Diretores da Pró-Saúde ministram palestras em ‘Encontro Regional de Segurança do Paciente e Acreditação em Saúde’

Diretores do Hospital Regional do Baixo Amazonas (HRBA), que fica em Santarém, e do Hospital Público Estadual Galileu (HPEG), localizado em Belém, ministraram palestras, esta semana, durante o “Encontro Regional de Segurança do Paciente e Acreditação em Saúde”, realizado pela Organização Nacional de Acreditação (ONA), na Santa Casa do Pará, em Belém.

As palestras foram focadas em partilhar as experiências exitosas das duas unidades, que são acreditadas pela ONA. O HRBA possui a acreditação máxima (ONA III), que reconhece a cultura organizacional de melhoria contínua da gestão. Já o HPEG foi o primeiro hospital da Região Metropolitana de Belém a ser acreditado pela ONA (ONA I). Ambos hospitais são geridos pela Pró-Saúde Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar, sob contrato de gestão com a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa).

O diretor-geral do HRBA, Hebert Moreschi, falou sobre o “Hospital Regional do Baixo Amazonas e a Cultura do Cuidado Seguro”, em que compartilhou a experiência dele à frente da unidade. “No Oeste do Pará temos uma realidade de 1,2 milhão de habitantes para 300 médicos. Desses 300 médicos, 130 são do HRBA, por isso nossa responsabilidade é muito grande”, afirmou.

Moreschi enumerou alguns pontos que garantem maior segurança para o paciente e que fazem parte da rotina do HRBA, como treinamentos periódicos, envolvimento da equipe multiprofissional e da alta direção, e fazer da segurança do paciente a missão do hospital. Alguns resultados desse trabalho são: uma maior satisfação dos usuários e a diminuição dos indicadores de infecção hospitalar, mortalidade e absenteísmo.

O diretor-geral do HRBA aproveitou o momento para ressaltar a importância de ter a acreditação ONA. “É um diferencial de mercado ser acreditado, pois significa que você trabalha a segurança do paciente e que tem as certificações que comprovam isso. Acreditação é consequência, vem naturalmente quando você tem processos bem construídos”.

O diretor Técnico do Hospital Público Estadual Galileu (HPEG), Lucas Geralde, também enfatizou a importância de um evento deste porte ser realizado no estado. “É importante pois sensibiliza as pessoas e mostra que é possível e importante agregar valor aos trabalhos desenvolvidos pelas unidades, é isso que proporciona melhoria contínua”, avaliou.

Geralde, que é médico, também ministrou palestra durante o encontro. Ele destacou a importância da Governança Clínica – estratégias bem delineadas para avaliar como estão sendo administrados os recursos e informações dos hospitais, garantindo a melhoria contínua do processo. “Não se acredita hoje que apenas governança corporativa sem engajamento da equipe clínica, da equipe multiprofissional, será eficaz”, afirmou. “Todos os hospitais da Pró-Saúde têm uma visão centrada no paciente, uma gestão de excelência, qualidade e segurança assistencial. Não basta atender, temos que atender bem”, completou.

Para o procurador institucional da ONA, Fábio Almeida, as palestras, além de produtivas, servirão de motivação para outras unidades. “O Norte é hoje a região que tem a menor fatia de hospitais acreditados, apesar de ter mostrado crescimento nos dois últimos anos. Então, vir aqui e mostrar experiências exitosas de outros hospitais da região é fantástico, porque motiva e sensibiliza para a importância de desenvolver esses processos e da acreditação”, concluiu.

HOSPITAL REGIONAL VAI CHAMAR ATENÇÃO PARA DOAÇÃO DE ÓRGÃOS

O Hospital Regional do Baixo Amazonas (HRBA) vai realizou uma programação especial na sexta-feira, 22/9, em virtude do mês do doador de órgãos. A equipe da Organização de Procura de Órgãos (OPO) montou um estande para orientar usuários, visitantes e colaboradores sobre a importância do ato e como é o processo de captação e transplante. Serão realizadas simulações de potenciais doadores, palestras e orientações, além de distribuição de material informativo sobre o tema.

O movimento “Setembro Verde”, realizado em todo o país, busca estimular a doação de órgãos e tecidos. O Dia Nacional de Doação de Órgãos será lembrado no dia 27/9, com uma blitz educativa em frente à unidade.

A OPO tem investido na conscientização da população e na detecção mais rápida e precisa dos casos de mortes encefálicas aptos para doação. Morte encefálica é a parada definitiva e irreversível do cérebro e tronco cerebral, provocando em poucos minutos a falência de todo o organismo.

Para que uma doação seja concretizada, a família do doador deve autorizar o procedimento. Por isso é importante expressar, em vida, o desejo de doar órgãos e tecidos. Podem ser doados órgãos: rim, fígado, coração, pâncreas e pulmão; e tecidos: córnea, pele, ossos, válvulas cardíacas, cartilagem, medula óssea e sangue de cordão umbilical.

De 2012 (quando iniciaram as captações em Santarém), houve 17 doações, com 77 captações de órgãos e tecidos. Foram 33 córneas, 32 rins, oito fígados e quatro corações.

Fonte: RG 15/O Impacto e Joab Ferreira

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *