Situação de hippies em Alter do Chão será discutida entre Prefeitura e órgãos de segurança

A Prefeitura de Santarém, por meio da Secretaria Municipal de Turismo (Semtur) convocou para o próximo dia 25 de outubro, às 15h, no Belo Alter Hotel uma reunião com órgãos das esferas municipal, estadual e federal com representação em Santarém, para discutir amplamente a situação dos hippies na Vila de Alter do Chão. A reunião foi motivada, após a Semtur acessar o resultado parcial da pesquisa de demanda turística, realizada no período do Çairé.

De acordo com a pesquisa, que ainda está em fase de qualificação de dados, o estudo contou com uma amostra de 300 entrevistas com turistas nacionais. Deste total, 90% dos entrevistados apontaram que a quantidade de hippies em Alter do Chão não causa boa imagem ao local, uma vez que eles ocupam praças. Na visão dos frequentadores, os hippies causam transtornos e incômodo.

Na tarde de segunda-feira (9), o secretário de Turismo da Prefeitura de Santarém, juntamente com o agente distrital de Alter do Chão, José Carlos Zampietro reuniram-se com o tenente-coronel Maués, comandante da Polícia Militar e com o delegado da Policia Federal, Ricardo Rodrigues, além de comunitários de Alter do Chão, para iniciar as discussões em busca de uma solução sensata para a problemática.

De acordo com o secretário de Turismo, Pablo Barrudada, a ideia é que se tenha um debate amplo com órgãos, sociedade e movimento hippie. “O assunto nos preocupou, e pela relevância que Alter do Chão possui turisticamente, por ser cartão postal, exigiu que abríssemos um debate urgente com a administração de Alter e órgãos de segurança pública para buscar uma solução para essa situação que envolve os integrantes do movimento hippie”, explicou.

Na busca de uma solução em conjunto com vários órgãos, instituições e movimento, será proposto na reunião a elaboração de um plano de inclusão e ações para resolver da melhor forma a problemática.

Fonte: RG 15/O Impacto e Ascom/PMS

 

Um comentário em “Situação de hippies em Alter do Chão será discutida entre Prefeitura e órgãos de segurança

  • 11 de outubro de 2017 em 18:37
    Permalink

    Fácil ! Que se torne obrigatório eles varrerem diariamente as ruas do balneário, mediante um salário mínimo, ou que vá vadiar em outro estado. Vão sumir, odeiam as palavras limpeza e trabalho !

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *