8º BEC realiza grande Operação Transamazônica

Coronel Aguinaldo da Silva Ribeiro

Desde o inicio deste mês, soldados do 8ª Batalhão de Engenharia de Construção (BEC) estão participando da operação denominada “Transamazônica Viva”. No inicio de dezembro um comboio de veículos operacionais da corporação e soldados saíram do quartel do 8º BEC, em Santarém, com destino à rodovia Transamazônica.

De acordo com o comandante do 8º BEC, coronel Aguinaldo da Silva Ribeiro, a operação “Transamazônica Viva” foi planejada e executada pelo 2º Grupamento de Engenharia e Construção, sediado na cidade de Manaus (AM), tendo como objetivo principal, a atualização de dados sobre as condições de trafegabilidade da rodovia, além de permitir aos demais órgãos participantes conhecer as demandas locais.
O comandante explicou que no momento o 8º BEC não possui Planos de Trabalho para a BR-230. “Ainda não temos previsão de início das atividades de construção”, destacou o militar.

DADOS – Construída em meados da década de 1970, no governo do então presidente do Brasil, Emílio Garrastazu Médici, a rodovia Transamazônica (BR-230) cerca de 39 anos depois, ainda não foi totalmente pavimentada. A estrada de cerca de 5 mil quilômetros, começa em Cabedelo, na Paraíba e termina em Benjamin Constant, no Amazonas.

Nos meses de chuva são constantes os trechos em que predomina a lama. No mês de abril deste ano, devido às fortes chuvas que caíram no Pará, a enxurrada destruiu parte da rodovia que dá acesso à cidade de Altamira.

BR-163 – Preocupado com as condições de trafegabilidade da BR-163 neste período do ano, o comando do 8º BEC enviou uma nota à nossa redação alertando as pessoas que usam a rodovia para transporte de cargas e passageiros, além de veículos particulares, que adotem postura defensiva e prudente ao guiar e evitem transitar durante a noite, principalmente nos horários das 20h até as 06h, quando os riscos são potencializados.

Segundo o 8º BEC, a ocorrência de fortes chuvas aumentou ao longo dos 80 quilômetros em pavimentação da BR-163, provocando o bloqueio temporário em alguns segmentos da rodovia, em decorrência do acúmulo exagerado de água nos desvios realizados em razão da construção de bueiros ou pelo transbordamento de igarapés que ficam às margens da rodovia.

De acordo com o Batalhão, mesmo com os problemas ocasionados pelas fortes chuvas, os serviços de pavimentação e recuperação na BR-163 não serão interrompidos.

Por: Manoel Cardoso

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *