Diretora e advogado denunciam desvio de recursos na Colônia de Pescadores

Angenora Ribeiro e Isaac Caetano fazem a denúncia. Jandeilson Pereira e Jucivaldo dos Santos mostram outra realidade

Na última segunda-feira (23), a Colônia de Pescadores Z-20 foi alvo de muita polêmica, quando a diretora da entidade Angenora Ribeiro, junto com seu advogado Isaac Caetano, recebeu a TV Impacto e Jornal O Impacto, quando na ocasião, fizeram sérias denúncias com relação ao desvio de recursos dentro da Colônia de Pescadores de Santarém.

Segundo Angenora Ribeiro, no momento em que assumiu o cargo de diretora, se deparou com muitas dívidas, mas através de muito trabalho, conseguiu regularizar, e atualmente pede respostas com relação ao dinheiro que ficou em caixa, após pagar as dívidas. A diretora tentou esclarecer a real situação aos pescadores, sendo que o ex-diretor e que hoje é Vereador, Jandeilson Pereira, entrou na reunião em que estava expondo a situação e pediu para os associados expulsá-la da Entidade, porque, segundo Jandeilson, ela estava fazendo coisas que não deveria fazer. “O dinheiro que ficou em caixa, daria para pagar todas as dívidas, inclusive serviria até mesmo para o final do ano pagar funcionários”, disse Jandeilson, na ocasião.

“O Vereador não forneceu explicação nenhuma sobre o destino deste dinheiro, inclusive eu disse na época: ‘toma isso aqui, a partir de agora és tu que vais resolver os problemas’. Eu tenho todos os documentos que comprovam os pagamentos que realizei e mesmo assim ele pediu que os associados me expulsassem. O dinheiro sumiu, mas não tenho provas concretas para dizer que ‘tal fulano levou’, mas a suspeita apenas a Justiça poderá dizer”, declarou Angenora Ribeiro.

ADVOGADO SE MANIFESTA: Também na mesma oportunidade conversamos com o advogado Isaac Caetano, contratado pela diretora Angenora Ribeiro. Na ocasião, o advogado expôs toda a situação: “Minha cliente me trouxe uma série de documentos que comprovam uma situação muito complicada, haja vista que ela vem desempenhando um bom trabalho na Colônia de Pescadores, inclusive ela fez um relatório de todas as despesas que eram pagas, regularizando a situação da Z-20. Porém, por uma situação de desespero por parte do vereador Jandeilson Pereira, que tenta encobrir alguma coisa, não posso afirmar, só a Justiça que irá dizer, mas no desespero de tentar algo para impedir o trabalho dela, de levar para os associados a situação em que se encontrava a Z-20 com relações às contas, e a situação atual em que ela estava regularizando, nesse ato de desespero, ele (Jandeilson) acabou expulsando a própria diretora da Entidade. Algo que ele jamais poderia fazer, porque atualmente é Vereador. Existe uma ata de reunião na qual ele mesmo diz que estava se desligando da Z-20. Dito isso, se ele está se desligando, por que, então, expulsou a diretora? Quem é ele para expulsar a diretora, sendo que não tem mais autonomia para isso? Ele deveria estar na sua vereança, cuidando dos interesses do povo, já que ele optou por ser Vereador, então, que ele cuide dos interesses do povo e deixe que a diretora faça o seu trabalho. Agora, nós vamos levar isso para o Judiciário, para que dê uma palavra sobre a situação desse dinheiro. O mais grave, é que além de expulsar Angenora da Entidade, também levou junto consigo documentos da Z-20, documentos que são de fundamental importância para esclarecer a situação desse dinheiro, para que se faça inclusive a prestação de conta, que ela não conseguiu concluir por conta de sua expulsão e pela ausência desse documento que ele subtraiu. Quem vai constatar esses fatos será a Justiça, mas existem fortes indícios que certamente o Judiciário irá analisar essas provas com o máximo cuidado e nos dizer o que realmente está acontecendo. A Z-20 pertence aos pescadores, e deve estar à disposição dos associados e não para interesses pessoais de um grupo de pessoas ou de apenas uma pessoa. A diretora em uma atitude brilhante e honesta está querendo esclarecer os fatos e vai levar tudo isso à Justiça”, declarou o Advogado Isaac Caetano.

JANDEILSON PEREIRA SE DEFENDE: Na quarta-feira (25), nossa reportagem conversou com o vereador Jandeilson Pereira, que rebateu todas as acusações proferidas pela diretora Angenora. “Na verdade, eu me afastei da Colônia de Pescadores Z-20 no dia 27 de março de 2016 para concorrer ao cargo de Vereador e graças a Deus conseguimos a eleição. Depois disso eu retornei no dia 22 de outubro de 2016, quando reassumi a Colônia e fiquei até o dia 27 de dezembro, e apresentei uma carta de renúncia logo em seguida, porque eu iria assumir o cargo de Vereador na Câmara Municipal de Santarém. Nesse período do dia 22 eu recebi algumas contas que ficaram da entidade, no caso 60 mil reais de débitos com INSS e algumas pendências, então, eu renegociei as contas, parcelei o débito. Por exemplo, eu negociei as parcelas do INSS pelo valor de R$ 1.000,00 por mês para deixar o nome da entidade ativa novamente e logo em seguida eu paguei salário dos funcionários que estavam atrasados, paguei o décimo terceiro, que por sinal a folha da Colônia custa R$ 33.000,00; pagando os funcionários que trabalham nas feiras e dentro da sede, pois a Z-20 é muito grande em sua abrangência e em todos os encargos que a Z-20 possui. Então, ficou uma pendência de dois talões de luz, de uma sede localizada lá no Maicá, uma prestação referente ao revés do Barco Motor São Pedro que foi feito pela Comaq e também a parcela de um compressor da Soares Máquinas, que usamos em nosso consultório odontológico. Chamei o conselho fiscal da Z-20, chamei a Angenora Tavares com toda diretoria e prestei conta. Logo em seguida foi prestado conta na assembleia da Z-20, que inclusive eu tenho em mãos o documento da prestação de contas e, que foi a última prestação de contas feita por ela, que possui a assinatura do conselho fiscal da Z-20 e com um parecer do conselho fiscal da Colônia, constatando que não havia nenhuma irregularidade na Entidade. Foi tudo assinado e aprovado em assembleia, com a presença de quase quatro mil pescadores. Na verdade, ela (Angenora) está tentando, através de seu advogado, tirar o foco do que acontece de verdade dentro da Colônia, que foi uma reunião que eu fui convidado, pelo senhor Edinaldo, para participar e que aconteceu no dia 16, para eu prestar alguns esclarecimentos sobres essas pendências que ficaram na Colônia. Nessa reunião estavam presentes o coordenador da Z-20, o presidente dos conselhos de pesca, a diretoria da Colônia, o conselho fiscal e alguns pescadores que assistiram à reunião. Então, eu esclareci tudo e logo em seguida o senhor Jucivaldo, que atualmente é diretor da Colônia de Pescadores Z-20, fez algumas denúncias de possíveis desvios de dinheiro na gestão da diretora Angenora, de junho para cá. Enquanto isso eu só assistia à reunião, não tive nenhuma influência e nem pedi nenhum afastamento dela, ou seja, eu não participei desse ato, tem mais de 200 pessoas como testemunhas, inclusive a própria direção da Z-20 e o conselho fiscal. Eu assisti de longe, foi feita a acusação, foi apurado um desvio de recurso financeiro de R$ 8.500,00, foi o que eu ouvi na reunião, e logo em seguida houve outra denúncia sobre um desvio de recurso de gelo que tem da Colônia. Então, o Conselho Fiscal juntamente com a diretoria resolveram suspender Angenora por 30 dias, pegaram a chave dela, viram o dinheiro que estava na gaveta e fizeram apreensão. Desde lá começaram a fazer um trabalho de investigação. Ela não está expulsa da Colônia, e sim suspensa da Z-20. Tudo isso foi aprovado em uma reunião realizada no dia 15 de janeiro de 2017, porque houve outra acusação que eu pude constatar e que influenciou nas decisões da Colônia e isso não é verdade. Eu apenas participo a pedido dos pescadores, juntamente com os coordenadores, que pediram que toda reunião que a Z-20 fizer em sua sede, juntamente com suas lideranças, que eu preste conta dos meus trabalhos que tenho realizado na Câmara Municipal de Santarém. Temos uma cópia da ata dessa reunião, que inclusive está na posse da diretoria da Z-20, onde tem assinatura dos presentes. Então, todo dia 15 de cada mês ou dia 16 quando são feitas as reuniões, eu vou lá e participo, esclarecendo todo trabalho, os requerimentos que já apresentei na Câmara, aquele diálogo que tenho com o povo, que todo mundo sabe em Santarém, pois não é segredo, já que fui eleito Vereador pela grande massa de pescadores que me apoiaram, mas eu sou representante de todo povo de Santarém em modo geral. Não tem nada a ver o que ela disse, acho que ela foi orientada em um ato de desespero, a diretora tentar tirar o foco da investigação. Eu não estou sendo investigado e o que ela está acusando, foi aprovado pelo conselho fiscal em assembleia de pescadores, inclusive ela era conselheira fiscal na época, e foi ela mesma quem assinou a minha prestação de contas. Com toda certeza a Colônia deve esclarecer nos próximos dias, o conselho fiscal deve esclarecer não só para os pescadores, mas para toda a sociedade. A partir do momento em que ela tornou todo o processo público, pois eu sou um homem público (Vereador) e sempre tive meu nome limpo; trabalhei por sete anos como diretor de finanças da Z-20, nunca respondi um processo, nunca fui acusado de nenhum desvio de recurso da Colônia, sempre fui aplaudido de pé pelos pescadores em todas as prestações de contas, nossa administração foi um sucesso, consegui aumentar um patrimônio de 90 mil reais para quase 6 milhões de reais, tudo em um período curto; nós entregamos dois carros, duas caminhonetes, feiras novas e outros investimentos que foram feitos na melhor estrutura para o atendimento dos nossos pescadores. Eu lamento essa tentativa desesperada em tentar mostrar que era eu que estava sendo investigado, quando na verdade, essa comissão que foi tirada foi para investigar o suposto desvio de dinheiro na gestão dela, como diretora executiva. E os documentos que ela diz que subtraí da Colônia, na verdade eu não levei nenhum, os documentos estão em posse do conselho fiscal. O único documento que eu tenho é esta prestação de contas que eu dei entrada em uma pedido depois da acusação dela, protocolei o documento e exigi da Colônia a cópia da última prestação de contas minha que foi aprovada em assembleia, para poder me defender. E estou com o documento em mãos onde constata-se um saldo positivo de R$ 11.297,00 e três parcelas de três prestações que ficaram para a Colônia. Eu não saí da Z-20 porque quis, eu saí porque eu fui obrigado, pois tinha de renunciar ao meu cargo, o estatuto da Z-20 fala que não pode haver participação política na Colônia, não podia ser Vereador e ao mesmo tempo presidente da Colônia, inclusive eu tinha mais três anos de mandato, por isso ficaram as prestações, pois não tive tempo de resolver. A partir daí ela assumiu e com toda certeza a diretora deve dar uma resposta à sociedade”, declarou Jandeilson Pereira.

COLÔNIA DE PESCADORES FAZ REVELAÇÕES: O diretor de assistência social da Colônia de Pescadores Z-20, Jucivaldo Pereira dos Santos, em contato com nossa reportagem, denuncia possíveis desvios de dinheiro, supostamente ocasionados na gestão da diretora Angenora e nos dá mais detalhes. Jucivaldo conta como ocorreram os fatos: “Eu sou um dos diretores de uma Colônia que é administrada por uma diretoria, somos ao todo quatro diretores. Então, eu como diretor identifiquei no período de julho para cá, supostas irregularidades no setor financeiro da Colônia de Pescadores Z-20. Na festividade de São Pedro que aconteceu nesse ano, tivemos um saldo de R$ 8.510,40, inclusive a dona Angenora fez o relatório e em julho ela apresentou esse relatório e a prestação de contas na reunião dos coordenadores, inclusive nós temos Atas onde ela mesma cita na reunião dos coordenadores o lucro, as notas e os recibos. Só que esse lucro que ela apresentou não foi lançado no caixa. Hoje ela está acusando outro diretor, que também prestou contas, mas eu tenho em mãos a Ata que contém a fala dela comprovando o apresentado. Então, como não foi lançado no caixa, eu analisei que de julho até o mês de setembro não entrou nenhum recurso. Isso eu levei ao conhecimento dos coordenadores, também levei ao conhecimento do conselho fiscal, onde pedi que eles investigassem para onde está indo esse recurso, já que houve um lucro e não foi lançado no caixa da Z-20, e também a entrada de gelo. Nós temos um caminhão frigorífico que faz a revenda de gelo dos pescadores da Feira do Pescado e também aos pequenos pescadores que vêm trazer seu pescado, todo final de semana é repassado o recurso para a diretora de finanças, que é a dona Angenora. Nós identificamos em todo nosso relatório financeiro, de julho até setembro, só uma entrada do recurso de gelo no dia 29 de setembro, que foi feita pela diretora de patrimônio Angenora. Esse foi o outro questionamento que eu apresentei lá na reunião, se foi repassado esse recurso do gelo de julho para cá, por que não foi prestado conta? Por que não entrava no caixa da Colônia, por que só apareceu uma entrada agora em setembro, o restante? Então, eu como diretor da Colônia, zelo pela minha integridade e pela integridade da Entidade. Eu quero saber aonde está esse recurso. O conselho fiscal junto aos coordenadores disse que iria tomar providências, inclusive no mesmo ato, foi criada uma comissão, com três conselheiros fiscais e um coordenador representando cada região, ao todo somos dez regiões em Santarém, foi formada a comissão, que logo depois decidiu afastar dona Angenora do cargo, por um período de trinta dias, para que pudessem averiguar essa suposta irregularidade no setor financeiro. Então, na realidade, ela não está expulsa da Colônia, e sim afastada. Infelizmente ela se precipitou ao expôr toda a situação, e não era esse o objetivo. Qual era o objetivo da comissão? Era de apurar se houve alguma irregularidade. Constatando a irregularidade, iríamos chamar dona Angenora, colocar a situação na sua mão e faríamos um procedimento interinamente. Mas, já que ela expôs para a sociedade dessa forma, nós estamos aqui dando a resposta e dizendo que isso não vai ficar por aqui, vamos apurar e se houver as supostas irregularidades nós vamos ter que tomar outras providências, inclusive entrando com um pedido de afastamento definitivo dela, da Colônia de Pescadores Z-20. Essa situação tem gerado uma revolta muito grande. Hoje nós temos um grande quadro de associados e isso tem gerado uma revolta muito grande. Há uma preocupação com a integridade de dona Angenora, diante das denúncias que ela fez”, finalizou Jucivaldo Pereira dos Santos.

NOTA DE ESCLARECIMENTO PÚBLICO: A Colônia de Pescadores Z-20 repudia as declarações dadas por sua diretora afastada Angenora Tavares Ribeiro, ao Jornal on-line “TV Impacto”,onde relata que o vereador Jandeilson a expulsou do cargo de Diretora da Colônia.

Esclarece que seu afastamento foi devido indícios de irregularidades, com denúncia de desvio de dinheiro dos pescadores, feita inclusive pelo demais diretores da Colônia.

Que a medida cautelar foi aprovada de forma unânime pelos coordenadores presentes, por um prazo de 30 dias, foi ainda criada uma comissão composta por um representante de cada região, mais o Conselho Fiscal, para apurar a suposta irregularidade.

Quanto à presença do ex-diretor e atual Vereador Jandeilson na reunião dos coordenadores, informa que ele compareceu à reunião a convite dos próprios diretores, que protocolou um ofício em seu gabinete, o convidando a comparecer na reunião, para dar esclarecimento sobre as acusações que lhes seriam apresentadas pela atual Diretora de Patrimônio, Pessoal e Finanças, Angenora Tavares.

Esclarece ainda que se constatado for as irregularidades imputadas à atual Diretora,ora afastada, Angenora Tavares, iremos tomar providências no sentido de apresentar o pedido de afastamento definitivo, na próxima reunião dos coordenadores, além de pedido judicial de restituição dos valores que supostamente foram desviados.

A Nota de Esclarecimento, datada do dia 23 de outubro de 2017, foi assinada pelos diretores Jucivaldo Pereira dos Santos, José Edinaldo Rocha da Silva e Jucenil Costa Coelho.

Por: Jefferson Miranda

Fonte: RG 15/O Impacto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *