Polêmica – Pastores não aceitam carnaval na Praça da Bíblia

Evangélicos fizeram uma manifestação na noite de segunda-feira, contra o carnaval da Praça da Bíblia.

O prefeito de Santarém, Nélio Aguiar, recebeu no fim da tarde de segunda-feira (09), representantes do Conselho de Pastores Evangélicos de Santarém (Consepas) para ouvi-los quanto ao pedido de mudança do novo local onde será realizado o Carnaval 2017 da área urbana do Município.

Em reunião realizada no dia 2 de janeiro, em consenso com representantes da Associação Carnavalesca de Santarém (Asac) e da Liga Independe dos Blocos de Empolgação (Libes), a Secretaria Municipal de Cultura decidiu que a festa de carnaval 2017 acontecerá na Praça localizada na Avenida Dr. Anísio Chaves, no bairro Aeroporto Velho.

Prefeitura reuniu com Conselho de Pastores e analisa pedido que propõe rever local do Carnaval 2017

Durante a reunião, o Conselho, por meio do presidente Pastor Jean Carlo, se manifestou contrário ao novo local proposto para a festa de carnaval, alegando que o espaço é bíblico e cultural e destinado para eventos religiosos.

Na ocasião, o pastor e outros membros da entidade relembraram os obstáculos que precisaram enfrentar para conseguir recursos que viabilizassem a construção da praça. Segundo Jean Carlo, é uma luta que ocorre desde 2008. “Não está escrito em nenhum lugar que é a Praça da Bíblia, mas reconhecemos como um espaço bíblico cultural. Para a gente tem essa identidade bíblica, é lugar sagrado. Não queremos que o Carnaval acabe, mas não queremos um evento que traz consequências desagradáveis vinculado a um espaço que foi conquistado com muita oração”, afirmou o pastor.

Por sua vez, o secretário municipal de Cultura, Luís Alberto Figueira, explicou que o local foi definido após reuniões com as entidades carnavalescas e argumentou que a escolha da Praça de Eventos para a realização do “corredor da folia” se deu com a intenção de reduzir os gastos. “É uma economia só em gastos com palco de R$ 60 mil, pois se fosse na orla ia exigir a montagem de palco. O local é mais seguro. Evita desperdício com o setor comercial, pois quando é feito na Avenida Tapajós é preciso interditar ruas, o que prejudica a movimentação no comércio. O novo local foi escolhido para amenizar as despesas”, ressaltou o secretário.

Após ouvir as contribuições dos membros de governo e levar em consideração todos os argumentos dos membros do Conselho de Pastores, o prefeito Nélio Aguiar reforçou a necessidade da redução dos gastos públicos e propôs uma nova reunião, no prazo de 48 horas, com as entidades carnavalescas, Conselho de Pastores e Prefeitura Municipal. O prefeito sugeriu ainda que a entidade religiosa elaborasse um documento pontuando cada argumento explicando o por quê de defenderem a não realização do carnaval na Praça da Avenida Dr. Anísio Chaves.

PASTORES E EVANGÉLICOS FAZEM ATO CONTRA CARNAVAL: Na noite de segunda-feira, pastores e membros  evangélicos se reuniram na Praça da Bíblia e fizeram um ato contra a realização do carnaval naquele espaço, que eles consideram como um local sagrado e não aceitam que a folia momesca de Santarém lá. A manifestação foi pacífica.

FOLIA CARNAVALESCA DA CIDADE ABRIRÁ COM OS BLOCOS DE ENREDO E DE EMPOLGAÇÃO

Secretário de Cultura Luis Alberto junto com carnavalescos da Asac e da Libes vistam o corredor da folia

Carnaval voltado para diversão e de responsabilidade ao público foram requisitos que nortearam a reunião do Carnaval de Santarém/2017 da área urbana. No encontro, realizado na sala cultural do Theatro Victória estiveram presentes representantes da Secretaria Municipal de Cultura (Semc), dos presidentes e dirigentes de blocos das entidades do Carnaval, da Associação Santarena das Agremiações Carnavalescas (Asac) e da Liga Independente de Blocos de Empolgação (Libes).

A folia promovida na área urbana de Santarém será no sábado (25) e na terça (28), das 20h às 2h, na Praça, localizada na Avenida Dr. Anísio Chaves, no bairro do Aeroporto Velho.  “Foi agradável e positivo o encontro junto às duas agremiações, o qual  firmamos em fazer o melhor à diversão nessa grande festa popular. Decidimos na primeira noite, a abertura com os blocos da Asac, seguido da dos blocos da Libes. Já na segunda noite somente os blocos de empolgação da Libes. O local escolhido foi avaliado como o melhor da cidade, seguro e traz economia para os cofres do município. E isso é agir com responsabilidade ao dinheiro público”, esclareceu o secretário de Cultura, Luís Alberto Figueira.

O presidente da Asac, Naldo Almeida, enfatizou que partilha do reajuste feito no evento carnavalesco. “Se faz necessário quando o propósito é ofertar o melhor ao povo participante do carnaval, tanto o brincante e a quem faz o carnaval. E não sair daqui com a sensação de ganho ou perda, mas de fazer o melhor ao carnaval santareno”, enfatizou.

“Concordamos com a distribuição feita na programação do carnaval. Usaremos a criatividade e vamos promover um grande espetáculo”, destacou o presidente da Libes, Adailson Sardinha.

Após a reunião, o secretário de Cultura e os carnavalescos visitaram ao local do evento Será destinado aproximadamente 300 metros de corredor da folia, incluindo o palco.

Fonte: RG 15/O Impacto, com informações de Karla Lima e Alciane Ayres

 

4 comentários em “Polêmica – Pastores não aceitam carnaval na Praça da Bíblia

  • 11 de janeiro de 2017 em 10:59
    Permalink

    Sou evangélico, mas sou contra este argumento destes “pastores”, dizendo que a “praça” é um local sagrado. Fico impressionado com tamanha ignorância e falta de conhecimento bíblico. Não existem locais ou pessoas sagrados, conforme o NT ensina, as únicas e manifestações visíveis da igreja neotestamentária é o batismo e a ceia. Se querem um local exclusivo para os cultos e eventos religiosos, que invistam em uma área particular.

    Resposta
  • 11 de janeiro de 2017 em 08:59
    Permalink

    É de bom tom, e bom senso, que os pastores adquiram um terreno para instalar sua “praça da bíblia”, não venham se comportar como se estivéssemos num estado religioso, à la muçulmanos !

    Resposta
  • 10 de janeiro de 2017 em 21:52
    Permalink

    Sagrado é a agua limpa, só isso. A praça da bíblia custou 3 milhões de reais feita com dinheiro de todos (e ficou bem feia), Não gosto de carnaval e odeio religiões, como moro terei que aturar as duas coisas, barulho de carnaval e desse bando de religioso com suas pregações ridículas.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *