VELOZES E FURIOSOS 8 (The Fate of the Furious)


Por: Allan Patrick (allanpatrickvv@hotmail.com)

Tem pessoas que simplesmente não suportam certos tipos de filmes, por serem muito fantasiosos, exagerados e sem compromisso algum com as leis da física, estou certo de que essas pessoas odeiam o cinema blockbuster, pipoca e de entretenimento. Esses tipos de filme vêm sendo produzidos desde os anos 70, tomando uma maior proporção na década de 80, até chegar aqui, em nossos tempos atuais. Virar as costas para essas produções é renegar de certa forma as bases da maior indústria do cinema mundial.
Nem sempre esse tipo de produção se torna bem sucedida. A própria franquia Velozes e Furiosos só se descobriu na minha humilde opinião, nas últimas edições. O primeiro filme de 2001, exibia um realismo, se comportando como um remake comparado a produções como Caçadores de Emoção (1991). Quando Vin Diesel retornou para a série em 2009, com Velozes e Furiosos 4, aos poucos os produtores foram moldando o que temos hoje.
Hoje temos filmes de ação megalomaníacos, com orçamentos astronômicos, cujo espetáculo visual e valor de entretenimento é comparável a gigantescas produções como 007, Missão: Impossível, Indiana Jones, Star Wars, filmes da Marvel e agora também DC. Não é exagero! Para os estúdios, o entusiasmo para estas continuações é muito grande, afinal, esses filmes enchem os caixas dos estúdios com muita grana, se tornando galinha dos ovos de ouro.
Quando se trata da franquia Velozes e Furiosos, podemos notar um grande desafio, a cada edição, os estúdios têm o dever de apresentar cenas cada vez mais megalomaníacas desafiando todos os limites com relação à realidade, além da adrenalina da confecção de exímias cenas que desafiam nossos olhos e mentes, entregando a cada nova edição algo nunca tentado, proporcionando um imersão tão profunda àquela realidade do filme, que para alguns expectadores, um bom roteiro ou atuações excepcionais se tornam literalmente descartáveis.

No quesito ação, Velozes e Furiosos se comporta mais como os arrasa-quarteirões do passado, aqueles que a minha geração cresceu assistindo nas década de 80 e 90, na qual reinavam super astros como Arnold Schwarzenegger e Sylvester Stallone. Sinceramente me pergunto como essas duas lendas ainda não fizeram alguma participação nesta super saga.
Na trama, Toretto (Vin Diesel) vira renegado e se volta contra o que mais valoriza no mundo, sua família. O motivo é a chegada da vilã Cipher (Charlize Theron), uma cyber terrorista temida mundialmente, ao ponto de ser considerada apenas uma lenda, que está na cola do troglodita careca há muito tempo. Ela chantageia o sujeito e o faz trair as pessoas que mais ama, para concluir sua missão. O motivo… Bem! é surpresa!. A partir daí, como em todos os filmes, tudo se torna apenas uma desculpa para as mais espetaculares cenas de ação, repletas de muito humor (nossa como ri nesse filme… ótimo!), personagens cativantes, e a adição de nomes pra lá de inusitados ao elenco.
Entrar numa sessão desse filme é estar disposto a aceitar o impossível de todas as formas improváveis, e a garantia de diversão do começo ao fim. Já estou ansioso para o 9º e o 10º que já estão confirmados pela Universal. Minha nota 8,0!


LOCADORAS – Invasão Zumbi (Train to Busan)

Invasão Zumbi é uma das produções mais eletrizantes do ano de 2016, que chegou nas locadoras para sacudir as estruturas. No filme escrito e dirigido por Yeon Sang-ho,  diretor de animações asiáticas, fazendo sua estreia no cinema live action. Na trama acontece um acidente numa fábrica que causa um estranho fenômeno, espalhando um terrível vírus e mantendo parte da cidade em quarentena. Logo na cena de abertura, percebemos a crise iminente com o atropelamento de um animal, que irá ditar o tom macabro para o longa. Com um vírus não identificado se alastrando pelo país, o governo Coreano declara lei marcial. Todos que estão no trem expresso para Busan, uma cidade que defendeu com sucesso o surto viral, devem lutar por sua própria sobrevivência. O percurso de Seul a Busan é de 453 km. Trata-se da luta pela sobrevivência por aqueles que têm outros a proteger. Suba a bordo para permanecer vivo! Minha nota 7,5!

Deixe seu comentário aqui: