Governo divulga patrimônio público abandonado

Um triste retrato do Estado do Pará. Fotos divulgadas pelo atual governo do Estado no site ‘Diagnóstico Pará’ mostram um completo descaso e abandono dos prédios públicos. As imagens revelam que não houve preocupação do antigo governo com o patrimônio público: são móveis e estruturas deterioradas; infiltrações, buracos no forro, no piso, na parede; carros quebrados, sem manutenção; macas enferrujadas, sujeira, entre outras situações críticas.

A Fundação Santa Casa de Misericórdia do Pará é uma das que apresentam o pior diagnóstico. Por se tratar de saúde pública, a Fundação deveria primar pela higiene do local. Uma das fotos mostra a lavanderia do local, com baldes cheios de ataduras, encharcadas de sangue, marcas de mofo nas paredes e mais marcas de sangue no chão.

Na Seduc, o forro apresenta buracos e as paredes, infiltrações. A fiação elétrica em está solta, sem proteção, próximos a arquivos de papel, o que pode representar risco de incêndio. No terreno do órgão, um carro quebrado, já sucateado.

Segundo o Governo, o Diagnóstico Pará surge para cumprir o compromisso assumido pelo governador Simão Jatene de estabelecer o máximo de transparência nas relações entre o governo e a sociedade. Os secretários e titulares de órgãos já começaram a trabalhar, fazendo um levantamento de como receberam o Estado. Neste espaço o governo pretende compartilhar a real situação em que o Estado foi entregue.

Ney Messias, Secretario de Comunicação do Pará, explica que os órgãos estão preparando um relatório, com base em 14 itens de avaliação, que vão detalhar, entre outros aspectos, a situação financeira das secretarias. “Apresentamos uma prévia da situação física, que mostra o descaso, imagine o que vem nos relatórios”, diz Ney.

A Fundação de Telecomunicações do Pará (Funtelpa) é um exemplo que Ney cita como um dos mais críticos dentre os órgãos sucateados. “A Funtelpa tinha R$ 30 milhões para serem investidos, gastou R$ 4 milhões com a construção do novo prédio e R$ 4 milhões com um transmissor analógico. E o resto da verba, onde foram parar os investimentos?”, questiona Ney.

Segundo o secretário, quando as secretarias consolidarem as informações, o governo vai se pronunciar publicamente e as informações do relatório vão para o site Diagnóstico Pará. No momento, as secretarias enfrentam dificuldade para encontrar e organizar todas as informações necessárias para a construção do relatório oficial.

(Thais Rezende, DOL)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *