Empresária morre em grave acidente

Michelle, vítima do acidente fatal

Mais um acidente com vítima fatal para aumentar a estatística do perigoso trânsito no município de Itaituba. O acidente aconteceu por volta das 18 horas da última sexta-feira na rua Dr. Hugo de Mendonça, no centro da cidade. Segundo informações do Corpo de Bombeiros,  o motorista de um caminhão baú ao tentar fazer uma ultrapassagem acabou batendo em outros  veículos, na empresária Michelle Faria de Oliveira Amaral e seu filho Rafael Faria do Amaral, de 3 anos de idade, que estava em uma bicicleta na frente da loja.

O caminhão  desgovernado  ainda bateu  em uma moto e outros dois veículos que estavam estacionados. Em um dos veículos estava a senhora Maria Regina Guedes Carvalho, de 69 anos, que teve  ferimentos na cabeça.

Michelle Amaral e seu filho foram socorridos pelos agentes do SAMU e Corpo de Bombeiros. A jovem empresária não resistiu aos ferimentos e morreu antes de chegar no setor de emergência do Hospital Municipal. A criança também em estado grave teve que ser levada às pressas para Santarém, mas está fora de perigo.

Michelle foi socorrida, mas não resistiu e morreu no caminho do hospital

O caminhão baú estava sendo conduzido por Moisés dos Santos Castro, de 43 anos, que foi preso em flagrante pela Polícia Militar e conduzido para a 19ª Seccional de Polícia Civil.

No Hospital Municipal foi grande a movimentação, o trânsito teve que ser controlado pela COMTRI  e DETRAN, com apoio da Polícia Militar, devido o grande número de pessoas, entre parentes e amigos, todos em busca de notícias e querendo entender o que havia acontecido. Salomão Ribeiro, amigo da família lamentou a perda inesperada.

FATOS: O trágico acidente ocorrido na tarde de sexta feira dia 30, na Hugo de Mendonça deixou Itaituba consternada pelo triste desfecho com a morte da empresária Michelle Amaral (proprietária da empresa Aliança Calçados), atropelada por um Caminhão Baú desgovernado que teria tentado se desviar de uma motocicleta e atropelou Michele e seu filho de três anos de idade que estava na cadeirinha da bicicleta.

A criança sofreu algumas escoriações pelo corpo, mas não corre risco de morte após ter sido transferida para Santarém. O caminhão dirigido pelo motorista Moisés Castro pertence à empresa Central do Trigo. Quanto à probabilidade de Moisés estar sob efeito de bebida alcoólica, seu pai Raimundo Castro disse que não existe essa hipótese afirmando que seu filho é evangélico e não bebe.

Mas seus pais disseram que Moisés tem uma doença semelhante à epilepsia, onde ele é acometido por  “um apagão súbito”, mas que não fica soltando baba. Sobre a possibilidade de isso ter ocorrido, seu pai Raimundo Castro afirma que ele desde que iniciou suas atividades como motorista da empresa, no dia 21 de novembro do ano passado, não apresentou nenhum problema nesse sentido.

O motorista está detido na 19ª Seccional de Polícia Civil desde o dia do acidente, mas na tarde de sábado, dia 31, ainda não havia prestado depoimento. Quem está à frente do caso para presidir o inquérito é o delegado Antônio Carlos. O corpo de Michelle foi velado na Maçonaria e depois transladado para Goiânia onde vivem seus familiares.

O caminhão se encontra no pátio da 19ª  Seccional até que todas as medidas de praxe sejam tomadas em relação ao acidente que além de matar a empresária e ferir seu filho, também causou ferimento leves em outras pessoas que estavam próximos ao local, em frente a antiga Escola Alice Carneiro.

QUEM SÃO OS CULPADOS? A morte lamentável da empresária Michelle Amaral, esposa de Levanir, está provocando uma série de discussões na sociedade local. Um velho problema que nenhum Prefeito até hoje conseguiu sequer minimizar. A verdadeira Torre de Babel em que se transformou o Centro Comercial, com lojistas ocupando as calçadas com seus produtos, ciclistas na contramão, caminhões abarrotados de mercadorias  tomando todo espaço na Hugo de Mendonça. O Código de Postura até que existe, mas confinado aos papeis…

Além desse cenário apocalíptico  acima descrito, tem ainda  as bancas dos camelôs que ocupam grande parte da extensão da Avenida. A versão para o acidente que ceifou a vida de Michelle é que o motorista do caminhão baú pertencente à empresa Central do Trigo teria tentado evitar um choque frontal com um motociclista que estaria trafegando na contramão. Mas há outra versão de que o motorista do caminhão estaria com excesso de velocidade e teria tentado ultrapassar uma  moto perdendo o controle e invadindo a calçada atingindo além das vitimas mais três veículos que estavam estacionados… Até um suposto ataque de epilepsia do motorista teria sido a causa… Mas como não temos IML, a rádio Cipó se encarrega de dar sua versão. Com informações de Marinaldo Silva e fotos de Edney Nunes.

Por: Nazareno Santos

2 comentários em “Empresária morre em grave acidente

  • 6 de Abril de 2012 em 08:53
    Permalink

    É lamentável esse acidente que ceifou a vida de uma jovem mãe e empresaria Michele Oliveira, e seu filho hoje fora de perigo graças a Deus, quando estive em Itaituba por ocasião do falecimento do papai observei que o transito estava muito frenético, motoqueiros não respeita ninguém nem a sua própria vida, os taxistas e carros particulares e outros, andando em alta velocidade, enfim uma total falta de respeito, igual em cidade grande.
    Há alguns anos em conversa com uns amigos eu mencionei a possibilidade de se fazer da Hugo de Mendonça, em dias de semana um transito mais tranquilo, por exemplo, deixar uma faixa somente e outra interditada para servir de estacionamento, como um calçadão é uma área comercial sim, sabemos disso, mais o pedestre, o transeunte tem que ser respeitado, na realidade não tem vez em lugar nenhum, isso não é só em Itaituba, aqui em Goiânia, Belém em qualquer lugar desse país será sempre assim, é falta de cultura de respeito e amor ao próximo, é hora da sociedade civil organizada agir no sentido de diminuir essa violência do transito, especialmente ai em nosso município, na minha ótica a policia deve sim investigar pra saber se realmente esse cidadão que estava dirigindo estava em condições de dirigir, se ele tem problemas de saúde como frisou seu genitor, enfim se algo for constatado a empresa deve ser responsabilizada, pois, hoje há os exames de saúde tanta para ser admitido e ou demitido, que o o brusco falecimento dessa jovem senhora não seja em vão, que alguma atitude seja tomada para outras vidas sejam ceifadas, nossa família passou por isso quando um embriagado matou o meu Tio Lauro, conhecido por TIO LAURINHO, e até hoje seu assassino continua impune, mas cremos na justiça divina, QUE DEUS POSSA CONFORTAR A FAMILIA DA SRA. MICHELLI OILVEIRA.

    Resposta
  • 5 de Abril de 2012 em 10:58
    Permalink

    o jente coitada da dona michela ela era mt querida a na cidade,e parece q dias antes de morrer ela estava se sentindo como q um caminhao tivesse passado por cima dela,axo q ela ja tava sentindo a dor de sua morte,foi + uma vitima fatal do transito da q de itaituba q naum se controlam motoristas por favor dirijam com cuidado e lembre q alguma ora vcs sao pedrestes

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *