Movimento pelo Estado do Tapajós repudia Zenaldo Coutinho

A solicitação de um novo estudo sobre a divisão territorial do Pará, solicitado na semana passada pelo chefe da Casa Civil licenciado e Deputado Federal, Zenaldo Coutinho (PSDB), virou alvo de críticas da população do Oeste do Pará. A coordenação do Movimento Pela Criação do Estado do Tapajós declarou que repudia a atitude do deputado Zenaldo Coutinho.

O presidente do movimento pela criação do Estado do Tapajós, Edivaldo Bernardo, garante que o primeiro estudo sobre a divisão territorial do Pará foi realizado pelo Instituto de Pesquisa Econômica de Brasília, a pedido do deputado federal Giovani Queiroz (PDT). Edivaldo Bernardo reforça que o estudo feito pelo Instituo de Pesquisa de Brasília dividiu o Estado em três partes, entre eles, Tapajós, Carajás e Pará.

No final do governo Lula, o deputado Zenaldo Coutinho, coordenou um grupo político que impediu várias votações a favor do Plebiscito para a criação do Estado do Tapajós, na Câmara Federal, em Brasília.

Para Edivaldo Bernardo, um novo estudo sobre a divisão territorial do Pará não poderá impedir a votação do pedido para o Plebiscito, mas deverá atrapalhar o trâmite em Brasília.

Por: Manoel Cardoso

Um comentário em “Movimento pelo Estado do Tapajós repudia Zenaldo Coutinho

  • 20 de Fevereiro de 2011 em 16:26
    Permalink

    Sou a favor do Pará.

    Mora em
    carajás a 29 anos, sei que está região está cheia de forasteiros doidos para dividir nosso estado, não pensamos que eles estão preocupados com o povo, eles estão mesmo é querendo revender as propriedade já adequiriram no nosso estado.
    Vale lembrar que a maior riquesa do nosso estado está no sudeste do Para ou deja, se perdermos esta região, estamos fritos.

    Resposta
  • 18 de Fevereiro de 2011 em 09:42
    Permalink

    Quem é Giovanni Queiroz para falar me nome do povo paraense? Para quem não sabe, é um latifundiário, que envia toda a sua riqueza para Goiania onde é sua verdadeira residência, foi prefeito de Conceição do Araguaia e Redenção e estes municipios melhoraram quando ele saiu das prefeituras; se ele não conseguiu mudar o municipio, ao contrário precarizou-os, imagine sendo governador. Quem são os lideres separatistas? Quais aão os seus reais interesses? O sul do Pará assim como a Região do Tapajós, do qual nasci, ficou na penuria porque não soubemos votar. Analisem o perfil dos Deputados Federais Eleitos. Giovanni e Zequinha Marinho eleitos com votos da população de Conceiçã do Araguaia nem aparecem na cidade. Por isso, muito cuidado! Há muito lobo em pele de cordeiro se aproveitando da situação do povo. Eles sabem que o povo paraense tem muitas necessidades e utilizam isso como propaganda para alcançar o poder, e no final, tudo fica como está; ou pior.
    Por que não lutamos para separar o Pará do Brasil, seria justo para quem foi (a Amazônia) abandonado e negociado durante séculos pelo Sul, Sudeste e Centro Oeste.

    Resposta
  • 6 de Fevereiro de 2011 em 01:50
    Permalink

    É no que dá eleger politico ANTA quem nem esse tal de ZENALDO COUTINHO. O carinha na época de politica vive mendigando o voto do pessoal do Baixo Amazonas para se eleger, em especial do povo de Prainha e Almeirim, e agora quer nos passar a perna???!!!, estamos te esperando na próxima eleição, se é que vai ter a cara de pau de aparecer por aqui!!!

    Resposta
  • 3 de Fevereiro de 2011 em 10:44
    Permalink

    Isso nos faz refletir que à partir de agora, toda a sociedade santarena deverá se unir e requerer apoio dos Políticos da Região para termos poder de pressão; acredito como muitos que a divisão do estado só nos trará benefícios; passamos décadas esquecidos e nossa região precisa de oportunidades para desenvolver, gerar empregos e rendas com outra mentalidade, com outras administrações Estaduais; o desenvolvimento só chegou para os municípios próximos da Capital Belém, fato que vem nos dá o exemplo como nossos Governadores priorizam suas ações regionais; ESTADO DO TAPAJÓS, SIM E URGENTE.

    Resposta
  • 3 de Fevereiro de 2011 em 09:56
    Permalink

    Sinceramente acho que há aqui uma inversão de papéis. Se um político faz um movimento contra nossos interesses então façamos um movimento contra o político. Vamos chamá-lo para uma audiência pública em Santarém ou vamos protestar com uma ação popular na câmara federal contra esse pseudo defensor do povo.

    Resposta
  • 3 de Fevereiro de 2011 em 08:22
    Permalink

    Espero que esse contratempo não seja uma barreira permanente e que processo criação do estado ande, para nossa Santarém e demais cidades pensão se desenvolver gerando emprego e renda.

    Resposta
  • 3 de Fevereiro de 2011 em 00:33
    Permalink

    SANTARENOS E POVO DA REGIÃO OESTE, MAS PRECISAMENTE POVO DO TAPAJOS.VOCES PRECISAM SAIR NAS RUAS ,FAZEREM MANIFESTAÇÕES CONTRA ESSE NOVO ESTUDO PARECE QUE VOCES RECEBEM A NOTICIA E FICAM VENDO NO QUE VAI DAR!!
    PELO AMOR DE DEUS UNAM-SE, FAÇAM CARTAZES, FAIXAS SAIAM AS RUA NÃO VAMOS FICAR SO NA ESPERA DOS ORGANIZADORES DA DIVISÃO DO ESTADO DO PARÁ MOSTREM QUE VOCES SANTARENOS NÃO TEM SANQUE DE “BARATA”.
    EU SOU DE BELÉM,AQUI AS PESSOAS CHAMAM A REGIÃO OESTE DE “A BANDA PODRE DO ESTADO”,SE VOCES NÃO SABEN ,MAS REALMENTE TA PARECENDO ,NUMA REPORTAGEM DO HELENILSON PONTES(VICE GOVERNADOR DO ESTADO DO PARÁ)ELE DISSE QUE A REGIÃO OESTE DO ESTADO OU SEJA BAIXO-AMAZONA E TAPAJOS E REGIÃO QUE DE TODO O ESTADO E A QUE RECEBE MENOS INVESTIMENTOS.
    POR FAVOR!!!!!!!
    NÃO FIQUEM CALADOS ESSE ZENALDO COUTINHO TA MOSTRANDO QUE NÃO GOSTA NEM UM POUDA SUA REGIÃO E QUE NÃO ESTA NEM AI PRA VOCES!!!
    EU SOU DE BELÉM E SUPER A FAVOR DA CRIAÇÃO DOS NOVOS ESTADOS.
    ABRAÇOS PRA VOCES DO TAPAJOS
    DESPERTEM!!!!
    ANTES QUE SEJA TARDE DE+.

    Resposta
  • 2 de Fevereiro de 2011 em 18:21
    Permalink

    Político é desse jeito. como pode deixar esta mamada de tanto dinheiro, concentrado e repassado aos locais eleitorais deles. Parabéns ao Impacto por nos mostrar a cara desses políticos que buscam interesses próprios.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *