Bosque da Vera Paz está abandonado e entregue às baratas

Denúncia é feita por Jurandir Azevedo, presidente da Associação de Moradores do Laguinho, que mostra peocupação com o Bosque

O bairro do Laguinho é considerado um dos mais populares de Santarém, por fazer parte da área central da cidade e abrigar pontos importantíssimos, como o Bosque da Vera Paz e a empresa Cargill; bem como possui um trânsito muito movimentado, sem falar que atualmente é o cenário da construção de vários prédios. Para avaliar os acertos, erros e omissões do poder público com relação ao bairro, conversamos com o presidente da Associação dos Moradores do Bairro do Laguinho (AMBAL), o senhor Jurandir Azevedo, que nos deu detalhes sobre a atual situação que se encontra o bairro do Laguinho.
Para o presidente Jurandir Azevedo, o bairro passa por grandes problemas, porém, esclarece os pontos positivos: “Eu avalio o governo do prefeito Nélio Aguiar, como um governo que está sempre em busca de recursos para o nosso Município, junto aos governos do Estado e Federal, sendo que ainda não encontrou uma saída para que o Município recebesse um trabalho que todos esperam. Eu posso dizer que não foi uma das melhores atuações, mas o que ele pode fazer em seu primeiro ano de governo, ele fez. Esperamos que em 2018 possa melhorar mais. Com relação à Seminfra, que é responsável pelas equipes de limpeza, a gente está recebendo constantemente a equipe no bairro, fazendo sua manutenção periódica de limpeza, mas ainda falta um serviço mais consistente, às vezes demora; já sobre a coleta de lixo está sendo normal, mas de contrapartida pedimos aos moradores que coloquem seus lixos no horário certo e no lugar adequado, justamente para que o carro de coleta possa levá-lo, inclusive chamo atenção que você tem que armazenar o lixo e colocar no local de coleta apenas na segunda, pois aos domingos o carro não passa. Fazendo assim, todos evitam a presença de animais espalhando o lixo e trazendo mais problemas”, declarou.
Segundo Jurandir Azevedo, a saúde não teve mudanças: “Falando de saúde, os postos de saúde que atendem o bairro do Laguinho, Fátima e Aldeia estão funcionando de forma normal, inclusive conversei com as equipes que trabalham nos postos e me relataram um problema que vem acontecendo, com relação à ausência de médico. Um dos médicos que atendem por lá, Dr. Tolentino, está passando por um problema de saúde, mas esperamos que ele melhore e retorne ao seu trabalho. Mas têm reclamações que sempre falta remédios. Já o trabalho de visitas às residências do nosso bairro, efetuadas pela enfermeira Lilian e os demais agentes de saúde que cuidam justamente do grupo de idosos, é normal, até as consultas médicas domiciliares estão acontecendo. Posso afirmar que, com relação à saúde, estamos indo bem. Outra notícia é que o vereador Alysson Pontes mandou um carta para mim, informando que ele foi na tribuna da Câmara e falou que há uma parceria com o Governo do Estado e o Município para que se faça a construção de um Pronto Socorro na mesma área onde se encontra o posto de saúde que atende os três bairros. Torcemos que isso venha a acontecer, pois será muito bom para o nosso bairro e bairros vizinhos”, avaliou Jurandir Azevedo.
Já na questão da educação, Jurandir disse que haverá mudanças: “Eleições vão acontecer nas escolas do nosso Município. A Escola Nossa Senhora de Fátima vai ter seu processo eleitoral, onde irá ser escolhido um novo diretor(a) para aquele educandário. Nos colégios do Estado está tudo indo bem, inclusive a Escola Pedro Álvares Cabral sofreu algumas avaliações e foi constatado que esse educandário está cumprindo com suas obrigações. Realmente as porcentagens com relação à educação são superadas”, informou.
Jurandir expressa seu contentamento e satisfação com relação à cultura: “Graças à Secretaria de Cultura, o projeto “Cultura na Praça” aconteceu. O secretário Pixica, junto com a Associação, fez a programação e de fato foi um sucesso. Tivemos a presença de um bom público e realmente podemos avaliar de forma positiva”, declarou o presidente da Ambal.
PROBLEMAS: Mas os grandes problemas estão mesmo nos setores de infraestrutura e turismo, lamenta o presidente Jurandir Azevedo e pede soluções: “Lamentavelmente estamos indo muito mal no setor do turismo, especificamente falando da área do Bosque da Vera Paz, que trata-se de um lugar de influência turística. Há algum tempo eu vim aqui no jornal e comentei sobre o grande interesse da empresa Cargill de revitalizar o Bosque, mas que só seria possível perante a aprovação na Câmara de Vereadores. Recentemente eu falei com uma funcionária da Cargill e ela me relatou que o gerente está viajando. O fato é que depois de anos nossa comunidade vai se reunir junto ao gerente da Cargill justamente para que ele lance uma proposta, onde a empresa possa nos ajudar no processo de revitalização de toda aquela área, inclusive na área do Bosque nós temos uma academia ao ar livre e temos também a quadra de esporte. Gostaria de dar um recado aos moradores do bairro do Laguinho e aos visitantes que frequentam aquele lugar: nós não recebemos este ano por parte da SEMED absolutamente nada, nenhuma reforma foi feita na quadra de esporte, a mesma encontra-se completamente abandonada, todo mundo entra lá, não existe uma coordenação, porque ainda não tivemos uma reunião para que possamos colocar tudo no lugar. Quem é quem, Prefeitura, Associação de Moradores e quem precisa da quadra. Então, nunca houve essa reunião, aquele lugar está totalmente abandonado; temos problemas também na questão da academia, os aparelhos, desde quando foram instalados nunca receberam qualquer tipo de manutenção. Já me disseram que tem aparelho quebrado. Então, nós estamos nessa situação de abandono. Eu acredito que o Prefeito nem está sabendo disso, porque ainda não tivemos uma reunião com ele. Outra coisa que parece que está invisível aos olhos do poder público, é a questão da galeria de esgoto, que é uma preocupação de todos nós moradores, porque essa galeria está com problemas. É preciso que o governo tome uma atitude e mande fazer uma limpeza agora no verão, porque quando chegar o inverno não vai adiantar fazer. O mais grave é que dois prédios foram construídos, já estão funcionando e destinando a água servida na galeria; sendo que está em construção mais outro prédio na São Sebastião, do mesmo tamanho. Então, essa é uma preocupação nossa, pois a galeria está toda comprometida, entupida de entulhos e eu tenho certeza que não vai aguentar o inverno forte que vem por aí. Essa galeria se localiza, em sua extensão desde a Avenida Borges Leal até na Avenida Tapajós, por isso precisamos que o governo olhe com bastante atenção. O Secretário de Infraestrutura, que trabalha nesta área, tem de visitar o nosso bairro. Podemos organizar uma reunião para passarmos para ele o que está acontecendo. Outra preocupação é sobre essa obra do cais de arrimo que vai se estender até o Bosque, e de fato não sabemos como será o final desse processo, como vai ficar aquela área ao lado do Bosque, porque temos naquele local um abrigo de canoeiros que são pescadores dessa grande área dos bairros de Fátima, Aldeia e Laguinho, eles deixam as canoas lá no tempo da enchente. Gostaríamos de saber se vai haver um lugar para eles, para que seja bem organizado e evite que cada um faça do seu jeito, furando justamente a estrutura que poderá se estabelecer ali. Nunca houve uma explicação, não tenho nenhuma cópia do projeto em mãos, então, é algo preocupante. Existe outra preocupação é com o campo da ASSIBAMA, área que ainda está na responsabilidade da Associação, mas já tem dono; estamos sabendo que serão construídos dois prédios naquele local, provavelmente das empresas que irão se instalar ali. Eu pergunto: o que vai acontecer conosco quando for construída a estrutura deles nesse local? Onde terá outro campo para que possamos ter essa área de esporte e lazer? Antes tínhamos o campo da Vera Paz, que foi tomado completamente pela obra da Cargill, não temos mais sonho de voltar para aquele local, então, nós queríamos que pelo menos os políticos que estão nos acompanhando, tomassem um providência, chegassem mais próximo da comunidade, do bairro e que a gente pudesse tomar iniciativa de estudar uma forma de poder salvar um pedaço daquela área para esporte e lazer da população. Não estamos querendo tomar a terra de ninguém, só queremos que olhem o nosso lado e que nós precisamos daquela área para fins de esporte e lazer. Outro gargalo que oferece perigo para pessoas que frequentam o Bosque, trata-se de uma cisterna da Cosanpa, situação que denunciamos na última entrevista e hoje encontra-se do mesmo jeito; eu acho que o governo fecha os olhos para as matérias que são publicadas no jornal, porque deveria passar pela mão do Prefeito uma listagem daquilo que mais pede urgência, para o Prefeito ordenar ao seu Secretário a execução do serviço. Até hoje nós não sabemos se é a Cosanpa ou a Prefeitura, a responsável para resolver aquela situação, pois a qualquer momento vai acontecer um acidente ali. Agora, com a nova lei que foi aprovada na Câmara, que a Cosanpa ficará por conta do Município, quem sabe resolvam esse problema seríssimo”, denunciou Jurandir Azevedo.
“Para finalizar, convido os moradores do bairro do Laguinho para participarem da última assembleia do ano, que é justamente para fazer uma avaliação e prestação de contas, bem como conversar com os moradores. Portanto, convido todos para se fazerem presentes nesta reunião que é de fundamental importância para todos nós”, finalizou Jurandir Azevedo, presidente da Ambal.

Por: Allan Patrick

Fonte: RG 15 / O Impacto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *