Semed presta contas na Câmara e revela que haverá concurso para ensino médio regular nas vilas Muirapinima e Tabatinga

Secretário municipal de Educação, Jonas Morais, apresentou um relatório sobre como encontrou a SEMED.
Dando continuidade às prestações de contas na Câmara, o secretário municipal de Educação, Jonas Morais, apresentou um relatório sobre como encontrou a SEMED e as providencias que já estão tomando para solucionar os problemas encontrados. A sessão ocorreu ontem, 18 de abril, com a presença do vice-prefeito, West Lima, secretários municipais, da diretora de Ensino, Cleunice Borges, coordenadores, diretores, e professores.
Os assuntos mais abordados foram merenda escolar, transporte escolar, ensino médio e a escola do Igarapé das Fazendas, sendo que sobre o ensino médio a notícia que mais alegrou os vereadores foi a de que o Governo do Estado vai fazer concurso público final do ano e já estão inclusas as vagas para as vilas Muirapinima e Tabatinga.
Sobre o transporte escolar, Jonas afirmou que a SEMED dispõe de 24 ônibus escolares, porém apenas 17 estão funcionando e de forma precária, devido à falta de manutenção, além de problemas em estradas que tem dificultado o acesso do transporte em algumas regiões como Miri, mas garantiu que junto com a Secretaria de Infraestrutura (SEMINF) vai resolver o problema, porque a chuva tem dificultado o trabalho.
O orçamento aprovado em 2016 para a merenda escolar, no valor de 2 milhões de reais, segundo o secretário, é insuficiente para atender os mais de 14 mil alunos. O valor necessário seria de mais de 5 milhões. “Com o orçamento que nós temos só dá para atender a demanda até o meio do ano, e vamos ver de que forma legal podemos fazer um novo processo de licitação para não deixar nossas crianças sem merenda”, disse Jonas. Os vereadores Fladimir Andrade (PSC) e Carlos Alberto (DEM) colocaram a Câmara à disposição caso a SEMED precise de crédito para aumentar esse orçamento.
Sobre a escola do Igarapé das Fazendas, a SEMED vai ter uma reunião com a empresa responsável pela obra, e deverão fazer uma visita in loco, junto com os vereadores para ver a situação. “Temos uma dívida alta da SEMED de 7 milhões empenhados, e dentro desse valor está inclusa a pendencia dessa escola, ainda estamos pagando o mês de dezembro, e o orçamento aprovado de tem nos limitado, mas vamos fazer uma força tarefa para concluir essa escola”, garantiu o secretário.
Ainda sobre o Ensino Médio, uma equipe da SEDUC vai estar em Juruti no período de 24 de abril a 3 de maio para resolver todas as pendencias sobre o ensino médio tanto da área rural quanto da área urbana, como a reforma da escola Emanuel Salgado Vieira.
A vereadora Andrea Alves (PSD) elogiou a atuação de Jonas e ressaltou a sua sensibilidade principalmente na questão da educação infantil. “Fiquei muito feliz em saber que haverá vagas no concurso público para a educação infantil”. A vereadora também se mostrou preocupada com os cargos e o número de vagas específicas para a educação infantil que terá que passar pela Câmara. A SEMED fará essa análise para enviar para aprovação dos vereadores.
Sobre a UFOPA, Jonas Morais afirmou que a Universidade fará um novo processo licitatório para a continuidade da construção do prédio, e que vai alugar um espaço para os alunos dos cursos de Engenharia de Minas e Agronomia, selecionados nos segundo semestre. Afirmou também que a UFOPA garantiu ampliar os cursos de graduação e implantar cursos de pós-graduação.

EM PARCERIA COM A PMJ, IDEFLOR INICIA A INSTALAÇÃO DE VIVEIRO EM JURUTI

Viveiros de produção de mudas são parte integrante do Projeto PROSAF

Começou nesta quarta, 19, em Juruti, a montagem e instalação de viveiros de produção de mudas, realizada pelo Instituto de Desenvolvimento Florestal e da Biodiversidade do Estado do Pará (Ideflor-bio), que resultará na produção de mais de 15 mil mudas florestais e frutíferas.
Os viveiros de produção de mudas são parte integrante do Projeto PROSAF, que vem sendo desenvolvido pelo Instituto nessa região desde 2015, constituindo um importante instrumento para recuperação de áreas alteradas e degradadas.
Essas áreas são o objeto principal do projeto, que utiliza como estratégia de ação a implantação de Sistemas Agroflorestais Comerciais (SAFs). Os viveiros propiciarão a produção das mudas que serão introduzidas no plantio, sendo, portanto, indispensáveis à implantação desses sistemas.
O público-alvo são agricultores familiares, que terão pelo menos um hectare recuperado de suas propriedades, contribuindo, assim, para a redução do passivo ambiental. Com a implantação do PROSAF na região do Baixo Amazonas, estima-se que cerca de 200 hectares sejam recuperados em áreas provenientes da agricultura familiar.
O PROSAF – foi criado em 2013 pelo Ideflor-bio, por meio da Diretoria de Desenvolvimento da Cadeia Florestal (DDF), com o objetivo de promover a recuperação de áreas alteradas, a partir da Implantação de SAF’s Comerciais, contribuindo com a segurança alimentar, a geração de renda e a redução do passivo ambiental na agricultura familiar.
Com dimensionamentos e capacidade de produção variada, os viveiros têm estrutura definida com base no número de agricultores familiares que serão contemplados e a quantidade de hectares a serem recuperados.
Segundo Paula Pereira, do IDEFLOR, após a efetiva implantação dos SAF’s, o projeto avançará para sua próxima etapa de ação, que corresponde ao monitoramento e assessoramento técnico, o qual deverá ser feito junto a instituições parceiras.
O prefeito de Juruti, Henrique Costa, e integrantes do governo municipal visitaram nesta manhã o local onde está sendo instalado o viveiro.
De acordo com Agostinho Guimarães, secretário de Produção e Abastecimento, o projeto poderá ser implantado nas regiões do Mamuru e de Juruti Velho.
O projeto compreende desde o estudo do potencial econômico e do perfil do agricultor familiar, treinamento e capacitação, até o preparo da área e implantação do SAF, além do monitoramento e acompanhamento técnico. Conta, ainda, com o apoio de entidades públicas parceiras nas esferas, estadual e municipal, além de associações, cooperativas e sindicatos de trabalhadores rurais que também darão suporte à realização das atividades do PROSAF.
Fonte: RG 15/O Impacto e CCOM/PMJ

Deixe seu comentário aqui: