Governo discute solução para concursados do Estado

Mais de cinco mil pessoas aguardam, há quatro anos, para conseguir o que é deles por direito: assumir seus cargos no Estado. São pessoas que passaram em concursos públicos e até hoje não foram nomeadas pelo governo.

Nesta terça-feira (11), o chefe da Casa Civil, Zenaldo Coutinho, recebeu uma comissão desses profissionais. Durante a reunião, ocorrida no Palácio dos Despachos, Zenaldo ouviu caso a caso e deixou claro que este é apenas o primeiro passo na busca por uma solução para o problema. ‘Esse momento foi histórico para nós. Pela primeira vez, conseguimos passar do portão da Casa Civil. Pela primeira vez, fomos ouvidos’, disse o presidente da Associação dos Concursados do Pará (Asconpa), José Emílio Almeida.

Durante duas horas de reunião, os concursados expuseram ao chefe da Casa Civil algumas questões críticas, uma delas o prazo destes concursos públicos, alguns inclusivem devem expirar já este ano.

O caso mais grave é o concurso da Procuradoria Geral do Estado (PGE), que vence no dia 20 de março e não pode mais ser prorrogado. ‘Estamos desesperados porque ainda faltam 14 pessoas para serem chamadas e até agora nada aconteceu’, enfatizou Ana Rita, que foi aprovada no concurso.

Denúncias – Defensores públicos que aguardam por nomeação denunciaram que dos 148 aprovados, apenas 57 foram chamados. E o mais grave: ‘Existem 83 municípios do Pará sem defensor. Hoje em dia, um defensor tem que atender a população de três ou quatro municípios’, lembrou José Emílio.

Zenaldo Coutinho expôs aos concursados as principais dificuldade que o Executivo Estadual enfrentará neste início de gestão. ‘Estamos com um déficit de R$ 80 milhões só para este mês de janeiro e com uma dívida de R$ 750 milhões para este ano. Mas temos certeza que vamos superar esses problemas. Essa é fase inicial do governo, de diagnóstico, porém, estamos dispostos a encontrar o remédio’.

O chefe da Casa Civil afirmou que o governo já está fazendo o levantamento de todos os contratos temporários. Segundo ele, a regra será manter apenas os temporários que excepcionalmente precisam permanecer no cargo. Enfatizou, ainda, que o encontro de hoje foi apenas o primeiro com os concursados. ‘Vamos marcar outras reuniões e vamos continuar seguindo esse caminho juntos’, finalizou.

ORM

notapajos.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *