DSEI Rio Tapajós entrega transporte para assistência à saúde indígena

Entrega de 50 embarcações fluviais irão garantir melhoria na assistência para mais de 11 mil indígenas

Para reforçar a qualidade da assistência prestada à saúde dos povos indígenas de jurisdição do Distrito Sanitário Especial Indígena Rio Tapajós, foi realizada entre os dias 18 a 30 de setembro de 2017, na cidade de Jacareacanga, a entrega de 50 unidades de transportes fluviais distribuídos em: 20 embarcações com motores modelo 40 Hp, 20 embarcações com motores 15 Hp e 10 embarcações com motores 13 Hp. O Dsei Rio Tapajós conta com 142 aldeias, que, em sua maioria o acesso é fluvial, principalmente na jurisdição do município de Jacareacanga, do qual abrange 9 dos 11 polos bases pertencentes ao Dsei, com predominância da etnia Munduruku.

Estiveram presente nas entregas as lideranças e condutores de embarcação das aldeias que receberam os transportes. Na oportunidade, foi explicado para todos os condutores de embarcação sobre o uso racional de combustível, uso exclusivo para ações de saúde, assim como urgências e emergências no território indígena, ainda sobre os cuidados e zelo com o transporte recebido.

Para o Cacique Arnaldo Kabá Munduruku, é uma conquista os transportes. “A saúde está muito boa para nós, temos assistência, mas agora está melhor com esses transportes para que o nosso povo possa ter mais rapidez no atendimento quando estiver doente”, afirmou.

A entrega contou com a presença da Coordenadora Distrital, Cleidiane Carvalho Ribeiro dos Santos e sua equipe. A Coordenadora acompanhou todo o processo desde a aquisição até o momento da entrega aos condutores de embarcações, lideranças e equipes multidisciplinares de saúde. “Nosso esforço é no sentido de garantir melhor assistência a saúde dos povos indígenas, onde o acesso é apenas fluvial, assim a equipe terá melhor garantia no tempo do atendimento, bem como agilizar o deslocamento até a Unidade Básica de Saúde Indígena – UBSI mais próxima para receber o atendimento devido”, informou Cleidiane dos Santos.

Para Ângela Braga, uma das integrantes da equipe da Coordenadora Distrital, “acompanhar esse processo pra mim é um momento muito gratificante, logo que venho acompanhando a gestão e vendo um esforço e dedicação enorme para que as comunidades indígenas tenham melhor qualidade de vida no quesito saúde”.

Fonte: RG 15/O Impacto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *