Professores do Estado fazem paralisação de advertência nesta quinta-feira

 

Sintepp reuniu e vai optar pela greve
Sintepp reuniu e vai optar pela greve

O vereador Dayan Serique (PPS), na tribuna da Câmara, na quarta-feira, 18/03, falou mais uma vez em defesa dos professores. Segundo ele, o governo do Estado do Pará continua maltratando a categoria ao se recusar a pagar o piso nacional, no valor de R$1.917,00. A proposta do governo é pagar o valor somente a partir do mês de abril e as pendência anteriores de forma escalonada. Os professores, por sua vez, de acordo com o vereador, não aceitam, “até porque o município de Santarém vem pagando o piso nacional e o questionamento que fica é: por que o Estado se recusa a cumprir a lei?”, questionou.
Dayan também denunciou outros assuntos ligados à educação, tais como falta de equipamentos escolares, escolas dignas para a prática do ensino e salário injusto ao professor. “Então o que resta aos professores é fazer uma paralisação para chamar atenção do governo com relação a essa falta de prioridade ao setor educacional do estado”, justificou. Segundo o vereador, nesta quinta-feira (19), os professores vão paralisar suas atividades. Como parte da programação será realizada uma assembleia geral para deliberar se a categoria entra greve ou não.
O vereador Dayan Serique também defendeu a ação do Ministério Público por suspeita de irregularidade no processo licitatório das clínicas credenciadas a fazerem exames psicotécnico, para tirar a Carteira Nacional de Habilitação (CNH). Segundo ele, a medida provocou transtornos no atendimento dos serviços prestados pelo Departamento de Trânsito do Pará (DETRAN), em Santarém. No entanto, disse que se trata de uma medida necessária que vai ajudar a eliminar um problema antigo, que é o monopólio. A ação do Ministério Público vai possibilitar a contratação de novas clínicas, o que vai ampliar o número de atendimento em todo o Estado. Com o aumento do número de clínicas habilitas para fazer os exames, a população será beneficiada com a redução das grandes filas para adquirir a CNH.
VEREADOR DEFENDE CONSTRUÇÃO DE CENTRO DE ABASTECIMENTO: O vereador Geovani Aguiar (PSC) destacou novamente a atuação do deputado Chapadinha (PSD). Segundo ele, durante a estada do deputado em Santarém, após um mês de atividade como deputado federal, levou novas demandas para pleitear recursos em Brasília.
Geovani explicou que as ações dos parlamentares tem origem com as demandas dos segmentos sociais da região que ele atua. Registrou que recentemente, Chapadinha esteve reunido com lideranças das áreas do Santarenzinho e do Eixo forte, somado a uma solicitação do prefeito Alexandre Von resultou, num projeto muito importante ao município, que é a construção de um Centro de Abastecimento em Santarém.
O vereador Geovani disse ainda que o deputado retornou à Brasília com a missão de empreender esforços para conseguir o recurso, que gira em torno de um milhão de reais. Aguiar reconhece que não se trata de uma demanda fácil de resolver, devido ao montante, mas também acredita na determinação do deputado. O vereador está otimista de que Chapadinha seja bem sucedido nesse pleito.
Geovani explicou também que para este ano, a proposta é conseguir aprovar a emenda parlamentar, ou seja, garantir o recurso. A decisão sobre quando e onde o Centro de Abastecimento será construído é uma prerrogativa do prefeito, mas isso, será posteriormente.
RONAN CRITICA O SISTEMA EDUCACIONAL DO PARÁ: O vereador Ronan Liberal Júnior (PMDB), na tribuna da Câmara elogiou o desempenho de um grupo de advogados, que ontem, receberam carteiras da Ordem, o que reflete no bom desempenho da região na ultima prova da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).
Ronan também destacou a aprovação dos novos membros ao Ministério Público, dos quais três são de Santarém. Trata-se de pessoas que vão representar bem o Ministério Público e desempenhar suas atividades com competência e denodo.
Por outro lado, o vereador denunciou que o sistema educacional do Pará, atualmente, ocupa uma das ultimas posições em termos de qualidade, em nível nacional. Segundo ele, isso reflete o descaso com que o governo do Pará trata a educação. Essa estatística negativa é percebida na falta de motivação dos alunos da rede estadual de ensino; professores que também reclamam dos baixos salários, uma vez que o governo do estado não está pagando o piso nacional. “Ou seja, não temos alunos motivados porque não há uma estrutura adequada para a prática do ensino e, nem professores motivados porque não recebem salários dignos.
Ronan Liberal disse que a reivindicação dele, na condição de vereador, tem como objetivo ser ouvido pelas autoridades do estado. Além disso, garantiu aos estudantes e aos professores de que vai estar ao lado deles, com a finalidade de que possa contribuir com a melhoria do sistema educacional da rede estadual de ensino.
A reivindicação do vereador, portanto, é contra a falta de estrutura educacional e contra o descaso do governo do estado para com outros setores do interior do estado.
TAPAJÓS CRITICA A FALTA DE ATUAÇÃO DO GOVERNO DO PARÁ EM SANTARÉM: O vereador Júnior Tapajós (PMDB) denunciou mais uma vez a falta de atuação do governo estadual em Santarém. O vereador lamentou o fechamento da Escola Estadual Olindo Neves e disse que se o governo do Pará não mudar de postura, concluindo as reformas das escolas que foram paralisadas, logo depois das eleições, outros estabelecimentos de ensino também podem fechar as portas.
Tapajós criticou a prática de fazer com que o estado funcione plenamente em período de eleição e depois paralise tudo. “Isso destrói o país”. Segundo ele, quando termina as eleições tudo fica travado, parado, por pura politicagem. Disse que isso não pode mais acontecer nos diversos setores da vida pública quanto mais na educação. “Em Santarém as reformas estão paradas. Todas as obras e isso não pode acontecer principalmente na educação para que as escolas não sejam fechadas”, observou.
Júnior Tapajós também anunciou para esta quinta-feira, 19/03, uma reunião de trabalho com o Sindicato dos Ceramistas, Prefeitura e Secretaria Municipal de Meio Ambiente (SEMMA). Segundo ele, o assunto será para tratar sobre o distrito industrial da cidade, para que Santarém saia na vanguarda, no sentido de oferecer condições para que as indústrias se instalem sem prejudicar as pessoas. Para o vereador é preciso organizar os espaços da cidade de forma a garantir o bem comum dos cidadãos e das indústrias. “Com isso, as empresas vão continuar gerando riquezas ao município e emprego e renda aos cidadãos”, concluiu.
VEREADOR QUESTIONA LEGALIDADE DA ÁREA DO MAICÁ: O vereador Marcilio Cabral na tribuna cobrou do Executivo municipal a legalidade de áreas de terras em Santarém, citou principalmente a área do Maicá, onde se destinam a construção de portos de exportação e importação.
Segundo o vereador, aquela área é de propriedade de Marques Pinto, “com escritura legitima desde muito tempo. Então o município não pode dar documento de uma área que está registrada”, aconselhou.
Em sua fala, Marcilio sugeriu a gestão municipal que haja negociação, “porque a posse das pessoas é irreversível. Não se pode mais tirar as pessoas que ocupam a área, mas a propriedade não é deles. Portanto, é preciso sentar com os proprietários e ver a possibilidade de negociação e o governo municipal, entra com os projetos”, sugeriu.
“Esse projeto dos portos vai ser muito discutido ainda, porém tem que valorizar duas questões sociais e fundiárias, por que vai valorizar os imóveis e se não forem resolvidas tais questões, vem os conflitos e a insegurança para a população que vive ali”, esclarece Marcilio.
Fonte: RG 15/O Impacto e Ascom/CMS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *