NEWS – ATUALIDADES

FELIZ NATAL!

Que Deus nos abençoe, e muito obrigado a todos que ouviram, e atenderam  meu pedido de pegarem as cartinhas das crianças nos correios. – Vocês são demais! – E que possamos ter um Natal de paz, alegrias, e muita esperança. – Deus conosco, Amém!!!

———————————————————

A FORMA COMO VOCÊ TRATA GARÇONS REVELA SUA PERSONALIDADE

 “A forma como as pessoas tratam um CEO não significa nada, dizem eles. Mas como tratam um garçom é como uma janela mágica para a alma.” – Del Jones  “A Regra do Empregado de Mesa”, sugere que a forma como tratamos os garçons e garçonetes pode revelar muito sobre nossa personalidade. A maioria dos CEOs está de acordo com isso. De acordo com Dr. Frederic Neuman da Psychology Today, a forma como a pessoa trata garçons deve ser considerada na escolha de um parceiro futuro. A forma como as pessoas tratam os garçons pode revelar muito sobre sua personalidade. Não há nenhuma dúvida sobre isso. Para entender completamente os traços de personalidade, é preciso olhar para dois extremos opostos, aqueles que tratam garçons bem e aqueles que não o fazem. De cada comportamento, certos traços de personalidade podem ser inferidos. Isso é feito através da análise de cinco categorias. “Cuidado com as pessoas que têm um sistema de valores situacional, que podem ativar ou desativar o encanto, dependendo do status da pessoa com quem estão interagindo.” – Raytheon, CEO, Bill Swanson. O sistema de valores de uma pessoa é revelado através de seu comportamento. Os valores são algo que acabam por determinar o comportamento e influenciar as escolhas que as pessoas fazem. Muitas pessoas têm o que é conhecido como um sistema de valores situacional. Pessoas com tal sistema de valores irão tratar um garçom mal, simplesmente porque percebem que garçom é um papel subordinado. Seu caráter está em constante mudança com base no status. É condicional. Por outro lado, os que não têm um sistema de valores situacional tratam as pessoas bem em todas as ocasiões possíveis. Seu comportamento é incondicional, não está em constante mutação. Eles aceitam que cada pessoa tem uma história. O trabalho como garçom pode ser o único ganha-pão, ou talvez estejam trabalhando em dois empregos. Talvez estejam pagando por seus estudos. Seja qual for a situação, este tipo de pessoa permanece consciente do fato de que todos os seres humanos são iguais.  A natureza de julgar vs entender. Aqueles que tratam garçons mal a maior parte do tempo, têm uma personalidade julgadora. Eles veem o garçom como inferior, com base em seu trabalho. Falam com o garçom de uma forma condescendente. Talvez até mesmo estalam os dedos para obterem a sua atenção. Aqueles que tratam garçons muito bem, reconhecem que todo mundo tem uma história para contar, não julgam um livro pela capa. Eles têm uma natureza de entendimento. As pessoas que são rudes com garçons não trabalham em equipe. Essas pessoas tendem a não serem colaborativas. Tratar garçons como iguais e sempre ser gentil é um sinal de que a pessoa sabe trabalhar em equipe. Tais pessoas mostram respeito e recebem este respeito, por sua vez. As pessoas rudes com garçons não são grandes líderes. Ser rude com um garçom indica que uma pessoa não pode ganhar respeito facilmente. Em vez disso, essas pessoas exigem. Esta não é uma característica esperada em um líder. Para aqueles com atitude oposta, ganhar respeito é fácil. Isto coloca estas pessoas em uma posição ideal para liderar. As pessoas que tratam garçons com bondade são compassivas e empáticas. Tratar garçons mal é um sinal de falta de compaixão e empatia. Por outro lado, tratá-los com gentileza revela uma compaixão incondicional e empatia pelas pessoas como um todo. Todos são iguais. A maneira de interagir com garçons, e como tratá-los pode revelar muito sobre a personalidade de uma pessoa. É importante estar ciente de seu comportamento. Todo mundo é humano. Todo mundo é igual, não importa o status. Traduzido pela equipe de O Segredo – Fonte: Life Hack

———————————————————

7 FRASES QUE OS PAIS PRECISAM DIZER AOS FILHOS

Não, não queremos dizer que você deve repetir literalmente cada uma destas 7 frases todos os dias. Use-as e adapte-as a cada situação. Outra coisa importante: não se contente em repeti-las, use suas próprias atitudes para mostrar aos seus filhos o que estas frases querem dizer. Nós temos certeza de que isso fará com que seus filhos sejam mais felizes no futuro, e sabemos disso porque já colocamos em prática as orientações que você verá a seguir. 1. «Acredito em você» Uma mulher compartilhou conosco sua curiosa história relacionada a este tema: ela disse “eu acredito em você” ao filho de três anos, e suas palavras voltaram para ela como um bumerangue. Um dia, após ter procurado as chaves da casa durante pelo menos uma hora, ela se jogou triste e desesperada sobre o sofá. Foi quando sentiu algo puxando sua calça: «Mamãe, eu sei que você vai conseguir encontrar suas chaves, acredito em você». Foi como se estas palavras lhe dessem um novo ânimo. Bastou mover um pouco os móveis da sala de estar para ver que as chaves estavam ali. Na verdade, a frase ’Eu acredito em você’ tem, SIM, o poder de motivar quem a escuta. 2. «Nunca se renda» Esta frase é muito útil para animar e mudar a atitude da criança, quando dita com um tom alegre e um pouco brincalhão. É preciso ter em mente que seu objetivo é dar um empurrãozinho na criança, para que ela encontre a saída de uma situação atribulada.

Como exemplo, podemos citar o caso da mesma moça do caso anterior e do seu filho de três anos. Quando montavam juntos um quebra-cabeças, o pequeno tentava encaixar alguma peça no lugar errado, dizendo «Nunca se renda, nunca se renda!». Sua mãe o corrigiu: «É verdade, você não deve render-se, mas pode ser que esteja fazendo algo errado. É preciso explicar à criança que tão importante quanto não se render é estar aberto para procurar novas soluções. 3. «É com os erros que se aprende» Seu filho deve entender que encontrar dificuldades e cometer erros é algo normal. Tente ensiná-lo a não esquecer a moral ao encontrar obstáculos pelo caminho. É muito importante lembrá-lo disso não apenas nos momentos de angústia, mas antes de qualquer acontecimento que exija responsabilidade e decisões importantes na vida. Todas as experiências enriquecem.  4. «Todos os profissionais um dia foram estudantes como você é hoje» É muito importante lembrar de vez em quando aos seus filhos que todas as pessoas que se destacam nessa ou naquela área, não estavam nesta mesma posição ao iniciarem a carreira. Permita que seus filhos cresçam sabendo que cometer erros é algo normal, que perder é algo inevitável em alguns momentos, que lutar é algo necessário. O anormal seria pensar que os erros, as angústias e dificuldades duram para sempre. A criança deve entender que todas essas coisas são como pontes para alcançar uma meta, realizar-se como pessoa e se destacar, se assim quiser. Faça com que seu filho saiba que a paciência, a perseverança e o esforço são mais importantes que a perfeição por si só. E que a noção de perfeição é diferente de uma pessoa para outra. 5. «A derrota não é uma escolha» Converse com seu filho sobre o que significa esta frase. Explique que é preciso encarar cada experiência da vida como uma lição, e que isso faz com que a derrota seja apenas um degrau em seu desenvolvimento, e uma ferramenta para criar novas estratégias. A derrota não é uma escolha, mas é algo que se deve aproveitar. A verdadeira escolha é entre aprender ou não a crescer. Se a opção for por crescer, deixe os momentos ruins para trás, seja perseverante e acredite em si mesmo. 6. «Aprenda com cada machucado e com cada queda» Todas as vezes em que seu filho fizer algo de forma incorreta, ou estiver em uma situação desagradável, pergunte o que ele aprendeu com aquilo. Converse com ele a respeito, explique que todos nós aprendemos com nossos erros, machucados, golpes e vergonhas.Ensine-o a tirar conclusões de todas as situações. 7. «Você está num lugar seguro, rodeado de amor e cuidado» Você consegue lembrar de algum momento da sua infância em que tenha se sentido seguro, tenha sentido amor e cuidado para com a sua pessoa? Esses momentos de tranquilidade, calor e harmonia ficam na memória para sempre. É importantíssimo que o filho cresça rodeado de amor e cuidado para que se sinta seguro. Isso tem influência positiva sobre sua autoestima, e o ajuda a ser mais forte e corajoso. Todas as noites, quando levar seu pequeno para a cama, diga: «Você está seguro aqui, nós o amamos e nos preocupamos com você». Pronuncie essas palavras com ternura e tranquilidade para que fiquem gravadas em sua mente, e façam eco até sua vida adulta, para que ressurjam em momentos de estresse e dificuldades.

———————————————————

UM TRUQUE PARA ACALMAR UMA CRIANÇA!!!

Ninguém gosta de crianças chorando ou fazendo birra com estardalhaço, ira ou ressentimento. O fato de não detestarmos essas demonstrações, no entanto, não quer dizer que não gostamos dos pequenos.Quer dizer, apenas, que biologicamente somos feitos para não aguentar seus gritos por muito tempo. Sei disso como ninguém. Trabalhei por 12 anos como professor numa escola primária. E, claro, com filhos que não eram meus e tampouco haviam sido criados por mim. Entretanto nem em casa nem na escola, com eles, usei a técnica de gritar mais forte como resposta. E não fiz isso simplesmente porque não funciona. Tenho, em vez disso, um truque que usava no trabalho e que hoje me ajuda a ser um pai melhor. Esse truque, aliás, pode ser usado em várias situações: Quando as crianças discutem entre si. Quando não fazem o que você pediu. Quando não escutam o que você lhes diz. Quando ficam exaltados. Quando estão irritados. Crianças, crianças, crianças…sabem qual o problema de nossa cultura? É que prestamos atenção demais às crianças; o que quero dizer é que, se eles não gostam de algo ou não querem uma coisa, então somos nós que devemos corrigir essa situação. Mas em que lugar nos colocamos? Por que temos de atuar exatamente como recomendam os especialistas e o serviço social? Em poucas palavras, sei o que é preciso fazer para corrigir essas situações. Em primeiro lugar, onde você se encontra quando as crianças se comportam de maneira inapropriada? A resposta mais provável é: na cozinha, falando no telefone ou num quarto, a criança no chão e você, no sofá. A chave da situação é que você não está perto da criança. Na escola, quando o professor se senta em seu lugar tradicional, ao lado do quadro negro, os pequenos serão sempre belicosos e inquietos. Se você está por demais ocupado para dedicar-lhes tempo ou demasiadamente irritado para passar um tempo ao lado deles no final do dia, então não fique surpreso se for obrigado a gritar por toda a casa para que se acalmem — e, acredite, não vão se acalmar. Meu truque quando quero tranquiliza-los é muito simples: fico junto deles. Simples assim: me aproximo de um garoto que esteja irritado ou se comportando mal e, com toda tranquilidade, coloco a mão em seu peito ou em suas costas, me ajoelho e, em tom também tranquilo, começo a conversar. Diria que em 90% dos casos em que você precisar acalmar seu filho ou outra criança, basta fazer isso. Já testei este truque dezenas de vezes: quando meus filhos estão irritados, em vez de gritar, converso com eles. Com tranquilidade. Da mesma forma, quando meus pequenos se comportam mal na sala de estar, não dou um berro da cozinha para que calem a boca. Em vez disso, paro o que estou fazendo, me aproximo e converso. Quando brigam entre eles, gritam e se xingam, eu simplesmente vou até eles e procuro entrar em seu mundo. E, quando necessário, dou o exemplo. Em quase 100% dos casos isso funciona e num passe mágica (como se fosse mágica), tudo volta ao normal.  – Simples assim.

Deixe seu comentário aqui: