Eduardo Fonseca Ed. 1164

AGORA É A VEZ DOS BOMBEIROS

Semana que passou foi instalada oficialmente o 35º Batalhão da Polícia Militar, o segundo em Santarém, que irá aumentar a segurança, principalmente, na zona Rural, pela parte da Rodovia Santarém Curuá Una, e BR 163, além de parte dos municípios de Mojuí dos Campos e Belterra.
Isso se deu, em parte, por iniciativa dos movimentos comunitários da região de Maicá, e o Conselho de Segurança da Grande Área do Maicá que se aliou aos demais movimentos e associações de bairros, com apoio, decisivo dos representantes do povo santareno. Um trabalho conjunto, raro por sinal na política atual, dos vereadores da Câmara Municipal de Santarém.
Com esse aumento constante da violência, o governo se não pode “educar as crianças, para não ter que punir os cidadãos”. Só lhe resta construir presídios e aumentar as tropas na rua, para dar ao povo a “sensação de segurança.”
Se tiveram o cuidado de abraçar essa gloriosa e valiosa iniciativa de lutar por um Batalhão da Polícia Militar do Estado do Pará, em Santarém, lamentavelmente não se ouviu até agora, um esforço para se ampliar, suprir de equipamentos modernos e adequados, os Corpos de Bombeiros, em Santarém. Esta uma cidade que cresce, na horizontal e principalmente, na vertical. São prédios para todos os lados. Será que os nossos valorosos “soldado do fogo”, já não estão merecendo a mesma preocupação por parte das nossas lideranças.? Não queremos profetizar, mais um incêndio em prédios de dez andares ou mais, que ocorre em Nova York pode ocorrer aqui em Santarém, só que lá os equipamentos são quase todos eficientes, e aqui?
Os nossos incêndios de verão tem aumentado em muito, ocasionando a utilização de esforço, quase sobre humano dos bombeiros para combatê-los. Além de naufrágios, afogamentos, vigilância de praias, principalmente agora, após as férias, no verão e Çairé, além árvores caída, as abelhas, as pessoas que caem em poço, animais, também, desmoronamentos e outras inúmeras atividades, para um Batalhão, que já se ressente de um contingente maior, mas me parece que ainda permanece, o mesmo de cinco anos atrás e a cidade já cresceu, com mais os municípios de Mojuí dos Campos e Belterra, e os distritos como Alter do Chão, Boa Esperança, até mesmo Arapixuna e Curuaí e inúmeras comunidades ribeirinhas que os bombeiros atendem.
Então, será necessário se levantar a bandeira, doravante e lutar por uma ampliação, adequação e novos equipamentos mais modernos e promover o nosso Destacamento dos Bombeiros, para um Quartel maior, com um número maior de recursos humanos. E assim, novos e modernos equipamentos.
Se não podemos dormir em paz por causa da bandidagem, poderemos ter um sono mais tranquilo, por saber que os bombeiros estão sempre atentos para o bem do cidadão, porque para eles tem; “vidas e riquezas a salvar”.
UMAS E OUTRAS. Na segunda-feira que passou viu-se na televisão, o resgate de um traficante de um hospital. Os meliantes daqui aprenderam rápido. E resgataram um “menor/maior” que estava aguardando atendimento psicológico e social, no CAPES, que fica localizado na Av. Presidente Vargas, quase em frente à Defensoria Pública Estadual e próxima da sede da Subseção da OAB-PARÁ. O jovem estava nas mãos de um agente de SUSIPE. Interessante que os bandidos sabiam a hora e local em que se encontrava o seu comparsa. Parece coisa de novela já fazendo parte da nossa vida real mocoronga. ///////// Retorna-se a mais de vintenária polêmica sobre o cais do porto de Santarém. Agora, a desculpa é a construção da orla, mas esta no projeto original não é para atracar barcos. Hoje Santarém tem até uma secretaria para cuidar dos portos, que ninguém sabe onde está localizada. E ninguém viu um trabalho dela, mas a cúpula intelectual do atual governo, não tem condições a administrar um porto inaugurado no dia do aniversário de Santarém, 22 de junho. Tem fogos Pei, pei, bum, bum…! como já se diz nos aniversários dos pequenos. “Teve fogos bolo e teve guaraná”. E agora?. Vamos devolver para quem construiu. E permanecer no mesmo critério mais rudimentar que os anos 60, quando só se tinha e a Prefeitura administrava o trapiche e o caisinho (lembram????). Agora, será que se terá que “licitar” esse porto, para um afilhado político? Como aconteceu com a balsa da travessia do Tapará para cá? //////// O Brasil ficou surpreso no último final de semana que passou com os novos combates, na permanente guerra civil, existente na cidade maravilhosa, Rio de Janeiro, entre as facções do “crime organizado num estado desorganizado”. Não pensem que foi só a guerra pelo comando das bocas. Mas na realidade não deixa de ser uma briga pelos pontos de vendas de drogas, por que? Ora gente, estamos no Rock Rio, todos esses dias e essas milhares de pessoas que estão lá na cidade do Rock tem que consumir “as coisas” e os “manos” tem que vender uma grande quantidade de entorpecentes de todas as espécies, para os adeptos curtirem o som. Tem muita “nóia”, rolando, durante os show, eis a razão dos combates, que a polícia do Rio de Janeiro diz que “falhou”. Será?, como diz o samba do finado sambista DICRÓ, “é o dinheiro da malandragem/que garante o emprego dos homens”. ///// Faleceu aos noventa e cinco anos, em Santarém, um dos últimos empresários da chamada velha guarda santarena. HILÁRIO MENDES COIMBRA, pessoa séria, e investidor dos seus negócios na Pérola do Tapajós, com participação decisiva em muitos investimentos em Santarém. Descansem em PaZ, SEU HILÁRIO//// DIA 06.10 o Grupo de Músicos amigos dó RICK MIRANDA estará promovendo no Fluminense um Baile da Solidariedade, com a participação da Banda Estação Ponto Com e seus convidados. PARTICIPE E COLABORE COM O GRANDE MÚSICO, INTÉRPRETE E CANTOR Rick Miranda.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *