Governo batalha para 'ressuscitar' viaturas

Há quatro meses abandonadas no Comando-Geral da Polícia Militar (PM), 58 viaturas passaram ontem (10) por uma inspeção para analisar suas condições de uso. Durante a manhã, técnicos do Instituto Médico Legal (IML) estiveram no local tirando fotos, conferindo o interior dos veículos e o estado de suas peças, a fim de dar início à perícia, que vai definir quais veículos podem voltar à circulação e o tempo de reparo. Além dos 58 carros estacionados na área de manutenção, oito motocicletas e duas lanchas também estão paradas, por problemas de falta de pagamento.

Segundo o comandante-geral da PM, coronel Mário Solano, a ordem é reaproveitar o mais rápido possível o máximo de viaturas, para que elas voltem a servir à população. Para isso, o governo do Estado vai destinar uma verba emergencial a fim de colocá-las novamente no policiamento das ruas. O valor será definido após a conclusão da perícia técnica do IML, prevista para o início de fevereiro. “Somente depois da conclusão das análises e apresentação do orçamento de reparo dos veículos teremos condições de indicar quantos voltarão às ruas e quando”, afirmou o Major Leno Carmo, assessor da instituição.

QUASE SUCATAS

Recolhidos para manutenção, os automóveis nunca mais voltaram para o policiamento do Estado e se deterioraram gradativamente, expostos diariamente a sol e chuva. O estado de conservação é variado. Enquanto alguns precisam apenas passar por uma revisão e trocar pneus, outros estão visivelmente deteriorados, com bancos, portas e vidros danificados. A maior parte da frota abandonada é composta por modelos dos anos 2008 e 2009, que estão, portanto, dentro do tempo de vida útil de uso.

O abandono dos equipamentos foi verificado pelo governador Simão Jatene, em vistoria no último sábado. A assessoria da Polícia Militar afirma que não recebeu da gestão anterior nenhuma informação acerca dos veículos. “Não sabemos a data exata em que foram colocados aqui nem o motivo para não terem retornado ao serviço”, diz o Major Leno Carmo.

Sobre o contrato do aluguel de 410 viaturas, assinado em julho de 2010, o comando-geral afirma que o governo do Estado está analisando o caso. Polêmico em razão de ter sido homologado sem licitação e com uma empresa que responde a processos em outros estados, o assunto é tratado com cuidado pela nova administração. Atualmente, 410 viaturas estão distribuídas em todo o Estado, das quais 180 apenas na Região Metropolitana de Belém.

Diário do Pará

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *