Orla de Santarém oferece perigo a turistas

Vários trechos da orla estão comprometidos com ao acúmulo de água das constantes chuvas que estão caindo

Apesar de um trecho da orla da cidade de Santarém ter sido inaugurado no mês de dezembro do ano passado, um outro trecho está oferecendo perigo para quem caminha por este local para a prática de caminhadas ou por necessidade. Estamos falando do trecho entre o Mercado Municipal e o Terminal Fluvial Turístico de Santarém.

Na manhã de domingo (07) essa parte da orla amanheceu tomada pela água da chuva. Alguns trechos estavam praticamente intrafegáveis.

O senhor Márcio Batista, que esteve na manhã de domingo fazendo sua caminhada, registrou o perigo que todos estão passando nesse local, principalmente os turistas que estão quase que diariamente em Santarém e um dos pontos de parada é o Terminal Fluvial Turístico, que amanheceu no domingo totalmente alagado em alguns pontos. “Isso é um grande descaso do poder público com a vida das pessoas, principalmente aqui nesse trecho onde muita gente frequenta. A qualquer momento pode abrir uma cratera devido ao excesso de água e pessoas podem sofrer as consequências, inclusive correndo perigo de morte”, declarou Márcio Batista.

Segundo informações de um engenheiro que também passou pelo local, o acúmulo de água está fazendo com que esses trechos fiquem frágeis, podendo ceder a qualquer momento, causando perigo aos praticantes de caminhadas e à população que procura a orla para seu lazer pela parte da noite.

A Prefeitura de Santarém já interditou um ponto da orla, localizado entre as Travessas 15 de Novembro e 15 de Agosto, que está cedendo, mas outras partes podem ceder a qualquer momento, devido ao acúmulo de água.

Uma chuva torrencial caiu na madrugada de segunda-feira, se estendendo até o período da tarde, fazendo com que esse local voltasse a ficar alagado. Se nada for feito por parte da Prefeitura, uma tragédia pode acontecer.

TURISTAS NORTE-AMERICANOS VISITARAM CENTRO CULTURAL JOÃO FONA: Os primeiros turistas estrangeiros de 2018 visitaram o acervo do Centro Cultural João Fona (CCJF), no início da tarde de sexta-feira (5). Os turistas vindos dos Estados Unidos, na faixa etária de 50 a 85 anos, vieram no transatlântico Sirena. A chegada foi em dois grupos de 30 cada. O prédio público pertence à Prefeitura de Santarém, sob a responsabilidade da Secretaria Municipal de Cultura (Semc).

O guia de turismo Diego Azevedo afirma que os estrangeiros ficaram encantados com a exuberância das terras santarenas. “Sempre perguntamos aos turistas sobre o passeio por Santarém, e sempre nos repassam a alegria dos pontos visitados e fazem questão do registro fotográfico e ficam atentos às explicações seja dos ambientes da cidade ou na zona rural, na área urbana. Com um dos pontos, o prédio público do Centro Cultural João Fona, ficaram impressionados com a história das peças do acervo e da edificação predial, as pinturas nas paredes, e impressionante a admiração deles”, explicou.

Segundo a chefe da Seção de Atendimento ao Turista do CCJF, Patrícia Chaves, em 2017, o total de 4.200 turistas estrangeiros visitaram o prédio público. “Esta foi a primeira visita deste ano e já estavam agendadas visitas para o domingo (7), de um grupo extra, ou seja, que não faz parte da rota oficial, formado por turistas alemães e finlandeses. Na segunda-feira (8), da Rota Turística 2017-2018, chegaram dois grupos da lotação do transatlântico Albatroz”, explicou a servidora do acervo.

LETREIRO TURÍSTICO DE ALTER DO CHÃO: Os olhares dos visitantes e turistas em Alter do Chão estão voltados para um novo atrativo que compõe o paisagismo da vila balneária. Desde a entrega da pintura do letreiro de identificação turística de Alter, executado pelo artísta plástico santareno Apolinário Oliveira, que aconteceu no último dia 03 de janeiro, um número crescente de pessoas já faz circular nas redes sociais registros fotográficos no monumento turístico.

O projeto da Secretaria Municipal de Turismo (Semtur), intitulado “As cores do Amor”, visa divulgar, através de caracteres e ícones inerentes aos aspectos turísticos, que identificam Alter do Chão, com a frase “EU AMO ALTER” de forma estilizada. De acordo com o secretário de Turismo, Pablo Barrudada, ainda faltam outros elementos para que o monumento paisagístico esteja completamente pronto.

O turista de Campo Grande (MS), Paulo Henrique, que visita Alter a cada dois anos, afirma sempre se surpreender. “Eu e minha família achamos muito legal a ideia. Nos principais centros, onde o turismo é forte tem um letreiro para identificá-lo, isso é uma recordação que você leva em imagem. Venho com a família para cá, de dois em dois anos e Alter sempre nos surpreende. E agora com esse letreiro e com toda essa beleza da praia que fica atrás do letreiro, Alter ficou fantástica, mais perfeita ainda”, finalizou.

O Projeto da identificação turística foi apresentado para o empresariado santareno e ao trade turístico de Alter, em maio de 2017, em uma reunião na Associação Comercial e Empresarial de Santarém (Aces). O projeto foi abraçado pelo empresário da rede hoteleira Paulo Barrudada, que através do documento nº 274/2017, expedido pela Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seminfra), datado de 18 de dezembro de 2017, recebeu autorização para a instalação permanente de uma escultura em forma de letreiro

“Eu Amo Alter”, na vila balneária de Alter do Chão, que tem uma grande importância para o turismo, não só de Santarém, mas de todo o Pará, por isso quanto mais visibilidade para a Vila, melhor. “Nós, do Grupo Barrudada, sempre apostamos em ações inovadoras para a promoção do destino e percebemos que a proposta do projeto, apresentada pela Secretaria de Turismo em reunião na Aces, teria uma grande importância para divulgação de Alter e é isso que percebemos, hoje, principalmente nas redes sociais”, destacou Paulo Barrudada.

Por: Jefferson Miranda

Fonte: RG 15/O Impacto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *