Saudades de “Dororó”

WILDE DIAS DA FONSECA, conhecido como Maestro Dororó

WILDE DIAS DA FONSECA, conhecido como maestro Dororó, nasceu em Santarém (PA), em 13 de dezembro de 1919, e faleceu, nesta cidade, em 28 de outubro de 2010. Era filho do maestro e compositor José Agostinho da Fonseca (patrono da Cadeira nº 24 da Academia Paraense de Música) e Anna Dias da Fonseca.

Irmão do compositor Wilson Fonseca (maestro Isoca), da professora e pianista Maria Annita Fonseca de Campos, do poeta e escritor Wilmar Fonseca e da soprano Adahyl Fonseca. Dororó era músico, professor, historiador, compositor e maestro, além de cantor (barítono-baixo). João Paulo, filho do maestro, nos recebeu para falar um pouco sobre a figura de Wilde da Fonseca – pai. Suas palavras foram descritas em uma carta escrita pelo filho intitulada:

Carta ao meu Pai (João Paulo)

Meu pai, fui incumbido de escrever em algumas linhas todo o significado que o senhor teve para mim, onde a missão parece ser umas das mais difíceis visto que fostes tanta coisa pra mim que se torna indescritível.

Gostaria que pudéssemos estar juntos para trocar novas experiências, porém, não nos é permitido. Talvez eu nem conseguisse dizer-te, nenhuma palavra dessas que estou a proferir. Aqui eu sei, que minhas lágrimas não são visíveis, e não nos fitamos olho no olho. Aqui minha emoção, fica quase imperceptível, é camuflada pela composição das linhas que se seguem.

Minha vida parece transcorrer normalmente, mas muita coisa já mudou, desde a sua partida. Algumas noites, no silêncio do meu quarto, eu sentia sua presença, que mesmo ausente, se fazia presente dentro de mim, mas graças a Deus começa passar um vídeo somente de coisas boas, que por sinal, não tenho o que reclamar absolutamente nada, visto que não recordo de absolutamente nada de alguma coisa que tenhas feito para entristecer nossa família. Vocês (pai e mãe) sempre foram muito presentes em nossas vidas por isso acredito no poder que a família tem. São inúmeras coisas que recordo desde a minha infância porém duas coisas foram muito marcantes em especial da minha vida. Agradeço a Deus pela sua longevidade e de poder mostrar um pouco de tudo aquilo que eu sempre sonhei fazer. Existem em duas dores imensuráveis, uma de sua perda, outra quando eu tive oportunidade de pedir para ir embora para estudar o que eu sempre quis – A Música. Lembro-me como fosse hoje, você e a mamãe sentados conversando e eu pedindo um sonho. Vocês prontamente me aceitaram e apoiaram plenamente em minha decisão. Suas palavras foram marcantes principalmente em minha partida. Por vários momentos difíceis eu pensei em abandonar tudo para viver novamente com vocês. Quantas vezes de férias a Santarém eu aperreava meus irmãos de tanta felicidade em poder estar novamente junto de todos. Nunca disse isso ao senhor, mas a cada partida achava que não encontraria mais. Pedia a Deus de poder me formar e começar a trabalhar em Santarém com a Música e acima de tudo mostrar todo o esforço o sacrifício e o investimento feito em mim. Essas glórias graças a Deus eu ainda consegui fazer e te mostrar em vida e você muitas vezes exageradamente se orgulhando das feitorias principalmente as relacionadas com a Filarmônica, essa instituição que criaste, doaste boa parte de sua vida e que hoje ali eu continuo depositando todo o meu esforço onde ali me ajudaste a crescer.

No meu entender, partiste cedo. Mas meu espirito pouco evoluído, ainda não consegue compreender, os desígnios de Deus. Sei que estás bem, usufruindo das glórias celestiais, pois foste a melhor pessoa que conheci neste plano. Um ser tão amoroso, de olhar tão transparente.

Pai…meu amado Pai, tua lembrança é vida entre nós. Em cada dia que amanhece, uma gota de saudade é acrescentada aos nossos corações.

Agradecer o muito que fizeste em tua vida. O pai amoroso, íntegro, o amigo fiel e companheiro. Os conselhos, a alegria, marca registrada da tua pessoa, do teu amor a vida e a família. Os muitos momentos em que te tornaste o meu porto seguro.

Não encontrarei palavras, com significa suficientemente válidos, para expressar a minha gratidão, o meu amor e a minha saudade. Fica meu Pai, junto ao nosso Senhor Jesus Cristo, e interceda a ele, por todos nós, seres frágeis e impotentes. Essa carta que ultrapassa os limites do universo e alcança a tua pessoa, esteja você onde estiver. Porque não há meu Pais, distância que me separe da tua alma e nem tampouco que apague a chama do amor que tu plantou em nossa família.

De quem te ama e sente eternas saudades de você. Do seu filho:

João Paulo (www.geosociedade.wordpress.com)

Por:  Sidnei Rocha (Professor da rede estadual e municipal, formado em Geografia)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *