Ministério Público cadastra voluntários para projeto no bairro Área Verde

Projeto é coordenado pela promotora de justiça Lilian Braga e conta com o apoio da Universidade Luterana do Brasil (Ulbra).

O programa Ministério Público e a Comunidade em Santarém está recebendo até o dia 30 de junho, cadastro de universitários voluntários para participar de projeto no bairro Área Verde. O programa desenvolve desde 2012, projeto de mediação comunitária no bairro. Em continuidade às ações, será feita pesquisa fundiária para levantamento sobre as condições de posse da terra, com objetivo final de pleitear extrajudicialmente a legalização dos terrenos das famílias residentes. Os alunos farão o cadastro e entrevista com moradores do bairro à partir de agosto, sob a orientação da coordenação do projeto.

O projeto é coordenado pela promotora de justiça Lilian Braga e conta com o apoio da Universidade Luterana do Brasil (Ulbra). Os voluntários podem ser alunos da Ulbra, Unama e Ufopa. No próximo dia 27 de junho será apresentado aos moradores do bairro, em reunião na comunidade. Para realizar as pesquisas junto às quase 2 mil famílias que residem no bairro, será necessário o apoio de 100 voluntários, que receberão o devido treinamento antes de ir à campo, o que deve ocorrer somente em agosto.

Os alunos das universidades e faculdades de Santarém que desejem atuar como pesquisadores no projeto podem se inscrever até o dia 30 de junho, no Teatro Vitória, das 8h às 17h, ou enviar email para arlena@mppa.mp.br. Os voluntários farão entrevistas para aplicação de um formulário próprio, cujo resultado deve trazer o perfil e cadastro dos moradores, contendo as várias situações de propriedade, o que deve favorecer a resolução das questões junto ao poder público municipal.

Desde 2012 o programa MP e a Comunidade desenvolve projeto de mediação comunitária no bairro Área Verde. A estratégia é o empoderamento da comunidade para a busca de solução dos seus problemas sociais. O levantamento feito com a participação da comunidade apontou a necessidade de regularização dos terrenos, a falta de saneamento básico, falta de iluminação pública, transporte coletivo precário, violência, desmatamento, e outros problemas, que repercutem na qualidade de vida dos moradores.

A legalização dos terrenos é uma das principais demandas apresentada pelos moradores, pois sem os documentos de posse da terra, não é possível investir na melhoria das moradias, entre outros benefícios.  O povoamento do bairro ocorreu a partir do ano de 1981, com a chegada das famílias. Em meados de 1988 foi iniciada a regularização do bairro e criada a Associação Comunitária Área Verde Agrícola de Santarém. O processo de urbanização começou desde então e outras organizações e associações surgiram, além de serviços e benefícios.

Fonte: RG 15/O Impacto e Lila Bemerguy/MP

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *