Eduardo Fonseca Ed. 1146

A FEIRA DA COHAB, OUTRA VEZ

A Feira da COHAB voltou a ser notícia, novamente. Só que desta vez é porque a “Força Tarefa” montada pelo município de Santarém iniciou a obra de “repaginação” e “revitalização” acertada pelo TAC (Termo de Ajuste de Conduta), assinados pela Prefeitura Municipal de Santarém e com o Ministério Público Estadual, – Promotoria da Cidadania. Este recentemente deu quinze dias para a adequação da feira.
Só assim, a Feira da Cohab vai melhorar o “visual”, porque pelos inúmeros pedidos, principalmente, alguns feitos pela Associação dos Moradores do Conjunto Tapajós,-I, que ficou conhecido como Conjunto da Cohab, que alguns erroneamente, chamam de bairro, mas na realidade, bairro da COHAB não existe. O bairro é Diamantino.
Mas espero que se conclua a melhoria da feira e que desta vez se consiga, de uma vez por todas, resolver a questão do terreno onde ela fica situada, porque a COHAB, ainda não doou para ninguém, que já lhe fizeram o pedido, nem para a FAMCOS (não sei porque ainda de existir isso), nem para Associação de Moradores do Conjunto Tapajós ou APRUSAN. Tem prometido muito, há anos! Resolvido nada! Mas espero que desta vez, retorne a área para o município que é quem, através da secretaria que cuida das feiras e abastecimento de Santarém, deve gerir e zelar por ela.
Espero que as demais feiras como a do MERCADÃO 2000, a do MERCADINHO MUIRAQUITÃ, conhecido popularmente como Rodagem. A da VILA ARIGÓ, o Mercadinho da BUCHADA, e do PORTO DOS MILAGRES venham a merecer a mesma atenção, sem a interferência do MP estadual. E A feira do SANTARENZINHO? Que esta saia do papel e saia de um terreno particular, para um logradouro público. A População merece. Cadê a liderança do Bairro para abraçar esta causa que já vem de outros mandatos? E o nosso MERCADO CENTRAL, que passa por uma obra recuperação de uma parte do piso, iniciada, neste governo. E Estava paralisada até semana passada. Será que vão esperar o aniversário de Santarém, em 22 de junho, para inaugurar a “guaribada”?
Há quem não goste de algumas atitudes promovidas pelo Ministério Público, até alguns vereadores já usaram da tribuna para criticá-las, mas, Santarém desde outros governos, tem avançado por causa da determinação do MP estadual. Ainda falta cumprir a ANÍSIO CHAVES, por exemplo, está paralisada. Só vai na pressão!
Além do mais, todos gostamos da retirada daqueles vendedores ambulantes em frente ao Hospital Municipal, antigo SESP. Fizeram uns quiosques mais agradáveis e mais higiênicos e liberaram a calçada para o pedestre, que é quem é dono das calçadas. E o visual ficou bonito.
E esta semana, também, vi como muita alegria e satisfação mais um cumprimento de determinação do MP estadual, sendo realizado. Foi a desobstrução da calçada. Uma pizzaria próxima à Igreja do Santíssimo, na José Agostinho, resolveu se adequar ao Código de Postura do Município de Santarém e liberou a calçada, onde fazia o seu salão gastronômico, para os seus verdadeiros donos, os munícipes. Agora está num verdadeiro salão com ar refrigerado e tudo. Não ficou mais bonito? E mais agradável?. Então, aqueles que ainda estão contra “revejam seus conceitos” e pelo bem de Santarém, vamos todos zelar por esta que teimamos em dizer que é a “Pérola do Tapajós”, mas não temos o mesmo zelo em passar-lhe o cinzel e lapidar esta jóia tapajoara. ///// Mais uma vez nos deparamos com as exigências da Polícia Administrativa e das leis ambientais para a realização de uma época do ano das que já foi, em Santarém uma das mais bonitas, ou pelo menos, mais animada épocas do ano. As Festas Juninas. São tantas restrições impostas, para ensaios, apresentações etc. que alguns, dos tradicionais, “cordões” de bois e de pássaros decidiram não mais participar das festas juninas. A continuar a assim, o São João será mais um “já teve”, para Santarém ou então vão dizer que “Isso é lá com Santo Antônio”. ///// Com todas essas delações, do mar de lama que se transformou o País, pelos homens que mandamos para lá para o Planalto. Venha nos servir de lição que todo mundo é farinha do mesmo saco. Que devemos aprender a votar, coisas que muita gente se aborreceu com o rei Pelé, na década de 70, quando disse que “o brasileiro não sabe votar”.… sabe, sim! Mas é o voto comprometido, trocado, comprado, vendido, dos favores que vem desde a tradição do coronelismo do sertão e dos currais eleitorais dos coronéis do barranco na Amazônia. De duas coisas uma, para mudar esse cenário imundo, um retrocesso. A volta da família real, D. Pedro de Orleans e Bragança, para tirar todos esses políticos de fichas e mãos cujas da ativa. Só resta, então, o eleitor decidir que: “os velhos de Brasília, não podem ser eternos”. “Ideologia! eu quero uma pra viver”.  ///// Quero apresentar as minhas solidariedades aos familiares da enfermeira ETHEL SOARES, que recentemente nos deixou e foi chamada pelo Pai eterno para habitar em uma de suas moradas. Foi minha aluna no Colégio Dom Amando e na CESMAZON/(FIT). Fica-me a imagem do seu sorriso, sempre estampado no seu rosto, quando nos encontrávamos e de uma pessoa muito alegre e agradável. REQUEST IN PEACE, ETHEL! ///// Nesta sexta o sucesso continua, com a SEXTA DA SAUDADE no FLUMINENSE.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *