Crescimento da economia fica estável em abril, aponta Serasa

O crescimento da economia brasileira ficou estável em abril, segundo indicador da Serasa Experian de atividade econômica divulgado nesta quarta-feira (22). A expansão do PIB (Produto Interno Bruto, que é a soma de riquezas do país) foi de 2,4% no quarto mês do ano na comparação com abril de 2010, praticamente o mesmo resultado de março, quando as riquezas brasileiras se ampliaram em 2,3% em relação ao mesmo mês de 2010.

Saiba como o PIB mexe com sua vida

O ritmo de crescimento ficou bem menor a partir do terceiro mês do ano, já que em fevereiro a expansão sobre o mês correspondente de 2010 foi de 5,7%.

Na comparação mensal, entretanto, entre abril e março deste ano, a economia brasileira simplesmente não cresceu e ficou no zero. Os índices da Serasa apontam desaceleração, já que houve altas tímidas antes do resultado de abril – de 0,4% em fevereiro e de 0,1% em março.

O principal vilão desse crescimento nulo se resume à indústria, já que houve um recuo de 1,9% na atividade econômica do setor. Por outro lado, a agropecuária, com elevação de 1,8% na atividade, e os serviços, cuja expansão foi de 0,3%, alavancaram os números, que levaram à estabilidade.

O Banco Central já tinha indicado a desaceleração da economia brasileira, já que a atividade ficou 1,18% em abril em relação a março. Foi o primeiro resultado negativo após três altas mensais consecutivas.

De acordo com a Serasa, contribuíram para o resultado estável de abril a redução de 0,1% no consumo das famílias e de 1,3% nos investimentos, além do aumento de 8,9% nas importações de bens e serviços. Por outro lado, o consumo do governo e as vendas de bens e serviços para outros países ajudaram a impulsionar a atividade econômica, segundo a Serasa.

Os economistas da Serasa explicam que a desaceleração observada em abril se deve ao impacto da política econômica do governo. Após forte ritmo de crescimento no primeiro trimestre de 2011, a economia sofre com o aumento da taxa básica de juros e com a alta carga tributária – armas para conter a inflação – no segundo trimestre, diz a Serasa.

Expansão em 2011

Em 2011, considerando o intervalo entre janeiro e abril, a economia brasileira acumula uma expansão de 3,7% em relação ao mesmo período do ano passado, segundo a Serasa. Os serviços e a agropecuária são os principais propulsores desse resultado, com aumentos acima de 3% na atividade, embora a indústria também apresente expansão sobre o ano passado.

Do R7

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *