Corpo de Bombeiros reforça efetivo nas praias de Santarém

Segurança nas praias

Para garantir tranquilidade aos veranistas que procuram os balneários mais badalados de Santarém neste mês de julho durante as férias escolares, o comando do 4º Grupamento de Bombeiros Militar (GBM) garante que intensificou os serviços de prevenção a afogamentos e aumentou o efetivo nas praias, principalmente Alter do Chão.

Desde a primeira semana de julho, o Corpo de Bombeiros disponibilizou vários Guarda-vidas para atuação na prevenção e proteção balneária em Alter do Chão, com o objetivo de fazer a segurança dos banhistas, durante todo o período de férias.

O comando do 4º GBM destaca que em todo o Pará, equipes do Corpo de Bombeiros estarão a postos nas praias e pontos estratégicos das estradas federais e estaduais, atuando na proteção balneária com guarda-vidas, prevenção de combate à incêndio e salvamento, controle de pânico, socorristas e salvamento aeromédico. Ao todo, 454 bombeiros militares estarão envolvidos diretamente nas atividades, que terão o apoio de diversos equipamentos, entre eles um helicóptero de resgate.

VERÃO – Para quem pretende visitar a praia de Alter do Chão no verão, o rio Tapajós já está baixando. A expectativa de catraieiros e donos de barracas é que os últimos meses do ano sejam movimentados na praia de água doce que recebeu o título da mais bela do mundo, escolhida pelo jornal inglês ‘The Guardian’.

FISCALIZAÇÃO – O mês de julho, período em que muitas pessoas entram de férias, aumenta o número de visitantes na Vila balneária de Alter do Chão. São moradores e turistas de diversos lugares que buscam um lugar sossegado, porém, o tráfego de jet ski e lanchas próximo a praia tem ameaçado a segurança dos veranistas.

Os banhistas relatam que a situação está incomodando: “é arriscado porque as crianças ficam brincando na beira e eles passando assim é muito arriscado”, afirma a banhista Suely Araújo.

“É complicado, coloca em risco a vida das pessoas que estão no rio”, destaca o vendedor Célio Nogueira.

Os visitantes questionam que a fiscalização está deixando a desejar e solicitam que o monitoramento por parte da Capitania dos Portos seja intensificado.

Fonte: RG 15/O Impacto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *