Goiás perde Sul-Americana para Independiente nos pênaltis, e Grêmio vai para a Libertadores

Goiás luta muito em Avellaneda, mas perde final da Copa Sul-Americana e vê Grêmio na Libertadores

O Independiente de Avellaneda é campeão da Copa Sul-Americana. Nesta quarta-feira (8), a equipe derrotou o Goiás por 3 a 1 no tempo normal e na prorrogação e venceu a disputa das penalidades por 5 a 3. Com esse resultado, o Grêmio está classificado para a Copa Libertadores de 2011.

Rebaixado no Campeonato Brasileiro, o Goiás eliminou o próprio Grêmio e o Palmeiras para chegar a uma final histórica, mas não conseguiu o título, que seria o mais importante da sua história.

Depois de vencer o jogo de ida por 2 a 0, a equipe brasileira poderia até perder por um gol de diferença, mas tomou três logo no primeiro tempo e teve sua “gordura” queimada muito cedo. Nas penalidades, Felipe perdeu sua cobrança e decretou a derrota.

O primeiro tempo foi incrivelmente movimentado. O Goiás tentou evitar a pressão argentina e começou bem. Nos primeiros minutos, comandado por Rafael Moura, o time goiano tentava partir para o ataque e tocar bolas no meio-campo.

Mesmo melhor no início, o Goiás sentiu logo cedo a tensão de uma final em Avellaneda. Com entradas duras, os jogadores da casa tentavam intimidar o Alviverde. E essa “catimba” surtiu efeito. Aos 19min, o Independiente levantou a bola na área, e Matheu soltou uma bomba, defendida por Harlei. Na sobra, contudo, Velázquez empurrou para o gol vazio.

Ainda mostrando personalidade, o Goiás empatou logo em seguida. Aos 22min, Wellington Saci fez bela jogada pela esquerda e cruzou com perfeição para Rafael Moura. O atacante cabeceou consciente e empatou.

Entretanto, o caldeirão de Avellaneda voltou a vitimar o time argentino aos 26min. Mareque fez bela enfiada de bola na área. Ernando cortou, mas a bola bateu em Parra e encobriu Harlei: 2 a 1.

A partir daí, a pressão pesou sobre os alviverdes na etapa inicial. Aos 33min, Parra disputou com Marcão pelo alto. Ambos caíram no chão, mas a bola ficou com o jogador do Independiente. Sem jeito e caído, ele deu um tapa na bola, que por sorte entrou no canto de Harlei. Cabrera ainda teve a oportunidade de fazer o quarto, mas o jogo foi para o intervalo com resultado que levava a disputa para a prorrogação.

Ambas as equipes voltaram sem alteração para o segundo tempo. Apesar de um susto aos 3min, quando Harlei defendeu um chute de Parra, Otacílio Neto quase marcou em chute forte logo depois.

Aos 14min, o mesmo Otacílio Neto marcou, mas o bandeirinha deu um impedimento duvidoso. Pouco depois, Rafael Moura fez bela jogada individual, driblou dois zagueiros e chutou rasteiro, mas o goleiro Navarro salvou.

O técnico Artur Neto colocou Éverton Santos no lugar de Douglas e, mais tarde, Felipe na vaga de Otacílio Neto. Contudo, as substituições não surtiram efeito, e o jogo foi para a prorrogação.

Com medo, ambas as equipes começaram o tempo extra com cautela, mas a primeira chance de gol foi do Goiás. Felipe arriscou chute do bico da grande área e quase marcou. Menos cansado, o time brasileiro começou a tentar o ataque.

Aos 2min do segundo tempo da prorrogação, Rafael Moura fez bela jogada e cruzou. A bola passou pelo goleiro e chegou em Rafael Tolói, que cabeceou na trave. O jogo foi para os pênaltis.

O Independiente acertou todas as suas cobranças, mas Felipe perdeu para o Goiás e acabou com o sonho alviverde.

Do R7

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *