BAYWATCH – SOS MALIBU é bom?

BAYWATCH – SOS MALIBU

(Baywatch)

Baywatch, ou “SOS Malibu”, como ficou conhecida no Brasil, se junta as produções televisivas adaptadas para as telonas. Muitas outras obras de sucesso do passado já tiveram suas adaptações como Perdidos no Espaço (1998), As Panteras (2000), Missão: Impossível (1996), O Cavaleiro Solitário(2013), Esquadrão Classe A (2010), Anjos da Lei (2012) e o recente O Agentes da UNCLE (2015), isso só para citar alguns. Sendo que a maioria dessas produções não renderam o sucesso esperado pelos estúdios e agora surge a mais nova adaptação das series que costumávamos assistir na década de 90 na Globo, “SOS Malibu”, grande parte do charme da série vinha da erotização de mulheres esculturais e seus maiôs vermelhos colados correndo em câmera lenta, assim como homens sarados em trajes de banho da mesma cor, a série chamava a atenção principalmente do público masculino pela presença da linda e loira, Pamela Anderson.
‘Baywatch’ foi uma série televisiva norte-americana sobre salva-vidas de Los Angeles que patrulham as mais lotadas praias de Los Angeles, Califórnia. A série durou de 1989 até 1999. Segundo o Livro Guinness de Recordes Mundiais, ‘Baywatch’ foi o seriado de TV mais assistido de todos os tempos, com mais de 1,1 bilhão de telespectadores em 142 países no ano de 1996.
A trama se passa em Emerald Bay, onde ninguém se destaca mais do que o lendário salva-vidas Mitch Buchannon (Dwayne “The Rock” Johnson). Como líder da equipe de Baywatch, Mitch tornou-se uma espécie de herói local. Mas o novo e insubordinado recruta do time, Matt Brody (Zac Efron), anda tirando a sua paciência. Apesar das desavenças, os dois se unem quando descobrem uma conspiração criminosa local que ameaça a enseada onde trabalham. Toda a equipe Baywatch é posta em teste quando uma nova e perigosa droga invade a costa de Emerald Bay.

O roteiro do filme foi escrito por Damian Shannon e Mark Swift, roteirista de filmes de terror irregulares como Freddy Vs Jason (2003) e Sexta-Feira 13 (2009). E esse é um dos pontos altos da adaptação: não se levar a sério e brincar com cada clichê de seu predecessor. Por exemplo, quando CJ Parker (vivida por Pamela Anderson na série e no filme pela igualmente estonteante Kelly Rohrbach) corre, é sempre em câmera lenta, fato que os personagens adereçam de forma graciosa. Em outro diálogo, quando numa reunião os salva-vidas relembram seus casos inacreditáveis (todos saídos diretamente do acervo televisivo), Matt Brody (Zac Efron) trata de devolver: “isso soa como roteiro de uma série de TV ruim”. Ao colocar os personagens rindo e comentado o quão ridícula é a premissa.
O humor autoreferente é um acerto. Outro acerto é manter os mesmos personagens da série, assim Mitch Buchannon, Matt Brody, CJ Parker, Stephanie Holden e Summer Quinn desfilam em tela, fazendo a alegria dos fãs mais nostálgicos. A grande descoberta no elenco e maior brilho no quesito, é justamente a citada Kelly Rohrbach, cujo carisma de sua CJ transcende qualquer outro personagem, criando com Jon Bass (o gordinho Ronnie) a melhor química em cena, eu desejo ver um filme só da dupla.

Mas nem tudo são flores. As piadas que acertam e funcionam são repetidas até perderem a graça. É como se os realizadores ficassem sem repertório muito rápido, tentando desesperadamente se agarrar ao que fez rir, ao invés de criarem novas situações. Fora isso, a trama é pra lá de rotineira e mesmo que saibamos que não deva ser levada a sério por um minuto, poderia ter sido confeccionada uma história mais interessante. Aqui, a rica dona de um restaurante (a indiana Priyanka Chopra) está traficando drogas e os heroicos salva-vidas decidem ficar na sua cola. E é isso!

Para falar a verdade me divertir assistindo, me lembrou sucessos como “American Pae” e “Loucademia de Polícia”, Dwayne “The Rock” Johnson como sempre muito carismático e as confusões e as piadas renderam boas risadas. Minha nota: 6,0.

 


DICAS NETFLIX

O ESPAÇO ENTRE NÓS

(The Space Between Us)

A aventura interplanetária conta a história de Gardner Elliot, um menino curioso e altamente inteligente, nascido e criado em Marte. Sua mãe descobriu a gravidez após decolar no ônibus espacial que carregava a missão de colonizar o planeta vermelho, e morreu por complicações no parto sem nunca ter revelado o nome do pai. Convivendo com apenas 14 pessoas nos primeiros 16 anos de vida, o jovem astronauta recebeu uma educação restrita, que alimentou uma enorme vontade de conhecer o seu pai biológico. Mas com a ajuda de Tulsa, uma garota do Colorado, que se torna uma grande amiga virtual, Gardner consegue criar forças para descobrir a qual lugar do universo pertence.
Quando finalmente tem a chance de viajar para a Terra e conhecer sobre tudo o que leu enquanto esteve no espaço e ansioso para encontrar seu pai, o garoto escapa da equipe de cientistas que o cuidaram desde o nascimento e junto com Tulsa embarca em uma inesquecível corrida contra o tempo. Minha nota 6.0.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *