Queima de arquivo – Acusado de crime é executado

Eraldino foi executado dormindo

Tudo indica que o crime pode ter sido queima de arquivo, pela barbaridade com que foi cometido.  Eraldino Cavalcante dos Santos, de 58 anos, acusado de ter assassinado o candidato a vereador Jorge Arcângelo Coelho, em agosto de 2008, encontrou seu fim de forma trágica, foi executado com cinco tiros em sua chácara no município de Uruará. O crime aconteceu na quarta-feira, dia 22, por volta das 6:00 da manhã.

Prisões – No arquivo policial e jurídico está o registro do crime que aconteceu por volta de 21h30 do dia 6 de agosto de 2008. O candidato a vereador Jorge Arcângelo Coelho foi morto a tiros enquanto dormia no sofá de sua casa, no Centro de Uruará. As prisões de Eraldino Cavalcante e do capixaba Waldemar Vieira, conhecido por Caçula, que seria seu cúmplice na morte do candidato, resultaram das investigações realizadas pela equipe da Polícia Civil local, sob coordenação do delegado Cleber Oliveira. Conforme o policial, os presos foram reconhecidos por testemunhas oculares da morte do candidato. A vítima foi morta a tiros enquanto dormia.

Eraldino foi a júri popular em 2009, um julgamento longo que na época teve início por volta das 10:30 horas do dia 19 de novembro de 2009, e  só terminou no dia seguinte, dia 20, às 3:00 da madrugada. Eraldino foi absolvido,  livre das acusação de crime.

As prisões de Eraldino e Waldemar resultaram das investigações realizadas pela equipe da Polícia Civil local, sob coordenação do delegado Cleber Oliveira. Conforme o policial, os presos foram reconhecidos por testemunhas oculares da morte do candidato. A polícia trabalha com a hipótese do crime ter sido por vingança, uma “simpes” queima de arquivo, conforme classificam os pistoleiros profissionais.

Por: Carlos Cruz

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *