Moradores do Mapiri denunciam Construtora Mello de Azevedo

Moradores ficam ilhados em suas casas após a obra da Mello de Azevedo

Diversos trabalhadores procuraram nossa redação, entre eles, o senhor José Roberto Lira Rocha, para denunciar a construtora Mello de Azevedo por crime ambiental. A referida construtora é responsável pela execução das obras da Orla do Lago do Mapiri, localizado no final das avenidas Borges Leal e Rui Barbosa, no bairro do mesmo nome.

Segundo os moradores, a falta de planejamento do engenheiro da obra está causando diversos transtornos para as famílias que residem às proximidades, como o alagamento dos quintais das casas quando chove e a contaminação de poços artesianos.

De acordo com José Roberto Lira Rocha, a obra construída pela Mello de Azevedo está poluindo tanto o leito do Lago do Mapiri quanto os poços artesianos das residências, que ficam próximas ao local. Ele destaca ainda que a Construtora colocou uma barreira atrás de sua casa e, que por isso não tem como escorrer a água quando chove, resultando em alagamentos freqüentes.

“Estão construindo a orla sem nenhum estudo de impacto ambiental. Ninguém da Mello de Azevedo procurou os moradores para dar informações sobre os andamentos da obra, para dizer se contaminaria o meio ambiente e se indenizariam os moradores com a construção de novos poços”, acusa o trabalhador, denunciando que está sendo obrigado a comprar água, por causa do poço da sua residência ter sido contaminado em função da construção da orla do Mapiri.

Outro morador comenta que como não sabe o que vai acontecer com o andamento da obra que está paralisada desde 2008, vai procurar os órgãos competentes, como o Ministério Público Federal (MPF), o Corpo de Bombeiros, a Prefeitura Municipal e a Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semma), para que possam tomar providências.

Ele afirma que já procurou a titular da Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seminf), Alba Valéria Lima e não obteve respostas em relação à continuação dos serviços e da solução dos problemas que os moradores estão enfrentando por causa da execução da obra.

“Desde 2008 a obra está paralisada e o dinheiro ninguém sabe para onde foi. O pessoal da Defesa Civil foi até o local e avisou que o solo todo será contaminado e, quem tiver poço artesiano não poderá mais beber água, fora o forte odor que está incomodando os moradores”, destaca o morador.

Segundo ele, a solução imediata que encontrou para amenizar o problema do alagamento próximo a sua casa foi comprar uma rabeta.

“O alagamento já criou focos do mosquito da Dengue. Eu queria saber quem é o engenheiro responsável pelos serviços? Acredito que ele comprou o diploma, porque pra fazer uma obra mal feita, com certeza nunca entrou em uma faculdade”, critica o morador.

Por: Manoel Cardoso

 

Um comentário em “Moradores do Mapiri denunciam Construtora Mello de Azevedo

  • 15 de Fevereiro de 2011 em 00:52
    Permalink

    Eu hem este ai que vez este comentário não aquele que apanhou COM UMA TAPA NA CARA do Osmando Figueiredo Herta homem pra gosta de apanha cuidado com o Engenheiro e com o Arquiteto da Empresa Mello de AZEVEDO eu duvido se ele não esta por traz destes moradores do Tapiri

    Resposta
  • 12 de Fevereiro de 2011 em 16:11
    Permalink

    Amigo Ferreira a sua Empresa esta precisado de ajuda, contrate um Arquiteto e um Engenheiro e ai vc entenderá e ai vc me pergunta:
    “Qual a diferença entre arquiteto e engenheiro?” Essa pergunta eu escuto com freqüência, tanto de amigo quanto de parentes e até de estudantes. Percebi que essa é praticamente uma dúvida universal. A famosa pergunta que não quer calar!
    Então, vamos logo desvendandar esse mistério!
    ARQUITETURA e ENGENHARIA CIVIL são áreas afins e complementares.
    Uma obra bem executada depende do trabalho consciente desses dois profissionais.
    O ARQUITETO é o profissional responsável em elaborar o projeto. Ele tem contato direto com o cliente, compreende suas necessidades a partir de muita conversa e muita observação. Durante as visitas o ARQUITETO não apenas escuta o que o cliente tem a dizer, mas observa seu modo de viver, suas preferências, seu comportamento, seu relacionamento com a família (se o projeto for residencial) ou com seus funcionários (se o projeto for comercial). Muitas vezes a partir dessas observações percebemos necessidades do projeto que nem mesmo o cliente se deu conta.
    A partir da coleta dessas informações iniciais, o ARQUITETO inicia uma segunda avaliação: a área onde será executada a obra (o terreno onde será a construção, a casa que será reformada ou ampliada, o escritório que será modificado, a empresa que precisa de reorganização de espaços, etc.).
    No projeto arquitetônico são realizados vários estudos para a concepção da edificação: estudo da ação do sol, para proteger alguns ambientes ou para aproveitar ao máximo em outros; estudo dos ventos, para aproveitar melhor a ventilação natural, deixando os ambientes termicamente mais confortáveis; e vários outros estudos visando à qualidade dos espaços criados.
    O ARQUITETO não trabalha livremente. Toda construção precisa ter autorização de órgãos públicos. O principal é a Prefeitura Municipal, mas em alguns casos a obra também precisa ter licença da Vigilância Sanitária e do Corpo de Bombeiros (estabelecimentos de saúde_ hospitais, clínicas, laboratórios; locais de reunião ou aglomeração de pessoas _academias, teatros, cinemas…). Para conseguir essa autorização dos órgãos públicos o ARQUITETO tem a obrigação de elaborar os projetos seguindo normas e leis. São às legislações urbanísticas (federais, estaduais e municipais), sanitárias, de segurança contra incêndio e pânico, de meio ambiente, etc. Elaborar o projeto seguindo as necessidades do cliente e as exigências dos órgãos públicos é um trabalho bastante exaustivo.
    Com o projeto elaborado e autorizado pelos órgãos competentes a obra pode ser iniciada.
    Agora você deve estar se perguntando: Mas e o ENGENHEIRO, o que ele faz? Até agora só se falou no trabalho do ARQUITETO!
    O ENGENHEIRO é o profissional responsável em detalhar algumas partes do projeto. A estrutura é a principal delas. A partir do projeto elaborado pelo ARQUITETO, o ENGENHEIRO faz uma proposta para a execução da estrutura (localização e dimensões de pilares, vigas, lajes, fundação, e outros elementos relacionados à estrutura). Cabe ao ARQUITETO analisar o projeto de estrutura para propor alterações que possam harmonizar a estrutura ao projeto arquitetônico (mudar a posição de pilar, rever dimensões de vigas, etc.). O ENGENHEIRO então avalia as alterações solicitadas pelo ARQUITETO e determina se as mesmas podem ou não ser realizadas.
    É um trabalho conjunto. O ARQUITETO e o ENGENHEIRO precisam ter grande afinidade para que o projeto atinja uma alta qualidade de elaboração.
    Além da estrutura, o ENGENHEIRO também detalha sistemas elétricos, rede hidrossanitária, e outros projetos complementares, seguindo o projeto arquitetônico.
    O acompanhamento da obra pode ser realizado pelo ARQUITETO ou pelo ENGENHEIRO. Como o ARQUITETO fica responsável em analisar a compatibilização dos projetos complementares ao projeto arquitetônico, muitas vezes é o ENGENHEIRO que fica na obra, organizando a mão-de-obra, a divisão das tarefas, recebendo os materiais dos fornecedores, etc.
    Havendo problemas, o ENGENHEIRO solicita a presença do ARQUITETO na obra para juntos resolverem as pendências e os eventuais problemas.
    Ambos os profissionais são essenciais! O trabalho de ambos é fundamental! É a afinidade e a sincronia do trabalho do ARQUITETO e do ENGENHEIRO que permite a conclusão de uma obra com qualidade e principalmente econômica.
    Amigo Ferreira CONTRATE UM ARQUITETO E UM ENGENHEIRO! Para sua Empresa Mello de Azevedo e isto que ele não tem.
    Você perceberá as vantagens de contar com o apoio de dois profissionais especializados, preparados para atender suas necessidades da melhor forma possível!
    Um Grande Abraço…

    Resposta
  • 11 de Fevereiro de 2011 em 00:22
    Permalink

    humm!! essas pessoas parecem ter um bom estudo olha o jeito como elas falam:“Estão construindo a orla sem nenhum estudo de impacto ambiental.”
    essas pessoas parecem que ja foram muito bem orientadas sobre estudo de meio ambiente>
    Será que as ONG’s não estão por tras dos moradores? ou seja falando por eles?
    Não que eu esteja dizendo que o povo possua falta de conhecimento.
    Mas e porque essas ONG’S estão aparecendo pouco e instruindo mais a população!
    CUIDADO!!!

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *