Em Manaus, médico é preso suspeito de estuprar bebê de 7 meses

Manaus/AM – A polícia apresentou nesta sexta-feira (1º), o casal de peruanos suspeito estuprar uma bebê de apenas sete meses de idade, em um motel, no bairro Coroado, Zona Leste de Manaus. Os acusados, um médico de 45 anos e uma mulher de 24, foram denunciados por funcionários do estabelecimento que desconfiaram da dupla ao ouvir o choro da criança em um dos quartos. Na ocasião, a criança foi encontrada sem roupa e a mãe chegou a alegar que estava trocando a fralda dela que estava suja. A Polícia foi acionada e deteve a dupla para prestar esclarecimentos.

Segundo Juliana Tuma, titular da Delegacia Especializada em Proteção a Criança e ao Adolescente (Depca), horas depois o abuso foi comprovado por laudo do Instituto Médico Legal (IML) que indicou ainda, que essa não é a primeira vez que a menina é estuprada: “ O laudo pericial não deixou dúvidas sobre o estupro, a criança estava muito machucada e machucada há muito tempo”.

Juliana afirma que em depoimento, a mãe da criança confessou ter visto em várias outras ocasiões, o médico e suposto pai da criança cometendo os abusos, mas não revelou há quanto tempo isso vem acontecendo. Ela relata que certa vez, ao entrar no quarto se deparou com o homem assistindo a filmes pornográficos com a bebê no colo. Enquanto via as cenas, o médico apertava fortemente as nádegas da criança, sem se importar com o choro da mesma. Segundo a mãe, o parceiro teria “preferência” por sexo anal: “Ela inclusive afirma essa tendência e preferência dele por essa parte da genitália”, disse Juliana.

Questionada sobre o por quê de permitir os abusos, a mãe que não teve a identidade revelada, contou que gostava muito do parceiro e não tinha coragem de denunciá-lo. Além disso, ao descobrir o crime, ela alega que chegou a ser ameaçada por ele. A suspeita também disse ter sido abusada pelo peruano quando ainda era adolescente. Conforme Tuma, a mulher relatou que foi trazida do Peru, para trabalhar de doméstica na casa da mãe do médico que é seu
primo de 2º grau. Ao chegar, ela teria sido forçada a manter relações sexuais com ele, mas após engravidar, teria se apaixonado. O peruano preferiu não se pronunciar e disse que só falará em juízo.

A delegada afirma que o casal foi flagranteado por estupro de vulnerável e deve ser encaminhado aos Centros de Detenção Provisória, onde ficará à disposição da Justiça. A menina recebeu atendimento médico está sob a tutela do estado em um abrigo. Ela não tem registro de nascimento, o que segundo a polícia também será investigado.

Fonte: Portal do Holanda

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *