Antibiótico só com receita em duas vias

Apartir de hoje, todas as farmácias do território brasileiro são obrigadas a comercializar antibióticos com receitas em duas vias. A determinação é da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), por meio da Resolução da Diretoria Colegiada (RDC) nº 44, de 26 de outubro deste ano e em vigor desde o dia 28 de novembro. As farmácias tiveram um mês para se adequar à norma. Entretanto, no interior do Pará, vários estabelecimentos continuam vendendo o produto até mesmo sem a primeira via da receita.

O consultor de vendas Robson Augusto de Jesus Jr., de 23 anos, revela ter comprado em Castanhal, no final do mês passado, pouco tempo depois de ter sido publicada a determinação da Anvisa, um antibiótico para tratar uma gripe forte. Apesar de afirmar ser contra a administração de medicamentos sem orientação médica, ele tomou o remédio após a indicação de uma amiga farmacêutica.

“É preciso ter o controle, porque a automedicação é perigosa. No meu caso, comprei depois de falar com uma farmacêutica e quando não é ela quem indica, a prescrição é feita pelo meu tio, que é médico”, explica. Robson comenta que o risco é o uso aleatório de medicamentos, sobretudo, quando a “prescrição” é feita por leigos.

O Liberal

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *