Semma e Ipam vistoriam projeto de proteção de quelônios na várzea de Santarém

O Projeto “Quelônios nas Águas”, da Comunidade Correio do Tapará, região de várzea, recebeu na manhã de segunda-feira (9) a visita técnica da Prefeitura de Santarém, por meio da Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semma), em parceria com Instituto de Pesquisa Ambiental da Amazônia/Regional Santarém (Ipam/Santarém).

O projeto, de iniciativa dos moradores da comunidade é desenvolvido desde 2013 e tem como finalidade contribuir para a preservação de quelônios na região. A busca pela preservação desses animais iniciou após os comunitários observarem a diminuição das espécies nos rios e lagos da localidade.

Segundo um dos coordenadores do projeto, João Mário, desde a primeira soltura já foram reintegrados à natureza cerca de 5 mil quelônios. “A desova geralmente inicia no mês de setembro, então retiramos os ovos das praias e transpassamos para tabuleiros artificiais para protegê-los da ação de pássaros e do homem. Cada ovo recebe uma identificação com número e data da retirada. Por volta do mês de dezembro começam a nascer os filhotes, então são transportados para um tanque, e em março do ano seguinte fazemos a soltura nos rios e lagos que banham a comunidade”, explicou.

Durante a apresentação do projeto, a Semma recebeu demandas dos moradores, como a necessidade de ações para coibir a prática de pesca predatória dos quelônios na comunidade.

A secretária de Meio Ambiente, Vânia Portela, parabenizou os comunitários pelo importante trabalho de preservação ambiental, e ressaltou o apoio da prefeitura com operações de fiscalização que estão sendo planejadas para a região, assim como atividades de educação ambiental que serão desenvolvidas junto aos moradores.

“Já estamos trabalhando para implantar o Projeto Agente Ambiental Voluntário que vai poder contribuir com o trabalho da Semma na identificação dos criminosos ambientais. Além disso, devemos realizar a sinalização da área de soltura, orientando sobre as leis e punições para quem pratica esse tipo de pesca”, completou a secretária de Meio Ambiente.

Para 2018, a estimativa é que entre 1.000 a 1.500 filhotes de quelônios a mais sejam soltos.

Fonte: RG 15/O Impacto e Acom/PMS

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *