MILTON CORRÊA Ed. 1174

ORDEM DE SERVIÇO PARA MAIS DOIS TERMINAIS HIDROVIÁRIOS
Informações da Agencia Pará de Notícias, assinada pelo jornalista Joab Ferreira dizem que, como parte da agenda de compromissos no oeste do Pará, o governador Simão Jatene assinou, na noite desta sexta-feira (24), em Santarém, as ordens de serviços para construção de mais dois terminais hidroviários: no distrito de Santana do Tapará (Santarém) e no município de Curuá. As duas obras estão orçadas em quase R$ 7 milhões. Ao todo, sete portos serão construídos na região, com um investimento total do Governo do Estado superior a R$ 80 milhões.
A homologação do resultado da licitação saiu na edição de terça-feira (21) dos diários oficiais do Estado e da União. A assinatura do contrato entre a empresa Paulo Brígido Engenharia, vencedora da licitação, e a companhia de Portos e Hidrovias (CPH) ocorreu no auditório da Associação Comercial e Empresarial de Santarém (Aces) e contou com a presença de diversas autoridades.
O governador destacou as obras como fundamentais para garantir desenvolvimento e melhor qualidade de vida à população da região. “É de uma importância muito grande na dinâmica econômica da região e de uma importância fundamental na vida das pessoas. Eu me sinto muito feliz e faço questão de destacar que isso só está sendo possível pelo apoio de todos os paraenses. Não é possível fazer obras de R$ 80 milhões sem que isso tenha origem, e a origem desse recurso é o imposto que cada paraense paga”, afirma Jatene.
Jatene também reforçou que outras importantes obras serão feitas na região, como a ampliação do serviço de hemodiálise ofertado em Santarém. “Eu me sinto muito feliz que esse imposto se transforme num investimento que vai atender a um velho sonho da população. O Hospital Regional de Santarém é um dos dez hospitais públicos brasileiros classificados no nível mais alto de acreditação hospitalar, que é o ONA 3, então isso nos dá uma alegria muito grande”, completa Jatene.
Durante o dia, outras duas ordens de serviço para construção de terminais hidroviários haviam sido assinadas, em Faro e Terra Santa. Os municípios de Almeirim e Prainha também vão ter novos portos. “Nós, da região do Baixo Amazonas, que conhecemos a importância dos nossos rios como elementos de integração sabemos que a construção desses terminais vem em excelente hora. Aliás, é um sonho aguardado há décadas pela nossa população que, graças a Deus, por meio do Governo do Estado, começa a se tornar realidade”, diz o presidente da Companhia de Portos e Hidrovias (CPH), Alexandre Von.
A expectativa é que dentro de um ano os primeiros terminais já estejam em operação, proporcionando mais segurança e conforto aos usuários. Santarém ainda receberá outro terminal hidroviário, com área total de 3,6 mil metros quadrados e investimento superior a R$ 60 milhões. O novo porto terá capacidade para atender 50 mil passageiros por mês.
Para o prefeito de Santarém, Nélio Aguiar, essa será considerada uma das maiores obras recentes do município. “Essas obras, tanto do porto de Santana, quanto do porto de Santarém, que está em processo de licitação, tiram Santarém de uma situação incômoda. O atual porto do município não tem estrutura nem segurança para receber toda a demanda, que vem aumentando a cada ano, de passageiros e de cargas. Essas obras vão impactar toda a região do Baixo Amazonas”, acredita Nélio Aguiar.
O presidente da Assembléia Legislativa do Pará, Márcio Miranda, destacou os investimentos feitos na região. “Somos um dos únicos estados da federação onde obras estão acontecendo, e principalmente para esta região. São mais de R$ 100 milhões em obras. É muito importante compreender que estados e municípios, quando têm esses momentos de crise, têm que se unir e procurar saídas que gerem emprego, renda e desenvolvimento. E, acima de tudo, que criem infraestrutura para melhorar a qualidade de vida de nossa população”, afirma o parlamentar.


SEMANA NACIONAL DE CONCILIAÇÃO
Segundo informações da Agencia do Rádio, com o tema “Conciliar: nós concordamos”, o Tribunal de Justiça do Pará está terminando a programação da Semana Nacional de Conciliação, com um mutirão de audiências envolvendo a concessionária de energia Celpa.
Para a Semana, que ocorre até hoje, 1º de dezembro, o Judiciário paraense agendou mais de 10 mil audiências, em todo o Estado, abrangendo 112 comarcas.
No Pará, os magistrados selecionaram processos para serem apreciados na programação, bem como as partes interessadas em conciliar que se inscreveram no Portal do Judiciário, aproveitando a oportunidade para agilizar suas demandas na Justiça. O encerramento da Semana de Conciliação será neste sábado, 2 de dezembro, com um casamento comunitário envolvendo 100 casais, no Fórum Cível de Belém.


AUMENTAM CASOS DE MALÁRIO NO PARÁ
O número de casos de malária aumentou no estado do Pará, entre janeiro e agosto deste ano. Além do Pará, os demais estados do Norte e o Maranhão também foram mais afetados nesse período.A informação é da Agencia do Rádio. O coordenador de Dengue e Malária do Ministério da Saúde, Cássio Peterka, explica o crescimento no total de casos confirmados.
“O aumento de Malária tem se dado onde a gente não tinha mais Malária. Muitos municípios onde a gente já estava com a Malária controlada houve uma desmobilização das ações de vigilância da doença, principalmente pela não continuidade de ações. A Malária é uma doença muito explosiva e que aumenta muito mais rápido do que as equipes locais conseguem se reorganizar”.
A malária é registrada com mais frequência na zona rural, mas a transmissão também tem ocorrido em grandes cidades, principalmente, em áreas de invasões, desmatadas e carentes de saneamento e infraestrutura.
O Ministério da Saúde tem investido em prevenção, diagnóstico e tratamento da doença. Só em 2016 foram liberados quase 12 milhões de reais para a intensificação das ações de combate e controle de Malária. Cássio Peterka conta como a população pode colaborar.
“Então estar se protegendo com roupa de manga longa, utilizando mosquiteiros impregnados para dormir, deixando fazer as borrifações residuais intradomociliares. E além disso, a qualquer sintoma que sentir, qualquer mal estar, que eles procurem os nossos postos de notificação, façam o exame e tomem o tratamento completo, que são feitos pelo SUS ”.
Em todo o Brasil, foram registrados quase 119 mil casos este ano. O Ministério da Saúde destaca que a região Amazônica possui condições socioeconômicas e ambientais muito favoráveis à transmissão da Malária. Por isso as ações de vigilância não devem ser interrompidas. Pelo contrário, precisam ser intensificadas nesta época do ano. Para saber mais, acesse www.saude.gov.br/malaria.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *