Professor denuncia abandono do ensino modular

Professor Ulisses Medeiros critica descaso com educação

O Vereador e professor Ulisses Medeiros conversou com nossa reportagem na manhã d eterça-feira. Ao analisar o SOME – Sistema de Organização Modular de Ensino (órgão do governo do Estado), o professor criticou a gestão da ex-governadora Ana Júlia, dizendo que “a falta de ação do governo anterior diminuiu o número de professores que lecionavam no Ensino Modular no Município. Em 2006 haviam 12 professores do Ensino Modular em Belterra atuando nas Comunidades de Maguary, Prainha (área do Tapajós), Corpus Christi e São Jorge (BR 163). No término do governo de Ana Júlia, o Município ficou apenas com dois professores”.

Ulisses Medeiros enfatizou que existem alunos da rede pública estudando em barracas de palha nos vilarejos de Maguary e Prainha. Outra dificuldade enfrentada pelos alunos, citada pelo professor, foi o transporte escolar. “Devido a falta de transporte, alunos estão sendo prejudicados. Temos alunos do 1º e 3º anos precisando de matérias do ano de 2009/2010. Os alunos da turma do 3º ano que deveriam em 2011 participar de concursos e vestibulares, estão abandonados em suas comunidades. A durabilidade do aprendizado do Ensino Médio é de três anos, mas pela falta de assistência do governo os alunos podem precisar de quatro anos para concluir o sua pré-formação acadêmica”, comentou.

Escola em Nova Canaã só começou

Ulisses também informou que em todas as comunidades de Santarém onde há o Ensino Modular, o alunado está recebendo a oportunidade de concluir o segundo grau, porém, em Belterra a falta de transporte contribui ara uma grande evasão escolar. Muitos alunos estão deixando suas residências em Belterra com objetivo de concluir o Ensino Médio em Santarém, aumentando o gasto financeiro familiar.

 

“O governo quem tem cujo slogan ‘Mais prosperidade para Belterra’ tem convênio com o governo Estadual, portanto, recai sobre a Prefeitura também a responsabilidade do atraso da conclusão do Ensino Médio em tempo hábil nas quatro comunidades”, finalizou o vereador Ulisses Medeiros.

Mais escolas abandonadas – Prosseguindo com a série de reportagens sobre a educação de Belterra, encontramos mais uma construção de escola abandonada pelo poder público. O descaso se repete na Comunidade de Nova Canaã, na BR-163. Segundo moradores, algumas sacas destinadas à construção só não tiveram o prazo de validade vencido, porque os próprios moradores se reuniram e iniciaram a construção da escola. Além da escola estar localizadas distante do centro de Belterra, as freqüentes chuvas contribuem para que a construção seja tomada pelo mato.

Jornal O Impacto

Um comentário em “Professor denuncia abandono do ensino modular

  • 25 de março de 2011 em 02:32
    Permalink

    parabéns ulisses pela defesa da educação em belterra e continue sempre assim lutando e defedendo belterra. ” deixo aqui um apelo a todos os belterrenses, temos que ter um prefeito de nossa terra da nossa cidade e de preferência jovem que concerteza sabe dasa necessidades da população sem demagogia mais deixem de se levar pro propostAS DE PESSOAS QUE NUNCA VIVERAM EM BELTERRA COMO ESSE TAL DE PASTANA, VAMOS ELEGER O ULISSES ELE SIM TEM CORAGEM E É UM VERDADEIRO BELTERRENSE, VAMOS DEIXAR DE SER INGÊNUOS E VAMOS DAR UM BATA NESSES APROVEITADORES E GOLPISTAS QUE SÓ QUEREM SE APROVEITAR DE BELTERRA, TÔ COM VÇ ULISSES E TENHO CERTEZA QUE OS JOVENS DE BELTWERRA TAMBÉM. MUDANÇAS JÁ!!!!!!!!!!!!!!!

    Resposta
  • 23 de março de 2011 em 16:36
    Permalink

    um cometario em comum o veriador reginaldo lobo em pregol toda a sua familiar nas segretarias do municipio por que ele so pensa na sua familiar

    Resposta
  • 23 de março de 2011 em 16:29
    Permalink

    eu gosta ria de saber por que o governado atul retirou a verba da casa familiar rural de belterra nao tem esplicaçao

    Resposta
  • 11 de fevereiro de 2011 em 18:56
    Permalink

    Gostaria de entrar em contato com o professor Ulisses, pois tenho interesse em saber tudo sobre o Some nesses municípios o qual ele faz a denúncia.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *