Padilha vem avaliar dengue no Pará

O ministro está percorrendo os 16 estados que estão com risco alto (Foto: Agência Brasil)

A dengue tipo 4 voltou a surgir no país e o risco de uma epidemia nos estados da Amazônia – que já tem ocorrência de casos, como Roraima, Amazonas e Pará – é grande. Por conta desse quadro, o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, estará em Belém hoje participando de uma reunião, às 16h30, no Hospital de Clínicas Gaspar Vianna, com o secretário estadual de Saúde Pública, Hélio Franco, e secretários municipais da área para apresentar a Estratégia Nacional de Controle da Dengue.

A agenda do ministro, que vem na companhia do secretário de Vigilância em Saúde do MS, Jarbas Barbosa, e outros técnicos do governo federal, prossegue amanhã, às 10 horas, quando visitará o prédio e as instalações da Unidade de Alta Complexidade em Oncologia (Unacon), fruto de uma parceria entre o Ministério da Saúde, Instituto Nacional do Câncer-Inca, Secretaria Estadual de Saúde-Sespa e Secretaria Municipal de Saúde de Belém-Sesma. A unidade funciona no Hospital Barros Barreto e é vista como prioridade. O plano é que ela entre em funcionamento até junho.

De acordo com o secretário estadual, o ministro está percorrendo os 16 estados que estão com risco alto ou médio de epidemia de dengue, caso do Pará, cujas condições climáticas – chuva, umidade e calor – colaboram para a proliferação do mosquito. “Nós estamos num período crítico de inverno, que segue até maio, e aliado à questão sanitária no estado, contribui para que os ovos de Aedes aegypti, que resistem até 8 dias, se multipliquem em locais com água parada”.

O secretário Hélio Franco esteve reunido na manhã de ontem com representantes da Sesma, MS e o Instituto Evandro Chagas (IEC) para discutir os principais pontos do Plano Estadual de Controle da Dengue. Um caso de dengue tipo 4 foi confirmado no Pará, no município de Santarém Novo, e outro caso suspeito, originário de Abaetetuba, ainda está sendo analisado.

O secretário explicou que órgãos de saúde e os pesquisadores do IEC estão investigando Santarém Novo, Salinópolis e Icoaraci, este último sendo o local confirmado pela Sespa onde houve a contaminação do primeiro paciente diagnosticado com dengue 4 no Pará. Também sob investigação está Abaetetuba.
“Para combater a dengue, estamos ampliando de 32 para 70 os municípios prioritários onde as ações estão sendo intensificadas. Sabemos que não temos a possibilidade de erradicar o vetor, mas se aos poucos formos eliminando os focos de proliferação dele, podemos diminuir a circulação do vírus”, justificou Hélio Franco.

O titular da Sespa apontou também que, detectados os sinais de febre, dor de cabeça e fraqueza muscular, é importante procurar hidratar-se com soro caseiro e procurar o serviço de saúde mais próximo para realizar o teste do Laço. “Sugeri que o Pará siga o método tailandês, em que todo paciente com febre alta, dor de cabeça, dor no corpo e prostração é tratado como caso de dengue”, esclareceu Franco.

Durante a reunião de ontem, também foi levantada a necessidade de maior financiamento federal para atenção básica no Pará, e reuniões periódicas com os municípios da Região Metropolitana de Belém para avaliação do andamento das ações.

Diário do Pará

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *