'Parece um sonho', diz Vik Muniz sobre indicação ao Oscar

Vik Muniz diz que quer levar catador para Hollywood (Foto: Zé Paulo Cardeal/Divulgação)

“Parece um sonho”: é assim que o artista plástico brasileiro Vik Muniz diz ter recebido nesta terça-feira (25) a notícia de que o filme “Lixo extraordinário” vai concorrer ao Oscar de melhor documentário. O longa-metragem, que é uma coprodução entre Brasil e Reino Unido, mostra o trabalho de Muniz com catadores de lixo no Rio de Janeiro.

“Estou muito feliz, porque foi uma história que começou por acaso e virou um filme de grande importância, porque consolida um grupo social e mostra o verdadeiro valor do lixo”, afirmou o artista em entrevista ao G1 por telefone, minutos após saber da indicação.

Vik Muniz diz que acredita na vitória de “Lixo extraordinário” na premiação da Academia, que acontece dia 27 de fevereiro. “Entre os filmes indicados, é o mais forte, o mais premiado, nossas chances são muito grandes”.

Dirigido por pela inglesa Lucy Walker em uma coprodução com a brasileira O2 Filmes, o documentário disputa o Oscar da categoria com “Exit through the gift shop”, do artista plástico Banksy; “GasLand”, de Josh Fox; “Trabalho interno”, de Charles Ferguson; e “Restrepo”, de Tim Hetherington e Sebastian Junger.

TRAJETÓRIA EXTRAORDINÁRIA
Veja os prêmios de ‘Lixo extraordinário’ em 2010
Janeiro de 2010 Sundance
Prêmio do Público de Melhor Documentário Internacional
Fevereiro de 2010 Festival de Berlim
Prêmio da Anistia Internacional (AI)
Prêmio do Público de Melhor Documentário – Mostra Panorama
Março de 2010 Festival True/False (EUA)
Seleção oficial

Dallas International Film Festival (EUA)
Prêmio Target Film Maker – Melhor Documentário
Abril de 2010 Full Frame Documentary Festival (EUA)
Prêmio do Público de Melhor Documentário
Maio de 2010 Hot Docs (Canadá)
Um dos 10 favoritos do público
Junho de 2010 Province Town International Film Festival (EUA)
Prêmio HBO do Público – Melhor Documentário

Seattle Film Festival (EUA)
Prêmio Golden Space Needle – Melhor Documentário

Maui FIlm Festival (EUA)
Prêmio do Público de Melhor Documentário Internacional

Julho de 2010 Festival de Paulínia (SP)
Prêmio do Público de Melhor Documentário
Prêmio Especial do Júri
Agosto de 2010 Durban International Film Festival
Prêmio de Melhor Documentário
Prêmio do Público de Melhor Filme
Prêmio da Anistia Internacional (AI)
Setembro de 2010 Festival do Rio
Première Brasil Hors Concours
Outubro de 2010 Ecofocus Film Festival
Prêmio do Público de Melhor Longa-Metragem Documentário

Trinidad e Tobago Film Festival
Prêmio do Público de Melhor Documentário

Flagstaff Mountain Film Festival
Prêmio do Juri

Vancouver International Film Festival
Rogers People’s Choice Award

Novembro de 2010 Mostra Internacional de Cinema de São Paulo
Prêmio Itamaraty de Melhor Documentário

Amazonas Film Festival
Prêmio Especial do Júri

International Documentary Film Festival Amsterdam
Prêmio do Público

Stockholm Film Festival
Silver Audience Award

International Documentary Association’s Awards
Pare Lorentz Award

Por conta das filmagens no Brasil, “Lixo extraordinário” teve participação fundamental de dois diretores do país, João Jardim e Karen Harley – que, no entanto, não aparecem na listagem de indicados divulgada pela Academia por constarem como “codiretores” nos créditos oficiais.

A pernambucana Karen Harley, que no início fazia a montagem do filme para João Jardim, acabou assumindo também a codireção mais tarde. “Quando o projeto começou, o que a gente sabia era que estávamos lidando com um assunto muito poderoso. A grande surpresa foi descobrir que pessoas são essas, que fazem um trabalho tão desumano, tão marginalizado”, disse Harley em entrevista ao G1.

Em comunicado divulgado por sua assessoria de imprensa, Jardim comemorou a indicação afirmando que “a mistura do olhar estrangeiro com o olhar brasileiro deu força para o filme”.

Catador em Hollywood
Gravada ao longo de três anos, “Lixo extraordinário” acompanha um projeto social de Vik Muniz com catadores do lixão de Gramacho, em Duque de Caxias (RJ) – considerado o maior da América Latina e cenário de outro documentário premiado, “Estamira” (2004), de Marcos Prado.

“Essa indicação surge em um momento muito oportuno, porque o lixão de Gramacho vai fechar em 2012 e não se sabe o que vai acontecer com os catadores. O Oscar pode dar visibilidade para a questão deles, que é a mais importante do filme”, afirmou a codiretora pernambucana, que disse não saber ainda se vai estar na cerimônia do Oscar.

Vik Muniz, por sua vez, já faz planos. “Agora tenho outro desejo, que é levar o personagem do filme, o Tião, para Hollywood, para subir no palco e receber o prêmio”, conta o artista, referindo-se a um dos catadores retratados no longa-metragem. “Nada mais justo do que homenagear essas pessoas, que fazem desse filme tão especial.”

O paulista Vik Muniz é conhecido por produzir fotografias que reproduzem imagens artísticas usando materiais inusitados como açúcar, chocolate, lixo, diamantes, poeira e outros. Seu trabalho pôde ser visto recentemente na TV na abertura da novela “Passione”.

Em cartaz desde a última semana nas cidades de São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Salvador, “Lixo extraordinário” teve uma trajetória vitoriosa ao longo de 2010 em diversos festivais internacionais e nacionais dos quais participou (veja a lista acima).

Do G1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *