Parceria permite a volta do feijão manteiguinha à mesa do santareno

Produtores da comunidade Nova Esperança
Produtores da comunidade Nova Esperança

O feijão manteiguinha está próximo de voltar a ser produzido em grande escala no município de Santarém. Uma área experimental de um hectare da variedade foi plantada na comunidade de Nova Esperança, na Gleba Ituqui. O plantio foi feito no dia 26 de junho, a floração veio após 42 dias e a primeira colheita acontece na última terça-feira, dia 03. A propriedade pertence ao agricultor Delmo Santos. O projeto é desenvolvido pela Secretaria Municipal de Agricultura e Incentivo à Produção Familiar (SEMAP), através da Coordenadoria de Incentivo à Produção Familiar (CPROF), em parceria com a EMATER, que realiza o acompanhamento técnico, e EMBRAPA e UFOPA, que farão o acompanhamento da análise do solo.

Há uma expectativa de que após o fim da colheita, seja produzida em média de uma tonelada, com perspectiva de aumento da produção, a partir da análise e melhoria do solo, cuja pesquisa para essa variedade já foi iniciada, pela EMBRAPA e UFOPA.  A área do experimento, antes usada para o plantio de legumes, não recebeu melhoria de solo. A ideia é fazer as primeiras experiências sem fertilização de solo, para servir de base para a pesquisa. A variedade do feijão manteiguinha estava praticamente extinta da região. Há registros de produção apenas em pequena escala nos municípios de Monte Alegre e Prainha.

“Eu espero que dê resultado pra espalhar pelo menos as sementes pros outros companheiros, que não estavam apostando na experiência”, comemora o agricultor Delmo, depois de ver os primeiros resultados. Ele fala com euforia de ter sido escolhido por ser considerado um agricultor com característica de produtor familiar. Fala também da “área mansa”, referindo-se ao local que com apenas uma finalização de mecanização agrícola, estava preparado para receber o plantio da espécie.

A equipe técnica isolou uma área de 10X10 metros, para fazer as colheitas que servirão de base para o cálculo da produção por hectare. Além da primeira, outras duas serão acompanhadas pelos técnicos. O resultado da produção vai nortear a pesquisa que será baseada em plantio versos área plantada. De antemão, os pesquisadores sabem que a produção não será das maiores, mas o resultado é compensado pelo preço do quilo, que hoje está em média de R$ 8.00, valor superior às outras variedades similares.

Para o coordenador de Incentivo à Produção familiar, Otávio Macêdo, o dia de campo representa a satisfação de fazer o resgate, revitalização e fortalecimento de uma cultura que estava em decadência na região. “Que nós estamos inserindo na produção familiar”, explica.

Com os primeiros resultados já há um cadastro de agricultores familiares interessados em dar continuidade ao resgate dessa variedade de feijão, e serão beneficiados também com a mecanização agrícola, e acompanhamento técnico.

O melhor período para o plantio do feijão é a partir de abril, mas com o retardamento da estação do inverso, só foi possível plantar no final do mês de junho. Mesmo assim, o excesso de chuvas e a presença de pragas como grilos e caramujos que acabaram por provocar um replantio, que faz parte das adversidades inerentes à esse tipo de cultura. As fases de germinação e floração dependem de pouca água para uma melhor produção, portanto uma época atípica.

Nova espécie de feijão também está sendo resgatada

Outro resgate que também está sendo feito é do feijão canário que como o manteiguinha já foi bem presente na mesa dos habitantes da região. A cor amarelada lembra o pássaro canário, daí o nome. O técnico da EMATER, Francisco Luis, trouxe para Santarém 10 sementes que estão sendo multiplicadas junto com o feijão manteiguinha. A variedade também será revitalizada.

Outras três áreas na zona de várzea, mais precisamente nas comunidades de Tapará, Tapará Grande e Tapará Mirim, serão selecionadas para o plantio.

Fonte: RG 15/O Impacto e CCOM/PMS

Um comentário em “Parceria permite a volta do feijão manteiguinha à mesa do santareno

  • 1 de Março de 2017 em 10:32
    Permalink

    Quero adquirir sementes do manteiguinha

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *