Grande onda de assaltos assusta população santarena

Delegado José Castro orienta que as pessoas evitem andar desprotegidas.

A crescente onda de assaltos, onde as vítimas têm objetos roubados por bandidos cada vez mais audaciosos, que agem em plena luz do dia, alimenta a chamada indústria da receptação. Entre os itens mais visualizados pelos criminosos estão as motocicletas e aparelhos celulares. Sendo que na maioria das ocorrências deste tipo de crime, tem como base outra contraversão, o tráfico de drogas.

Como atualmente a situação não está fácil para o cidadão de bem, que labuta no dia a dia para conseguir adquirir os bens de que necessita, já faz tempo que se tornou necessário, ficar atento a um velho ditado popular, ‘diante do perigo, todo cuidado é pouco’. Em busca de traçar um ‘raio x’ da situação, nossa reportagem ouviu o delegado José Castro, responsável da Divisão de Roubos da 16ª Seccional de Polícia Civil de Santarém.

Inicialmente ele faz um alerta para a população. Diz que é necessário que se tome bastante cuidado ao comprar e até mesmo realizar a guarda de objetos que não se sabe qual a origem. Pois, caso a pessoa seja pega em posse de objetos oriundos de crime, pode responder pelo crime de receptação.

“A Divisão de Roubos tem tido um sério problema com relação às investigações e indiciamento de pessoas que não têm uma relação com a criminalidade. São pessoas normais que trabalham, porém, elas vislumbram em determinadas circunstâncias a possibilidade de sair ganhando em um determinado negócio, ou seja, na compra de celulares. Esses celulares, quando há uma desproporção no preço ou mediante as características da pessoa que está vendendo, são recuperados pela delegacia de roubos, e acabam gerando um outro procedimento, pelo crime de receptação pela pessoa que está utilizando o aparelho. Obviamente cada caso é analisado de acordo com as circunstâncias do caso concreto, porém, nos últimos meses nós temos recuperado bastantes celulares e todas as pessoas que estão de posse do celular, em regra, estão sendo autuadas ou pela receptação dolosa, quando a pessoa tem o conhecimento que o celular é roubado, ou pela receptação culposa, quando há uma desproporção no preço, e quando há, pelas características é possível que a pessoa saiba que aquele celular tem origem ilícita. Então, diversos trabalhadores com o intuito de querer se dar bem em uma transação comercial de compra e venda de celular, acabam na verdade comprando um celular roubado e respondendo a um procedimento criminal”, explica DPC Castro.

A autoridade policial informa que dependendo do enquadramento e tipificação, o acusado de receptação pode ir para o presídio, caso não pague a fiança.

“Na receptação dolosa a pena é de um a quatro anos, caso o celular tenha sido vendido por um proprietário de assistência técnica para fins comerciais a pena varia entre dois e oito anos, e caso seja a receptação culposa, aquela em que pelas circunstâncias dá para saber que é roubado a pessoa responde apenas a um termo circunstancial de ocorrência e a pena de seis meses a dois anos. Se a receptação é dolosa, ela cabe fiança, porém, se for uma receptação para fins comerciais, cabe fiança, mas somente arbitrada pelo juiz”, diz o Delegado.

O furto/roubo de motos também preocupa a população e as forças de segurança do Município. Alguns proprietários que tiveram seus veículos roubados pela bandidagem, relatam que mesmo registrando o Boletim de Ocorrência, os dados das motocicletas, quando consultados no sistema do Detran, não constam que os veículos foram furtados/roubados.

“Com relação ao roubo de motos, todos os procedimentos são adotados pelo Delegado do plantão, se ele tiver a senha de acesso ao SISTRÂNSITO ele mesmo pode lançar no sistema como roubadas, porém, se ele não tiver acesso ao SISTRÂNSITO ele terá que fazer um procedimento chamado dossiê, onde é composto por um conjunto de documentos, que são encaminhados para a Delegacia de Repressão a Furtos e Roubos de Veículos, que fica localizada em Belém, e essa Delegacia faz o lançamento”, expõe Dr. José Castro.

Diante do cenário dantesco, onde o cidadão de bem é alvo fácil dos meliantes, a única maneira é tentar se precaver, evitando certas situações e atitudes que na rotina tumultuada, fazem-nos mais expostos à criminalidade.

“As orientações para que a população não se torne vítima, são que andem sempre atentas e evitem andar falando no celular, trocando mensagens por aplicativos de mensagem instantânea e que prefiram atender os telefonemas e utilizar o celular em ambientes seguros, como em suas próprias residências ou quando tem várias pessoas próximas, nunca usar esses aparelhos em lugares desertos e paradas de ônibus sem que tenha outras pessoas por perto. Quanto às pessoas que estão comprando o celular a regra é única, só compre se tiver nota fiscal”, conclui José Castro.

COLISÃO ENTRE DUAS MOTOS NA CURUÁ-UNA DEIXA UMA PESSOA MORTA: O trágico acidente que tirou a vida do jovem de 22 anos, Alexandre Araújo da Silva, aconteceu na madrugada de domingo (9), na ponte do Urumari, na Rodovia Santarém/Curuá-Una. Segundo informações, duas motocicletas passavam pela ponte após retornarem de uma festa na comunidade do Mararu, quando os dois veículos se chocaram deixando quatro pessoas feridas. Os feridos foram socorridos pelo Samu, e encaminhados para o Pronto Socorro Municipal (PSM), mas infelizmente Alexandre Araújo, que era natural do Município de Óbidos, faleceu. Outras três pessoas que ficaram feridas no acidente, estão sob observação da equipe médica.

PROBLEMA NO GERADOR DE ENERGIA DO HMS PODE TER PREJUDICADO ATENDIMENTO À VÍTIMA DE ACIDENTE: Familiares e amigos do jovem Alexandre Araújo ficaram revoltados com a situação que pode ter contribuído para que a vítima tivesse mais alguma chance sobrevivência. E eles denunciam que no momento que o jovem chegou para ser atendido no PSM, não tinha energia elétrica fornecida pela concessionária, e o gerador de energia da unidade de saúde, não estava funcionando.

MULHER DE 65 ANOS MORRE DENTRO DE CAIXA D’ÁGUA NO BAIRRO LIBERDADE: De acordo com informações, vizinhos de Maria da Conceição Campos Ferreira, acionaram a Polícia quando perceberam que a mulher de 65 anos, que estava dentro de uma caixa d’água, provavelmente estava sem vida. O caso aconteceu na noite de terça-feira (11), na residência da idosa, localizada na Rua Riachuelo, bairro Liberdade.

Familiares registraram o caso na 16ª Seccional de Polícia Civil, que deverá apurar as circunstâncias do ocorrido. A equipe do CPC Renato Chaves realizou a remoção do corpo, e realizará o exame necroscópico para identificar a causa real da morte da idosa.

BANDIDOS INVADEM CASAS DESOCUPADAS NO SALVAÇÃO E TRANSFORMAM EM BOCA DE FUMO: Os moradores do Conjunto Habitacional acionaram nossa reportagem, para denunciar que traficantes estão invadindo casas que estavam desocupadas, e tocando o terror no Residencial Salvação, localizados às margens da Avenida Fernando Guilhon.

“Aqui próximo de casa, a gente não tem mais sossego. Depois que eles invadiram uma das casas, a gente vive amedrontado. Quando chega a noite, o movimento é constante. Não sabemos o que fazer. Pedimos que a polícia possa por fim a essa situação”, denuncia um morador que não quis se identificar, com medo de represália.

Dezenas de unidades habitacionais do Residencial Salvação, que não foram ocupadas pelo processo de seleção da Prefeitura de Santarém e Caixa Econômica Federal estão sendo invadidas.

Segundo informações, no período da noite pessoas destroem as fechaduras, e substituem por novas, no dia seguinte, as famílias se mudam para a residência.

A situação tem ocasionado desentendimentos e muita confusão. No sábado (8), pela manhã, um homem identificado como Hugo de Sousa, morador de umas  das casas do Residencial Salvação, na Rua Papagaio,  saiu para trabalhar e ao retornar à noite para sua residencia encontrou a mesma com novos moradores sendo um casal e dois filhos. Surpreso teve que chamar a polícia pra resolver o problema.

ALUGUEL CLANDESTINO: Outra denúncia é em relação a um homem que arrombou várias casas desabitadas no mesmo residencial e alugou. Ele alugou uma casa no valor de R$ 100,00 para uma senhora, os vizinhos estranhando a nova moradora acionaram a Policia Militar.

Conforme relatos de moradores, a situação é grave, e tanto eles quantos as pessoas cadastradas para receber uma unidade habitacional que estão na lista de espera, solicitam providências.

Por: Edmundo Baía Júnior

Fonte: RG 15/O Impacto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *