Tragédia em Óbidos – Corpos são retirados de dentro do empurrador

Na manhã de terça-feira (05), o Empurrador da empresa Bertolini CXX, que estava no fundo do Rio Amazonas desde 02 de agosto deste ano, foi içado nas proximidades da cidade de Óbidos. Segundo informações cedidas pelos familiares das nove vítimas que afundaram com o Empurrador, os peritos IML, na ocasião, já haviam visualizados corpos dentro da embarcação, especificamente nos corredores e na cozinha.
De acordo com relatos dos familiares que conversaram com os peritos, o próximo passo seria entrar nos camarotes para localizar outras vítimas e posteriormente levar os corpos para Santarém.
Segundo Gilmar dos Santos Brito, irmão de Juraci dos Santos Brito (desaparecido), os peritos informaram que os corpos estão inteiros, apesar de já ter se passado quatro meses desde o naufrágio da embarcação ocorrido em 2 de agosto de 2017. “Disseram para nós que foram encontrados corpos nos corredores e na cozinha do empurrador. Agora, eles vão entrar nos camarotes para tentar localizar os outros desaparecidos. Só depois é que eles informarão quando serão levados para Santarém”, relatou Gilmar.
De acordo informações da Capitania Fluvial de Santarém, por volta das 8:30 horas da manhã de terça-feira, o rebocador da empresa Bertolini começou a ser içado. Segundo o planejamento, antes do içamento da embarcação, foi lançada uma rede sobre a mesma, com o objetivo de preservar qualquer objeto que por ventura fosse se desprender.
Uma vez içado, o rebocador foi colocado sobre uma balsa. Após resguardada a segurança, os peritos iniciaram os trabalhos de levantamento do local do acidente. Uma vez localizados os corpos, os mesmos estão sendo retirados e encaminhados ao Centro de Perícias Científicas (CPC) Renato Chaves em Santarém, onde se fará a coleta de DNA para subsidiar a identificação.
Os familiares decidiram retornar para aguardar em Santarém a chegada dos corpos, pois não se justifica mais a presença deles próximo ao local do resgate. Por volta 15:30 horas de quarta-feira (06), o nono e último corpo foi localizado e retirado de dentro do rebocador e encaminhado para o IML de Santarém.
ENTENDA O CASO: TRAGÉDIA – NOVE PESSOAS MORREM EM COLISÃO NO RIO AMAZONAS: O trágico acidente aconteceu no dia 2 de agosto deste ano, por volta de 4h30 da madrugada. A colisão de um navio cargueiro que tinha como destino à cidade de Manaus, e um comboio de nove balsas que transportava grãos de milho, e iria aportar em Santarém, deixou nove pessoas desaparecidas nas águas do Rio Amazonas.
Assim que a Capitania dos Portos em Santarém recebeu a informação do acidente, encaminhou uma equipe para o local, que também foi integrada por mergulhadores do Corpo de Bombeiros.
Ao todo 11 pessoas estavam no rebocador que foi à pique, duas foram resgatadas com vida, e foram trazidas para Santarém. Porém, nove pessoas continuavam desaparecidas. De acordo com as autoridades, o local que fica aproximadamente 15 minutos de lancha do porto de Óbidos, é de extrema profundidade, e de correnteza bastante forte. Fato que teria dificultado as buscas.
Na época as informações eram que a maioria da tripulação do empurrador dormia nos camarotes na hora do acidente. O Comandante dos Portos de Santarém, Capitão Ricardo Barbosa, acompanha o trabalho da equipe no local, e solicitou reforço, inclusive com a presença de um navio militar.
“A Capitania dos Portos foi acionada por volta das seis horas da manhã pelo prático que encontrava-se embarcado no navio mercante Mercosul. Esse navio era proveniente do Porto de Suape, no Nordeste e tinha como destino Manaus. Esse navio teria abalroado com o comboio da empresa Bertolini que transportava milho, no Rio Amazonas, aproximadamente a 10 milhas acima da foz do Rio Trombetas. A informação que nós temos, é de que o empurrador naufragou no local, duas balsas do comboio encontram-se agarradas a proa do navio mercante e as demais balsas estão à deriva no local. Temos, também, a informação preliminar de 09 desaparecidos provenientes desse acidente. A Capitania já possui uma equipe no local que realiza o levantamento das primeiras informações com objetivo de iniciar o inquérito. Homens do Corpo de Bombeiros auxiliam nas buscas com três mergulhadores”, disse o Capitão Ricardo Barbosa, na época da tragédia.
Conforme relatos de moradores ribeirinhos da comunidade Nossa Senhora das Graças, na Costa do Paru, eles ouviram um forte barulho no momento da colisão, em seguida observaram uma embarcação que não souberam afirmar se era o empurrador ou uma das balsas. Dizem que saiu desgovernado baixando o rio já dando sinais de que o casco estava furado, em frente à comunidade de São Lázaro que em seguida foi a pique. Outros relatam que não era o empurrador e sim uma das barcaças que se desprendeu, como estava de noite ainda não dava para definir ao certo.
BUSCAS: A equipe composta por militares da Marinha e do Corpo de Bombeiros chegou ao local do acidente no fim da tarde de quarta-feira (02 de agosto), porém, devido à escuridão, iniciaram as buscas oficialmente, somente na manhã de quinta-feira (03 de agosto). O reforço chegou na sexta-feira (04), aonde um navio da Marinha do Brasil, composto com instrumentos tecnológicos seria crucial para o êxito da missão de busca.
NOMES DAS VÍTIMAS: De acordo com uma lista disponibilizada pela empresa dona do rebocador, as vítimas da tragédia são: Cleber Rodrigues Azevedo; Dárcio Vânio Rego; Dick Farney de Oliveira; Ivan Furtado da Gama; Juraci dos Santos Brito; Carlos Eduardo Bueno de Souza; e Wandel Ferreira de Lima. Foram resgatados com vida César Lemos da Silva e Euclinger da Silva Costa, que foram lavados para Santarém juntos com seus familiares.
BERTOLINI: No dia do acidente, por telefone, o gerente da empresa Bertolini, Juraci Neri, informou que enviou uma equipe ao local do acidente e que aguarda a abertura do inquérito que vai investigar o caso. O gerente disse, ainda, que a empresa vai colaborar com as investigações e que dará toda a assistência necessária às famílias dos envolvidos no acidente.
MERCOSUL: A Mercosul informou, também no dia do acidente, que estava em conjunto com as autoridades locais e iniciou buscas e salvamento aos membros da tripulação. Ainda de acordo com a Mercosul, a preocupação da tripulação do navio foi com a segurança de todos os membros da tripulação da balsa e finalizou informando que todos os membros da tripulação a bordo do Mercosul Santos passam bem.

Por: Edmundo Baía Junior

Fonte: RG 15 / O Impacto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *