PM`s acusam Associação dos Militares de omissão

Cabo J. Filho denuncia omissão da Associação dos Militares de Santarém.

Sargento Nascimento, que é presidente da Associação dos Militares do Oeste do Pará, está sendo acusado de ser omisso em várias questões que preocupam a classe dos integrantes da Polícia Militar. Um desses problemas está sendo o adicional de interiorização que é dado a policiais militares na ativa em toda a região Oeste do Pará.

Quem faz a acusação, é uma comissão composta de PMs que se sentem prejudicados com a divulgação de que o problema do pagamento do adicional ainda estava sendo resolvido pela Associação, o que não é verdade: “A verdade é que nós já temos uma Liminar favorável a  respeito do adicional, resta a justiça, através do Desembargador Leonam Gondim da Cruz Júnior, oficializar a decisão”, enfatizou o Cabo PM J. Filho, que esteve em nossa redação.

Foi dado entrada desse processo, no ano de 2010, quando muitos policiais, entre eles o Cabo PM J. Filho, buscaram com recursos judiciais junto ao Governo do Estado esta vantagem financeira. Esta decisão foi feita com base na Lei Estadual 5.652, de 21 de janeiro de 1991, que garante concessão de adicional aos Servidores Militares estaduais que prestarem serviços nas Unidades, Sub-Unidades, Guarnições e Destacamentos Policiais Militares sediados no interior do Pará,a exemplo dos que estão atualmente servindo em Santarém.

Diante desse caminho de contradições, resta ao Cabo J. Filho aumentar a corrente de oposição ao Sargento Nascimento, presidente da Associação declarando: “A Associação foi omissa neste caso da incorporação do adicional de interiorização”, disse ele.

Por: Carlos Cruz

Um comentário em “PM`s acusam Associação dos Militares de omissão

  • 11 de Fevereiro de 2011 em 09:21
    Permalink

    CUIDADO PESSOAL, A ELEIÇÃO É SÓ ANO QUE VEM, ALGUEM PODE ENTENDER COMO CAMPANHA ANTECIPADA, E O ADCIONAL NÃO PAGA AS MUTAS QUE SÃO PESADAS PRO SEUS SALÁRIOS. FIQUEM ATENTOS!!!!!!!!!!!!!!!

    Resposta
    • 11 de Fevereiro de 2011 em 19:03
      Permalink

      Não entendi esse comentário. O nosso pleito não tem nada de político,é direito adquirido, ele existe desde de 1991,mas nunca foi pago, é mais uma das inúmeras arbitrariedades do imenso histórico dos governos do Pará. O CB J. Filho está mais que certo, a inércia das associações é uma constante, chega até ser vergonhosa, mas nós vamos mudar isso.

      Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *