Caminhada pedagógica leva alunos da escola Inglês de Souza para os pontos históricos de Óbidos

Atividade extraclasse integra o projeto do educandário denominado “Óbidos 320 anos de história”.

Alunos do 2º ano do ensino fundamental menor da escola Inglês de Souza, localizada no bairro de Santa Terezinha em Óbidos, no oeste do Pará, participaram na manhã de sexta-feira (6), de uma caminhada que teve como itinerário os principais patrimônios históricos da cidade que no último dia 2 de outubro completou 320 anos.

A atividade extraclasse integra o projeto do educandário denominado “Óbidos 320 anos de história”. Os alunos ao longo das últimas semanas participaram de aulas temáticas voltadas para a história e a cultura da cidade que ganhou o título de a “mais portuguesa da Amazônia”, em decorrência dos casarões do centro histórico, erguidos durante o período de colonização.

Na manhã de hoje, os alunos foram conhecer in loco os prédios que fazem parte do início da ocupação da localidade que viria a se transformar na cidade de Óbidos. Acompanhados dos professores, os alunos adentraram os locais e conheceram a importância de cada um na história da cidade.

“Eles vieram conhecer esses patrimônios in loco para despertar neles aquele sentimento de pertencimento do nosso município e também de que é preciso preservar, que nós enquanto cidadãos precisamos cuidar do que é o nosso patrimônio, nossa cultura e a nossa história que é muito rica, e nós enquanto escola temos o dever de despertar esse sentimento nos nossos alunos”, disse a diretora da escola Inglês de Souza, Wilza Cárlea Baraúna de Aquino.

Aproximadamente 60 alunos participaram da caminhada pedagógica que serviu também para avaliar a capacidade dos alunos de ligarem os locais visitados aos fatos históricos ensinados dentro da sala de aula.

“Hoje a nossa atividade ela gira entorno justamente da questão da ficha avaliativa por ter uma habilidade dentro dela especifica, observando se os nossos alunos reconhecem os pontos históricos da nossa cidade, então esse momento também tem esse objetivo”, explicou a professora Gracenilda Azevedo.

Fonte: RG 15/O Impacto e Ascom/PMO

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *