Mosquito da Dengue se alastra nos cemitérios de Santarém

A equipe de Vigilância Sanitária do Município bem que faz a sua parte, porém, a população ainda continua jogando lixo nas ruas, deixando entulhos em terrenos baldios, ou seja, contribuindo com a sujeira em locais públicos e terrenos abandonados. A triste conclusão é que a população contribui a cada dia para aumento dos focos de Dengue, tanto em Santarém como em outros municípios da região.

Recentemente uma equipe de televisão de Santarém  mostrou a falta de higiene que prolifera nos cemitérios da cidade, com sepulturas cheias de vazilhas com água parada, ou seja, criatórios de mosquito da Dengue a céu aberto. Só para se ter uma idéia, em somente um dia foram encontrados 300 focos do mosquito transmissor da Dengue. Por conta dessa situação, os moradores de áreas vizinhas ao Campo Santo estão sofrendo no corpo os sintomas da doença. Na avenida Presidente Vargas, esquina com a travessa Sete de Setembro, vários terrenos baldios servem como depósitos de lixo e esconderijo de bandidos, sem contar outros casos onde piscinas são abandonadas com água parada.

Os donos dos terrenos deveriam providenciar a limpeza desses imóveis, pois deixando abandonados, contribuem para aumentar o índice da marginalidade e também para o crescimento de casos de Dengue. A equipe do jornal O Impacto esteve nesses locais e constatou que a população também tem sua parcela de culpa na proliferação do mosquito da Dengue, sem contar outros problemas resultantes dos entulhos que são jogados nas ruas, desrespeitando aos outros que zelam pela lmpeza e saúde pública.

Por: Carlos Cruz

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *