de 45 casas na Zona Leste de SP‘Vi as paredes se abrindo’, diz mulher que perdeu casa em SPA dona de casa Sandra Regina Brandt, de 42 anos, conta que saiu de casa para fazer a matrícula de uma de suas três filhas e, quando voltou, não podia mais entrar. Assim mesmo, desobedeceu o guarda para salvar seu cachorro, Toby. “Ele falou que não podia e colocou a mão no portão, mas assim mesmo eu fui porque o Toby tem medo até de chuva”, contou. Sandra conta que perdeu móveis comprados há 10 dias para a cozinha. “As paredes estufaram, o azulejo quebrou”, conta ela. Quase avó, ela deve passar o Natal na casa de parentes. O cachorro vai para a casa de uma vizinha. Apesar do contratempo, Sandra diz que terá um Natal feliz. “Vai ser feliz porque estou viva e com os meus filhos”, afirmou.

João Carlos Rodrigues manobra Fusca durante mudança para a casa da sogra (Foto: Roney Domingos/ G1)

Penélope Lima, de 16 anos, tinha os olhos vermelhos de chorar. “A gente batalha muito e gasta muito suor para conquistar”, afirmou. A casa da tia dela foi uma das afetadas pelo desmoronamento em série. A tia dela, a encarregada de limpeza Rosângela Aparecida conta que tudo ruiu repentinamente, após um estalo como o de madeira quebrando. A cachorra Pantera latia sem parar, o gato chamado pela dona de Luciano, sumiu. “Caiu uma parte, subiu muita poeira, mas ficou uma casinha no meio. Quando ela caiu, veio tudo rasgando”, contou.

Casas interditadas

O secretário municipal de Coordenação das Subprefeituras, Ronaldo Camargo, disse na tarde desta quarta-feira (8) que pelo menos 45 casas deverão ser interditadas pela Defesa Civil por conta do deslizamento de terra.  Ninguém ficou ferido.

Além das 21 residências afetadas diretamente pelo deslizamento, outras 24 deverão ser interditadas na região. Segundo o secretário, engenheiros da Prefeitura inspecionam cerca de 120 imóveis do quarteirão que também podem ter sido afetadas.

Camargo afirmou que, das famílias que já foram atendidas pelo serviço social, a maioria foi deslocada para casas de parentes e uma foi encaminhada para um abrigo. Ele disse que disponibilizará para os desabrigados um espaço cedido pela Secretaria Municipal de Esportes.

Roney Domingos

Do G1 SP

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *