OAB do Pará e Rio de Janeiro esclarecem sobre aquisição de agendas

Em Nota de Esclarecimento encaminhada à redação, os presidentes da Ordem dos advogados do Brasil do Rio de Janeiro, Felipe Santa Cruz e; do Pará, Alberto Campos, esclarecem sobre notícias publicadas nas redes sociais sobre a aquisição de agendas da OAB/Pará que teriam sido pagas pela OAB/RJ. Leia a Nota de Esclarecimento na íntegra:

Caros Advogados e Advogadas,

Diante das aleivosias publicadas nas redes sociais pelo ex-presidente da Ordem, que tem memória muito curta, com cristalina má fé e intenção desesperadamente eleitoreira, sobre a aquisição de agendas da OAB-PA que teriam sido pagas PELA OAB-RJ, me sinto na obrigação, por importante e para repor a verdade dos fatos, de reproduzir a nota conjunta dos presidentes Alberto Campos e Felipe Santa Cruz. Vejamos:

NOTA DE ESCLARECIMENTO

1) Não há qualquer irregularidade na ação, que ocorreu dentro do sistema integrado de parcerias da OAB, visando reduzir custos junto a fornecedores e ampliar ações da entidade;

2) Importante informar que, ao contrário do que levianamente declarado, os valores desta aquisição não saíram da anuidade das Seccionais, mas integralmente de verbas de patrocínio;

3) A parceria entre as duas Seccionais já dura mais de dez anos, tendo resultado na aquisição conjunta de tokens para a advocacia, treinamento intensivo, modernização de salas pelo projeto Século 21 e cursos de Processo Judicial Eletrônico, entre outras tantas conquistas pautadas no princípio da solidariedade institucional;

4) As entidades criticam este ataque de cunho puramente eleitoral, que ignora a real situação da advocacia. Ressaltam que as duas Seccionais vêm se esforçando em muitos projetos para reduzir o impacto da crise econômica que se abateu sobre a advocacia. Tal situação só foi possibilitada por rigoroso controle de gastos e por iniciativas conjuntas e solidárias como a que ora, injustamente, se busca atacar em razão de lutas eleitoreiras e conjunturais;

5) Esclarecemos que tomaremos as medidas cabíveis, inclusive judiciais, para que o denuncismo tolo e mal intencionado não venha a prejudicar o concreto trabalho de engrandecimento da advocacia fluminense e paraense.

ALBERTO CAMPOS

Presidente OAB/PA

FELIPE SANTA CRUZ

Presidente OAB/RJ

Fonte: RG 15/O Impacto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *