Ademir Andrade perde direitos políticos

Vereador Ademir Andrade (PSB)

O vereador Ademir Andrade (PSB) e o advogado Nelson Marzullo Maia, tiveram os direitos políticos cassados pela juíza da 2ª Vara Federal Hind Ghassan Kayath, que os condenou também a ressarcir os cofres públicos por dano causado pelo contrato 27/2003, firmado entre a Companhia das Docas do Pará (CDP) e a empresa de conservação Brasil Service, cujo valor inicial era de R$ 546 mil, mas, após vários aditivos, até o final de 2006 foram pagos R$ 2.5 milhões pelo serviço de limpeza e conservação.

A sentença se refere a uma das doze ações de improbidade administrativa movidas pelo Ministério Público Federal (MPF) contra Andrade e vários dos então diretores da CDP, após a Operação Galiléia, realizada em 2006 pela Polícia Federal (PF). Junto com Andrade e Marzullo, foram condenados Antônio Ferreira Filho, Fernanda Wanderley Oliveira e as empresas Brasil Service e Amazon Construções e Serviços Ltda, esta última por contrato de prestação de serviços de constrição. Mas, a juíza não cita o valor do ressarcimento.

Ademir Andrade foi denunciado pelo MPF em 2006, que acusou irregularidades em contratos firmados entre a CDP e as empresas Amazon Construções e Brasil Service na época em que era presidente da Companhia. Ademir chegou a ser preso com outras 17 pessoas. Na mesma sentença, Hind Kayath também aponta o contrato firmado entre a CDP e a Amazon Construções em junho de 2003, no valor de R$ 744 mil, que também teve sucessivos aditivos anuais e o valor contratado acabou alcançando R$ 5 milhões.

Diário on line

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *