A TORRE NEGRA – Crítica

A TORRE NEGRA

(The Dark Tower)

Um dos autores que mais possui suas obras literárias de sucesso adaptadas para as telonas, trata-se de Stephen King, um dos escritores mais celebrados mundialmente, e que desde Carrie – A Estranha (1976), seu primeiro livro transformado em filme, teve mais de 230 produções baseadas em seus textos, entre longas, séries e filmes feitos para a TV. A qualidade da maioria das adaptações cinematográficas, nem sempre fizeram o sucesso esperado.

Em seu acervo temos obras-primas como O Iluminado (1980), Louca Obsessão (1990), Um Sonho de Liberdade (1994) e À Espera de um Milagre (1999), de contra partida temos produções horríveis como Comboio do Terror (1986), Sonâmbulos (1992), O Passageiro do Futuro (1992) e Tommyknockers(1993). Em 2017, King volta para o centro das atenções, além da série O Nevoeiro (que já está disponível na Netflix e  já havia sido adaptada na forma de um filme de 2007) e o muito esperado, It – A Coisa (igualmente uma minissérie de 1990), chega aos cinemas A Torre Negra, uma das mais ambiciosas adaptações para o cinema.

A Torre Negra é na realidade uma série de livros em oito volumes, que mistura fantasia e faroeste, onde King buscou inspiração no autor J.R.R. Tolkien (aquele mesmo, de Senhor dos Anéis). É seguro dizer que muito do desejado pelo autor se perde na transição de mídias, e apesar de King ter dado o seu ok, o resultado não é nada mais do que medíocre. Não sentimos, por exemplo, as influências do gênero faroeste aqui. E o resultado termina sem o funcional senso de humor. Extremamente genérico e rotineiro (não tem nenhuma novidade). A trama apresenta o pequeno Jake (Tom Taylor), um pré-adolescente que vem tendo sonhos pra lá de estranhos com um Homem de Preto (Matthew McConaughey), uma figura verdadeiramente demoníaca, quem atormenta seu subconsciente.

Pelo que eu pesquisei, a série Torre Negra é uma obra literária muito especial que arrasta muitos fãs pelo mundo todo, mas enfatizo para que ninguém esqueça: aqui estou avaliando somente o FILME, ou seja, o que é mostrado nas telas (estou expressando apenas meu ponto de vista, em uma das minhas críticas, algumas pessoas não aceitaram muito bem e agiram sem compostura, se alguém tem um ponto de vista diferente do meu, por favor, defenda-o com inteligência, educação e sabedoria). Portanto, esqueçam os livros. Agora digam se esta história soa familiar: “Um grande vilão planeja dominar o mundo e para isso pretende soltar forças das trevas no planeta. O único que pode impedi-lo é um menino, o escolhido, que contará com o preparo e ensinamentos de um homem duro e justo, a quem chamará de mestre”. Pois é, já vimos essa premissa em sucessos como: Star Wars, Matrix e até os filmes atuais de super-heróis, esta fórmula é a exata aplicada na jornada do herói, essa narrativa obviamente está mais do que batida e necessita de um diferencial e esse diferencial, lamentavelmente não encontramos aqui. Tudo que vemos em A Torre Negra, já vimos em algum outro filme.


O roteiro de A Torre Negra não é muito bom ao nos apresentar este outro mundo, a dimensão na qual residem Walter, o Homem de Preto, e sua contraparte, o Pistoleiro Roland (Idris Elba). Mas não é somente o local que é explicado de forma pobre, ou não é explicado. As figuras dos protagonistas e suas personalidades são verdadeiras incógnitas, eu gostaria de saber um pouco mais sobre como surgiu o pistoleiro, suas origens, falo o mesmo sobre as origens do Homem de Preto, despertou minha curiosidade, sem sombra de dúvidas o personagem mais bem trabalhado pelo texto é o menino, porém, igualmente genérico. Já vimos historias como a dele em várias produções de sucesso. Os atores principais até se esforçam dando o melhor de si, mas são apagados pelo roteiro preguiçoso, ou seja, A Torre Negra não passa de um amontoado de efeitos especiais, perfeito para você assistir em casa no conforto do seu lar. Em uma sessão da tarde.

Fui assistir esse filme sem expectativas, sem nunca ter lido um dos livros, e o filme não é de todo ruim, tem uma história interessante, bons efeitos especiais, uma história que se fosse melhor abordada, com certeza teríamos algo como a trilogia o Senhor dos Anéis, temos também os ótimos Matthew McConaughey e Idris Elba que fazem o que podem. Gente esse é meu ponto de vista, não sou o dono da verdade, vá ao cinema e tire suas próprias conclusões, Minha nota: 5,5.

 


DICAS NETFLIX

ONDE ESTÁ SEGUNDA?

(What Happened to Monday)

2073. O aumento crescente da população faz com que os recursos naturais da Terra se tornem cada vez mais escassos, especialmente após a América do Sul tornar-se um imenso deserto. A saída é investir em alimentos geneticamente modificados, de forma a ampliar a produção em um espaço físico cada vez mais limitado. Entretanto, tal iniciativa gera como efeito colateral, o nascimento cada vez maior de gêmeos, o que aumenta ainda mais o problema da superpopulação. Situado num mundo fragilizado pela superpopulação, sete irmãs gêmeas (Rapace) dividem os dias da semana para poderem conviver no mundo, sendo cada uma nomeada com seu respectivo dia em que é permitida sair. Quando Segunda desaparece, as outras seis têm de se juntar para descobrir o paradeiro dela enquanto são caçadas pelas forças do governo. Minha Nota: 9,0!

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *