Alcoa valoriza participação feminina em Juruti

A presença de mulheres vem mudando o ambiente de trabalho da área de mineração

Do efetivo direto da Alcoa no empreendimento de bauxita em Juruti, quase 20 por cento são mulheres que aceitaram os desafios de atuar na área mineral, onde historicamente as atividades eram realizadas por pessoas do sexo masculino. A presença feminina vem mudando o perfil desse ambiente e mais de 33% delas já ocupam cargos de liderança nas diversas frentes de atuação da empresa.

Um exemplo é Diana Martins Valentim, 11 anos de Alcoa, atualmente na função de supervisora do Laboratório Químico. Ela conta que quando chegou na Alcoa, vinda da área siderúrgica, percebeu que não tinha muita diferenciação entre mulheres e homens. “As diferenças não estão no gênero, mas nas competências e habilidades de cada profissional. Por isso, sinto que na Alcoa é bem mais justo para mulher trabalhar. Estamos numa empresa inclusiva, onde jovens, mulheres, homossexuais, negros… todos são tratados igualmente. As nossas diferenças são observadas somente a partir da performance e comportamento”, destaca.

Para incentivar a diversidade e melhorar o ambiente de trabalho na empresa, a Alcoa mantém estratégias de valorização da mão de obra feminina em nível global, o que inclui a AWN (sigla em Inglês para Rede de Mulheres Alcoa), que é um dos vários grupos internos dedicados a promover a diversidade e um ambiente de pleno respeito no mundo corporativo.

A operadora Alessandra Rocha, 34 anos, soube aproveitar as oportunidades oferecidas na Alcoa. Em 2015 ela participou do Programa de Formação de Operadores e Operadoras (PFO) e hoje integra a equipe de Britagem na unidade de Juruti. “Hoje estou no meu primeiro cargo na empresa, mas tive muitos desafios para chegar até aqui. Me sinto felizarda por fazer parte da minoria do gênero feminino, pois assim posso ver que sou e estou capacitada a trabalhar no meio dos homens. Muitos vêem as mulheres como sexo frágil, mas estamos ganhando nosso lugar na mineração. Para o futuro eu pretendo me capacitar mais e focar em um curso superior para que eu possa crescer na companhia”, adianta.

A política de valorização da mão de obra feminina e o incentivo à diversidade já renderam reconhecimentos à Alcoa, que já foi eleita a “Melhor Empresa para Mulher Trabalhar no Brasil”, de acordo com pesquisa do Instituto Great Place to Work (2014) e recebeu o prêmio internacional Catalyst (2013) pelas ações inovadoras ligadas à contratação, formação e promoção de mulheres no trabalho.

Fonte: RG 15/O Impacto e Ascom/Alcoa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *